Plantão Esportivo
Loading...

F1


O desesperado Tupi recebeu o Londrina na noite desta terça-feira, em partida válida pela 25ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, buscando a reabilitação. Porém, o resultado não foi como o esperado. Após sair vencendo logo no início da disputa, com gol de Octávio, a equipe mineira sofreu o empate no final do segundo tempo, com Alisson Safira, perdendo a chance de voltar a vencer, após duas rodadas.
Com o empate, o Tupi acumula apenas um ponto e fica estagnado na 18ª posição, a quatro pontos do Bragantino, primeira equipe dentro da zona de rebaixamento. Já o Londrina perdeu a chance de entrar no G4, já que o CRB sofreu a derrota em casa para o Avaí, subindo apenas uma posição. Agora, o Tubarão é o quinto colocado, empatado com os mesmos 38 pontos da equipe alagoana e o Ceará, sexto.
Na próxima rodada, o Tupi viajará para Osasco, na Grande São Paulo, onde enfrentará o Oeste. A partida, que será realizada no Prefeito José Liberatti, está marcada para as 21h (de Brasília) de sábado. No mesmo dia, o Londrina receberá o Ceará, às 16h30, no Estádio do Café.
FICHA TÉCNICA 
TUPI 1 X 1 LONDRINA
Local: Estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG)
Data: 13 de setembro de 2016, terça-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (Asp.Fifa-RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Luiz Claudio Regazone (Asp.FIfa-RJ)
Cartão amarelo: Marcos Serrato (Tupi) e Igor Bosel (Londrina)
GOLS
TUPI: Octávio, aos cinco minutos do primeiro tempo
LONDRINA: Alisson Safira, aos 39 do segundo tempo
LONDRINA: Marcelo Rangel; Igor Bosel (Lucas Ramon), Everton Sena, Matheus e Paulinho; Germano, França (Marcus Vinícius), Fillipe Soutto (Rondinelly), e Zé Rafael; Jô (Bruno Batata) e Alisson Safira.
Técnico: Cláudio Tencati
TUPI: Rafael Santos; Vinícius Kiss, Rodolfo Mol, Thiago Sales e Luiz Paulo; Marcos Serrato (Pedrinho), Octávio (Henrique), Hiroshi (Recife) e Jonathan; Giancarlo).
Técnico: Estevam Soares

Fonte:Gazeta Esportiva

O sonho do Avaí de retornar à Série A do Campeonato Brasileiro após o início ruim na Série B está cada vez mais perto de se tornar possível. Nesta terça-feira, o Leão conquistou uma importante vitória sobre o CRB em pleno Rei Pelé por 2 a 1, de virada, e diminuiu para dois a distância de pontos para a equipe alagoana, que ao início da rodada abria o G4 da Segundona. Agora, o Avaí é o nono colocado, com 36 pontos, contra 38 do CRB.
A vitória, de virada, veio após uma atuação convincente dos visitantes. O time da casa começou avassalador, abrindo o placar logo aos cinco minutos com Neto Baiano. No entanto, o jogo começou a mudar quando o lateral Peri foi expulso no fim do primeiro tempo, o Avaí empatou com Renato cobrando falta e, na etapa final, virou com Lucas Coelho após uma falha de Marcos Martins.
Foi a segunda derrota consecutiva do CRB jogando diante do seu torcedor – no sábado, o time perdeu também por 2 a 1 para o Vila Nova. Já o Avaí de Claudinei Oliveira chega ao seu quinto jogo sem derrotas na Série B
O CRB volta a campo no sábado, contra o lanterna Sampaio Corrêa, em São Luis, às 16h (de Brasília). No mesmo dia e horário, o Avaí recebe o Bragantino, na Ressacada.
O jogo – Disposto a apagar a má impressão deixada a seu torcedor na derrota contra o Vila Nova no sábado, o CRB começou a partida se impondo como mandante e tomando as ações. O resultado dessa pressão foi bola na rede: logo aos cinco minutos, Marcos Martins cobrou escanteio da direita e o oportunista Neto Baiano apareceu para tocar no fundo do gol e abrir o placar.
Acuado de início pela postura agressiva do CRB, o Avaí teve seu primeiro bom lance de ataque aos 13 minutos. Romulo aproveitou vacilo de Marcos Martins após bola cruzada na área, dominou na área e bateu cruzado raspando a trave do goleiro Juliano. Três minutos depois, Alemão recebeu na ponta direita, mandou uma bomba de primeira e novamente assustou o time da casa.
A partir de então, o jogo já não era o mesmo. O Avaí cresceu de produção e passou a criar as melhores oportunidades, enquanto o CRB não conseguia repetir o que fez nos primeiros dez minutos. Aos 22, nova chance avaiana: Romulo fez belíssima jogada individual pela ponta esquerda, deixou o defensor regatiano no chão e mandou uma bomba à esquerda de Juliano.
O ritmo intenso do jogo esquentou as coisas dentro de campo, com jogadores das duas equipes dividindo forte e se estranhando. Aos 42 minutos, a situação piorou: o Avaí chegou pela esquerda com Renato, que recebeu lançamento longo, ia em direção ao gol mas foi derrubado por Peri. O lateral do CRB já tinha um cartão amarelo, recebeu outro e foi expulso.
Para complicar ainda mais a vida do time da casa, o mesmo Renato cobrou a falta e marcou um belo gol para deixar tudo igual no Rei Pelé: festa dos visitantes e revolta da torcida do CRB com a arbitragem.
O segundo tempo foi praticamente semelhante ao primeiro: início de pressão do CRB seguido de domínio do Avaí. O time da casa criou boas chances nos primeiros dez minutos. Logo aos quatro, Gerson Magrão recebeu cruzamento de Marcos Martins, aproveitou falha de Alemão e, livre de marcação, mandou para fora. Aos dez, Gerson Magrão serviu Neto Baiano, que mandou uma bomba para fora da entrada da área.
Depois, o Avaí passou a controlar a posse de bola e, aos 19, chegou perto de marcar após uma falha de Juliano, que entregou a bola de presente para Romulo. No entanto, o goleiro se recuperou e defendeu o chute do atacante adversário após o erro. Aos 24, o camisa 1 do CRB voltou a salvar a equipe regatiana defendendo finalização perigosa de Renato.
A equipe da casa ia se sustentando com um jogador a menos, mas levou um golpe aos 32 minutos. Marcos Martins errou ao recuar para Juliano e deu de presente para Lucas Coelho, que limpou o goleiro e mandou para o gol vazio, virando o placar para o Leão.
O gol, nascido de uma falha, praticamente acabou com as forças do time da casa, que encontrou um adversário muito fechado nos minutos finais e não conseguiu arrancar ao menos um empate, chegando à segunda derrota consecutiva em casa.
FICHA TÉCNICA
CRB 1 X 2 AVAÍ
Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)
Data: 13 de setembro de 2016, terça-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitros: Luís Teixeira Rocha (RS)
Assistentes: Antônio do Prado Lima e Leirson Peng Martins (ambos do RS)
Cartões Amarelos: Peri e Olívio (CRB); Romulo, Eduardo Alemão e Luiz Gustavo (Avaí)
Cartão vermelho: Peri (CRB)
GOLS:
CRB: Neto Baiano, aos cinco minutos do primeiro tempo
AVAÍ: Renato, aos 43 minutos do primeiro tempo, e Lucas Coelho, aos 32 minutos do segundo tempo
CRB: Juliano; Marcos Martins (Assisinho), Diego Jussani, Flávio Boaventura e Peri; Olívio, Matheus Galdezani, Diego, Gerson Magrão e Roger Gaúcho (Bocão); Neto Baiano (Zé Carlos)
Técnico: Mazola Júnior
AVAÍ: Renan; Eduardo Alemão, Betão, Fábio Sanches e Capa; João Filipe (Luiz Gustavo), Luan (Jajá), Renato e Diego Jardel (Tatá); Lucas Coelho e Romulo
Técnico: Claudinei Oliveira

Fonte:Gazeta Esportiva
Paysandu respira na tabela (Foto: Fernando Torres/Paysandu)

O Paysandu fez valer o fator casa e, no Mangueirão, superou o Bahia, nesta terça-feira, por 2 a 1, pela 25ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Os gols dos paraenses foram de Leandro Cearense e Tiago Luís, enquanto Hernane fez para os visitantes. Com o triunfo, o Papão foi a 32 pontos, se afastando da zona da degola. Os baianos, por sua vez, pararam nos 36, e não se aproximaram do G4.
Com a derrota, o Esquadrão de Aço perdeu uma invencibilidade que durava seis rodadas, e que colocou os baianos perto do G4, na briga pelo acesso à Série A do Brasileirão. Por outro lado, o Papão encerrou jejum de quatro partidas sem triunfar.
Na próxima rodada, o Papão busca a segunda vitória seguida diante do Náutico, no sábado, fora de casa. O Bahia tentará a recuperação em Salvador, contra o Goiás, no mesmo dia.
O jogo – Precisando dos pontos, dentro de casa, para sair da parte de baixo da tabela, o Paysandu começou pressionando a marcação, mas sem criar chances de gol. Na primeira grande chance, aos 16, os paraenses chegaram ao gol. Em cobrança de escanteio, o atacante Leandro Cearense subiu mais alto e superou Muriel: 1 a 0.
Após abrir vantagem, os mandantes viram o Bahia passar a ficar mais com a bola, em busca do empate. Bem postado na defesa, o Papão não sofreu muito inicialmente. As únicas chances dos visitantes eram em bolas paradas.
A primeira grande oportunidade do Esquadrão de Aço veio aos 41. Renato Cajá recebeu livre, dentro da área, e finalizou. A bola passou perto, mas saiu, impedindo o primeiro tento dos baianos. Depois disso, o time de Guto Ferreira se animou, assustou a retaguarda dos paraenses, mas foi para o intervalo perdendo por 1 a 0.
Logo no início da segunda etapa, aos 6, o Paysandu ampliou. Após sequência de bolas jogadas para cima, Tiago Luís acertou bonito chute, e Muriel falhou: 2 a 0 Papão.
Tentando buscar a reação, o Bahia teve ótima chance aos 14, quando Hernane cabeceou da pequena área, e Emerson salvou os mandantes com bela defesa. Depois disso, os visitantes se jogaram cada vez mais ao ataque, com os donos da casa tentando o terceiro no contra-ataque.
Aos 28, as esperanças da torcida do Esquadrão aumentaram, com pênalti marcado em cima de Hernane. Na cobrança, o Brocador teve calma e colocou a bola no canto direito, diminuindo a vantagem do Papão.
Tentando aproveitar o bom momento, o time de Guto Ferreira quase empatou aos 31, quando Tinga perdeu boa chance, de cabeça. A resposta dos donos da casa, para tentar retomar o controle do jogo, veio aos 36, quando Muriel salvou o Bahia com os pés, em chute de Leandro Cearense.
Buscando o empate, o Tricolor baiano tentou, no desespero, invadir a área rival para alcançar o gol, mas com pouca criatividade. Assim, se defendendo bem, a equipe de Dado Cavalcanti segurou o 2 a 1 e conseguiu importante vitória, na luta contra o rebaixamento,
FICHA TÉCNICA 
PAYSANDU 2 x 1 BAHIA
Local: Estádio Mangueirão, em Belém (PA)
Data: 13 de setembro de 2016, terça-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-SC)
Assistentes: Nadine Schramm Camara Bastos (Fifa-SC) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Roniery, Augusto Recife (Paysandu), Renato Cajá, Eduardo (Bahia)
Gols: PAYSANDU: Leandro Cearense, aos 16 minutos do primeiro tempo; Tiago Luís, aos 6 minutos do segundo tempo; BAHIA: Hernane, aos 28 minutos do segundo tempo.
PAYSANDU: Emerson; Roniery, Fernando Lombardi, Gilvan e João Lucas; Ilaílson (Ricardo Capanema) e Augusto Recife; Lucas, Maílson (Jhonnatan) e Tiago Luís (Celsinho); Leandro Cearense
Técnico: Dado Cavalcanti
BAHIA: Muriel; Eduardo, Jackson, Tiago e João Paulo (Tinga); Luiz Antônio (Régis) e Juninho; Renato Cajá, Allano (Victor Rangel) e Edigar Junio; Hernane
Técnico: Guto Ferreira

Fonte:Gazeta Esportiva

O Paraná Clube tentou, pressionou, mas foi derrotado pelo Vila Nova por 2 a 1, em plena Vila Capanema, interrompendo sua sequência de vitórias na Série B do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Tricolor segue com 33 pontos, na 12ª colocação, enquanto os visitantes, com 36 pontos, sobem na classificação e se aproximam no G4.
Quem saiu na frente no placar foi o time goiano, logo aos dois minutos, com Moisés, que aproveitou contra-ataque para finalizar para as redes. Alisson, de cabeça, aos 26 minutos, deixou tudo igual. Mas, aos 37 minutos, Fabinho fechou a contagem.
Na próxima rodada, o Paraná Clube enfrenta o Atlético Goianiense, sábado, no estádio Serra Dourada, em Goiânia. Já o Vila Nova encara o Luverdense, sexta-feira, também no Serra Dourada.
O jogo – O time visitante surpreendeu e, logo aos dois minutos em contra-ataque bem costurado, a bola sobrou para Moisés arrematar e balançar as redes para abrir o placar na Vila. O Tricolor, no entanto, mostrou que reagiria bem ao golpe e começou a pressionar. Aos nove minutos, Fernando Karanga partiu para a jogada individual, caiu na área, mas a arbitragem mandou o jogo seguir em lance polêmico.
Mais Tricolor no ataque, aos 11 minutos, com Nadson levantando na medida para Karanga testar para boa defesa de Saulo. A equipe paranista pecava demais nas finalizações. Aos 17 minutos, lançamento para Diego Tavares na área, mas o toque saiu com o joelho, por cima da meta.
O gol de empate finalmente aconteceu aos 26 minutos, com Alisson, que aproveitou cobrança de escanteio e testou firme para o fundo das redes e deixar tudo igual. O Vila tentou reequilibrar as ações e, aos 34 minutos, Marcelo Cordeiro chegou pelo lado esquerdo e cruzou para Fabinho desviar pela linha de fundo. O troco veio com Nadson, aos 41 minutos, soltando o pé para carimbar a trave.
Para a etapa final, a equipe goiana voltou com Roger no lugar de Caique. Mas quem foi para o ataque foi o Paraná. Aos seis minutos, Lucas Taylor partiu em velocidade e chutou em cima da defesa adversária. A resposta veio apenas aos 12 minutos, com Marcelo Cordeiro, que cobrou falta direto pela linha de fundo, sem grande perigo.
O Paraná tentava chegar pelas pontas, como aos 16 minutos, em investida de Diego Tavares, que levantou para Guilherme Queiróz, que só não contava com a saída de Saulo para interceptar. Mais um bom ataque paranista, aos 21 minutos, mas Fernando Karanga demorou para finalizar e, quando optou pelo passe, não achou ninguém. O Tricolor chegou a balançar as redes, com Diego Tavares, mas a arbitragem anotou impedimento.
O gol dos donos da casa amadurecia, mas não saia. Aos 30 minutos, Nadson chegou pelo meio da defesa, soltou o pé e Saulo salvou a primeira. Na segunda, Diego Tavares arrematou e o goleiro fez mais uma grande defesa para salvar. Porém, em um banho de agua fria, aos 37 minutos Fabinho cobrou falta no cantinho e garantiu a vitória goiana.
PARANÁ 1 X 2 VILA NOVA
Local: Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba (PR)
Data: 13 de setembro de 2016, terça-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Salim Fende Chavez (SP)
Assistentes: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (Fifa-SP) e Vitor Carmona Metestaine (SP)
Cartões amarelos : Caíque, Reginaldo (Vila Nova)
Gols
VILA NOVA: Moisés, aos 02 minutos do primeiro tempo e Fabinho, aos 37 minutos do segundo tempo
PARANÁ: Alisson, aos 26 minutos do primeiro tempo
PARANÁ: Marcos; Lucas Taylor, Alisson, João Paulo e Henrique Gelain; Anderson Uchôa, Lucas Otávio, Nadson e Diego Tavares; Fernando Karanga (Lúcio Flávio), Guilherme Queiroz (Ian Phillipe).
Técnico: Marcelo Martelotte
VILA NOVA: Saulo; Maguinho, Guilherme Teixeira, Reginaldo e Marcelo Cordeiro; Fagner (Jefferson Feijão), Geovane e Caique (Roger); Fabinho, Moisés e Patrick (Joãozinho)
Técnico: Guilherme Alves

Fonte:Gazeta Esportiva
Joinville e Náutico não saíram do empate (Foto: Divulgação/JEC)

Joinville e Náutico seguem longe de seu melhor momento na Série B. As equipes empataram por 0 a 0, nesta terça-feira, em Santa Catarina, e chegaram a quatro rodadas sem vencer. O JEC segue na zona de rebaixamento, agora com 24 pontos. Os pernambucanos foram a 33, e seguem no meio da tabela.
O Joinville segue com o mau desempenho dentro de casa. São apenas duas vitórias em 13 partidas, dificultando a briga do clube na luta contra a queda para a Série C do Brasileiro.
Na próxima rodada, o JEC tem partida difícil. Os catarinenses encaram o Vasco, em São Januário, na próxima sexta-feira. No sábado, o Náutico recebe o Paysandu.
O jogo – Logo no primeiro minuto, Jael driblou o goleiro e esteve perto de abrir o placar para o Joinville. Em cima da linha, o zagueiro Adalberto salvou o Náutico. Logo no lance seguinte, o Timbu respondeu: Rony acertou o travessão de Jhonatan.
Depois do início movimentado, os times passaram a parar nas defesas, sem criar grandes oportunidades. Apenas aos 21 ocorreu um lance de perigo. Jael cabeceou firme, mas Júlio César salvou os pernambucanos. O centroavante teve nova chance dez minutos depois, mas acabou travado pela defesa.
Após o ótimo começo, o fim do primeiro tempo teve ritmo lento, sem muita criatividade. Aos 46, Gastón ainda arriscou uma finalização de longe, mas Jhonatan pegou. Assim, as equipes foram para os vestiários empatando por 0 a 0, na Arena Joinville.
Mais uma vez, o jogo começou acelerado. No primeiro minuto da segunda etapa, Giva exigiu bela defesa de Júlio César, após bom lance individual. Aos 11, Jael teve nova chance, mas a bola passou raspando a trave.
O JEC manteve a pressão e, aos 15, Júlio César salvou o Náutico mais uma vez. Jael cobrou falta com força, e o ex-corintiano salvou sua equipe, evitando o gol catarinense. Aos 29, foi a vez de Heliardo, que entrou na segunda etapa, finalizar mal e perder boa chance.
Esperando por uma oportunidade, os pernambucanos chegaram perto do gol aos 36. Léo Santos teve duas chances no mesmo lance, mas não conseguiu balançar a rede de Jhonatan, que salvou o Joinville. No minuto seguinte, o arqueiro parou bom chute de Renan Oliveira.
Sem conseguirem superar os goleiros rivais, Joinville e Náutico terminaram o jogo sem tirar o zero do placar, e assim chegaram, ambos, a quatro partidas sem vencer na Série B.
FICHA TÉCNICA
JOINVILLE 0 x 0 NÁUTICO
Local: Arena Joinville, em Joinville (SC)
Data: 13 de setembro de 2016, terça-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Assistentes: Pablo Almeida da Costa (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)
Público: 6.509
Renda: R$66.240,00
Cartões amarelos: 
Naldo, Danrlei (Joinville), Rodrigo Souza (Náutico)
JOINVILLE: Jhonatan; Reginaldo, Danrlei, Fabiano Eller e Fernandinho; Naldo, Paulinho Dias (Juninho), Thomás (Heliardo) e Bruno Ribeiro; Giva (Aldair) e Jael
Técnico: Lisca
NÁUTICO: Júlio César; Walber (Joazi), Igor Rabello, Adalberto e Gastón; Rodrigo Souza e João Ananias; Renan Oliveira, Jefferson Nem (Léo Santos) e Rony (Esquerdinha); Bergson
Técnico: Givanildo Oliveira

Fonte:Gazeta Esportiva
PSG e Arsenal empataram por 1 a 1 no Parc des Princes (Foto: Franck Fife/AFP)

Paris Saint-Germain e Arsenal estrearam na Liga dos Campeões com um empate por 1 a 1 no Parc des Princes, em Paris, nesta terça-feira. Com apenas 44 segundos de jogo, Cavani abriu o placar para os mandantes, mas Alexis Sánchez deixou tudo igual aos 32 do segundo tempo.
O PSG foi superior durante todo o primeiro tempo e grande parte do segundo, mas não conseguiu marcar um segundo gol e confirmar a vitória. Depois de uma etapa inicial fraca, a equipe de Arsene Wenger voltou mais ofensiva para o segundo tempo, soube se defender das investidas dos franceses e saiu de campo com um empate.
O próximo compromisso do PSG pela Liga dos Campeões será no dia 28, contra o Ludogorets, na Bulgária. No mesmo dia, o Arsenal recebe o Basel no Emirates Stadium.
O jogo – Quarenta e quatro segundos. Esse foi o tempo necessário para o Paris Saint-Germain balançar a rede no Parc des Princes. No primeiro ataque da partida, Aurier avançou pela direita, cruzou, e Cavani apareceu na primeira trave para tocar de cabeça e marcar o primeiro gol da fase de grupos da Liga dos Campeões.
O bom início animou a equipe da casa, que dominou o início da partida pressionando em busca do segundo gol. Aos nove minutos, em bela trama do ataque parisiense, Di Maria deu um lindo passe de calcanhar para Rabiot bater para o gol. No entanto, o zagueiro Koscielny chegou para cortar o chute. Três minutos depois, DI María cobrou escanteio e por muito pouco não marcou um gol olímpico.
O Arsenal se encontrou na partida e cresceu de produção, mas não chegou a levar nenhum perigo ao gol francês durante o primeiro tempo. Perigo mesmo somente do outro lado: aos 34 minutos, Cavani recebeu de Verratti, aproveitou vacilo de Monreal, driblou Ospina mas acabou chutando para fora.
No minuto seguinte, a equipe inglesa tinha a chance de criar sua primeira oportunidade, mas Sánchez acabou caindo no chão ao receber passe de Coquelin dentro da área.
O Arsenal voltou melhor para o segundo tempo, dominando a posse de bola e encurralando o PSG na defesa. No entanto, o time de Arsene Wenger não conseguia criar jogadas efetivas e finalizar a gol.
Além disso, com a equipe lançada ao ataque, sobrava espaço para o contra-ataque francês. E foi assim que a equipe da casa quase chegou ao segundo gol aos sete minutos, quando Di María recebeu belo lançamento de Verratti na área, mas foi paralisado por Monreal e foi ao chão pedindo pênalti. A arbitragem mandou a partida seguir.
O primeiro bom chute a gol do Arsenal veio no minuto seguinte, com Coquelin, que soltou uma bomba de fora da área, desviada pela defesa francesa. Depois, foi a vez de Chamberlain receber bom passe de Sánchez, se enrolar com a bola e chutar mal.
Depois do período de sustos, o PSG retomou o controle do jogo e voltou a levar perigo ao gol de Ospina. Aos 24 minutos, Cavani aproveitou bola rebatida dentro da área e bateu para bela defesa do colombiano. Dois minutos depois, Di María aproveitou saída de bola errada do Arsenal, deu um chapéu em Xhaka e bateu de primeira. Esperto, Ospina estava bem colocado e fez a defesa.
Quando tudo parecia se encaminhar para o segundo gol do PSG, surgiu Alexis Sánchez. Apagado até então, o chileno aproveitou rebote de chute de Iwobi e marcou o gol de empate do Arsenal aos 33 minutos.
O PSG por muito pouco não retomou a liderança do placar logo no minuto seguinte. Cavani ganhou dividida com Koscielny, tentou driblar Ospina mais uma vez, mas agora o goleiro conseguiu dar um tapa na bola e evitar a passagem do uruguaio.
Com a partida aberta na reta final, o time inglês também chegou perto de seu segundo tento. Aos 37, Iwobi recebeu belo passe de Sánchez e bateu forte para defesa de Aréola.
O clima era de tensão nos últimos minutos, levando os jogadores das duas equipes a se estranharem em algumas divididas. Aos 48 minutos, Giroud deixou o braço no rosto de Verratti, os dois discutiram e foram expulsos de campo. E ainda houve tempo para a última chance do PSG. Aos 49, Di María cobrou escanteio com perigo, a bola atravessou a área e por muito pouco não contou com um desvio do brasileiro Marquinhos no segundo pau.
Talisca ‘se vinga’ e estraga festa do Benfica; Napoli vence – Pelo grupo B da Liga dos Campeões, o favorito Benfica estreou com um empate por 1 a 1 com o Besikitas no Estádio do Dragão. O resultado teve gosto amargo para os campeões portugueses, que abriram o placar com Cervi, aos 12 minutos do primeiro tempo, e venciam até os acréscimos, quando Anderson Talisca, que teve passagem recente pelo clube de Lisboa e foi pouco utilizado, empatou o duelo para os turcos.
No mesmo grupo, o Napoli reestreou com o pé direito após duas temporadas longe da Champions. Na Ucrânia, a equipe italiana venceu o Dínamo de Kiev por 2 a 1, de virada, com dois gols do polonês Milik.
Basel e Ludogorets empatam – Pelo mesmo grupo de PSG e Arsenal, Basel e Ludogorets também ficaram em um empate por 1 a 1 na Suíça. o resultado mantém todo o Grupo A da competição empatado com um ponto.

Fonte:Gazeta Esportiva
Jovem volante de 21 anos marcou dois gols e comandou a goleada do Bayern (Foto: Peter Kneffel/dpa/AFP)

O Bayern de Munique teve uma estreia tranquila na Liga dos Campeões. Nesta terça-feira, o time bávaro goleou o Rostov, da Rússia, por 5 a 0, com direito a dois gols do jovem volante Joshua Kimmich, de 21 anos. Lewandowski, Muller e Bernat completaram o placar.
Com o resultado elástico, o Bayern assume a primeira colocação do Grupo D, levando vantagem sobre o Atlético de Madri no saldo de gols. Já o Rostov amarga a lanterna da chave. Na próxima rodada, a ser realizada no dia 28 de setembro, os alemães vão à Espanha enfrentar o Atlético, enquanto os russos receberão os holandeses do PSV Eindhoven.
O jogo – O Bayern controlou as ações desde o início da partida. Preocupado em se defender, o Rostov posicionava os seus jogadores atrás da linha do meio de campo e formava uma verdadeira barreira, dificultando as jogadas ofensivas do time alemão. A primeira finalização dos donos da casa saiu apenas aos 18 minutos, em chute colocado de Kimmich que passou à direita da meta defendida por Dzhanaev.
Aos poucos o Bayern foi encontrando espaços na defesa do Rostov e criando chances de gol. Aos 21, Lewandowski desviou cruzamento de cabeça e quase marcou. Na sequência, Kimmich arriscou de fora da área e assustou o goleiro russo. A insistência do time bávaro deu resultado aos 27 minutos. Lewandowski cobrou com categoria pênalti que ele mesmo sofreu e abriu o placar.
O Bayern seguiu dominando o jogo e não diminuiu o ritmo depois de sair na frente. Com mais de 70% de posse de bola, a equipe da Baviera manteve a postura ofensiva e chegou ao segundo gol ainda no primeiro tempo. Já nos acréscimos, aos 46, Muller completou cruzamento de Alaba e mandou para o fundo das redes.
Os alemães voltaram para o segundo tempo dispostos a aumentar a contagem. Logo com oito minutos de bola rolando, Kimmich só empurrou cruzamento de Douglas Costa e anotou o terceiro. Seis minutos depois, o mesmo Kimmich fez mais um gol ao completar outro cruzamento, desta vez de Bernat.
Com a vitória garantida, o Bayern diminuiu a intensidade e passou a apenas administrar o resultado. O Rostov já aceitava a derrota, mas mesmo assim saiu mais para o jogo e criou algumas chances. Aos 35, Yerokhin puxou contra-ataque e cruzou para a área, mas Javi Martínez fez o corte. Aos 39, Neuer fez grande defesa em cobrança de falta do time russo.
Apesar da pequena pressão do Rostov no final, os alemães garantiram os três pontos com autoridade. Ainda teve tempo para Bernat fazer o quinto, aos 44 minutos. O lateral espanhol puxou contragolpe, tabelou com Ribery e bateu de primeira para fechar a goleada.
Atlético de Madri conquista importante vitória fora de casa – No outro jogo do grupo, o Atlético de Madri visitou o PSV Eindhoven e saiu de campo com uma importante vitória por 1 a 0, na casa do adversário. O único gol da partida foi marcado por Saúl Ñíguez, aos 43 minutos do primeiro tempo. Os holandeses desperdiçaram um pênalti na sequência. Oblak defendeu a cobrança de Andrés Guardado.

Fonte:Gazeta Esportiva
Messi, com três gols, e Neymar, com um gol e três assistências, foram os destaques da partida (Foto: JOSEP LAGO / AFP)

Jogando no Camp Nou, o Barcelona estreou nesta temporada da Liga dos Campeões com uma vitória incontestável. Frente o Celtic, a equipe de Messi, Neymar e Suárez confirmou o favoritismo e aplicou uma goleada por 7 a 0 nos escoceses, com grande atuação do trio sul-americano.
Um dos principais favoritos ao título da competição, o clube catalão passou fácil pelo Celtic. Comandados pelo craque Lionel Messi, autor de três gols na partida, os espanhóis ainda balançaram as redes com Neymar, autor de quatro assistências, com o experiente meia Iniesta, que deixou o banco para marcar o dele na partida e dois do uruguaio Luis Suárez, último dos integrantes do trio MSN a balançar as redes.
Com os três pontos, o Barcelona assumiu a liderança do Grupo C. O time de Neymar e companhia volta a atuar pela competição no próximo dia 28/09, contra o Borussia Monchengladbach. Já o Celtic busca se recuperar no Grupo C contra o Manchester City, também no dia 28/09.
Show dos “platinados” – A missão do Celtic não era nada fácil: segurar o trio MSN no Camp Nou. Não demorou para o time da casa mostrar que a parada seria mais dura do que parecia. Aos 2 minutos de jogo, Jordi Alba achou Neymar, que deu um belo toque para Lionel Messi soltar uma paulada de esquerda e abrir o marcador.
Com o gol, o Barça passou a ficar com a bola nos pés e virar as jogadas em toques rápidos. Em mais uma jogada pela esquerda, Alba cruzou na área e Kolo Touré quase fez gol contra ao jogar a bola no próprio travessão. E o camisa 10 do Barcelona mostrou que estava em noite inspirada. Depois de dar bela caneta no marcador, o argentino chutou com curva e quase acertou o ângulo do goleirão.
Mesmo com o bom momento do Barça, o Celtic foi ao ataque e quase conseguiu o empate. Aos 23 minutos, Ter Stegen derrubou Dembélé dentro da área e o juiz assinalou pênalti. Na cobrança, o atacante chutou fraco e viu o goleiro catalão pular no lado direito e defender.
O susto fez com que o Barcelona voltasse a dominar o jogo e, minutos depois, balançou as redes pela segunda vez na partida. Messi iniciou a jogada e rolou para Neymar, que fez boa jogada na linha de fundo e rolou para Messi que, livre de marcação, só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes: 2 a 0.
A partida voltou do intervalo e aí brilhou a estrela do brasileiro Neymar. O segundo “platinado” do clube catalão cobrou falta com categoria, o goleiro Dorus de Vries chegou a tocar na bola, mas viu a redonda morrer no fundo das redes: 3 a 0.
A torcida mal teve tempo para comemorar e o Barcelona voltou a balançar as redes. Neymar, em dia de garçom, foi à linha de fundo e cruzou na medida para o meia Iniesta pegar de primeira e fazer um belo gol, aumentando a enorme vantagem do Barça na partida.
Com 68% de posse de bola, os catalães não perderam tempo e ampliaram a goleada. Messi tocou para Luis Suárez, que foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para o craque argentino, que, cara a cara com o goleiro, bateu para marcar seu terceiro gol na partida: 5 a 0.
Depois de tocar a bola e manter a posse de bola, o último integrante do trio MSN também deixou o dele. Neymar recebeu na entrada da área, levantou a cabeça e descolou belo lançamento para Suárez, que dominou no peito e finalizou sem deixar cair: 6 a 0. Antes da partida terminar, o camisa 9 Luisito mostrou que tem faro de artilheiro e ainda fechou o placar depois passe de Messi: 7 a 0.
Estreia do City é adiada – O Manchester City iria estrear nesta terça-feira na Liga dos Campeões, contra o Borussia Monchengladbach, mas o duelo foi adiado por conta da forte chuva que caiu na Inglaterra.
A partida, válida pelo Grupo C, iria marcar a estreia do técnico Pep Guardiola no comando dos citizens na Champions. A Uefa, que organiza o torneio, ainda não divulgou a data que o jogo será realizado.

Fonte:Gazeta Esportiva
| Copyright © 2016 Atividade Esporte News