“Pela 1ª vez em sete anos me senti em casa”, diz Kubica sobre retorno à F1

 (Foto: Patrik Stollarz/AFP)
Em 2011 Robert Kubica sofreu um grave de rali, que lhe provocou danos no lado direito do corpo – especialmente no braço -, obrigando o piloto a se afastar das pistas. Após anos de reabilitação, o polonês retornou ao cockpit de um F1 no ano passado, quando correu em sessões de teste pela Renault e pela Williams, disputando inclusive uma vaga de titular na escuderia inglesa – mas acabou ficando com o posto de piloto de testes e de desenvolvimento.

Apesar de não ter voltado de fato à elite do automobilismo, Kubica revelou o quanto voltar às pistas foi importante e significativo para a sua vida: “Quando cheguei em Valência sabendo que havia um carro de F1 me esperando, instantaneamente senti uma calma interior. Pela primeira vez em sete anos me senti em casa. Muita coisa aconteceu no ano passado que me deu calma interior e fé de que isso (um retorno à F1) é possível”, desabafou.

“Era algo de que eu sentia falta e isso mostra o quão forte é minha paixão pelo esporte. O papel que a Williams me deu me permite estar no paddock e cumprir minha paixão, o que me dá um impulso para viver a vida e ser um homem feliz”, comemorou.

Kubica ainda espera voltar a competir efetivamente, e embora muito bem fisicamente, entende que precisa correr contra o tempo. “Fisicamente eu estava e ainda estou em excelente forma. Como tudo na vida, nem tudo depende de nós, mas o que importa é que estou ciente de que estou pronto agora. Se vai acontecer ou não, não há garantias. Espero que um dia eu consiga atingir minha meta e estar no grid de um GP. Não vou negar: com 33 anos, não tenho muito tempo pela frente. Os próximos 12 meses, ou menos, serão fundamentais”, concluiu.


Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.