Princesa bate Rio Negro e está na final do returno do Amazonense

Com gol de Kelve, na segunda etapa, Tubarão leva a melhor diante do Galo e espera o adversário de Manaus ou Penarol. Time de Manacapuru dá o troco após ter sido eliminado nas quartas do primeiro turno

Créditos:Raiana Barreto/Emanuel Sports
Pênalti perdido, pênalti anulado e oito minutos de acréscimos no fim da partida. Este é um resumo bem rápido de como foi o duelo entre Princesa do Solimões e Rio Negro, duelo que ocorre neste sábado, às 15h, no estádio Gilbertão, em Manacapuru, pelas semis do returno do estadual. Em sua casa, o Tubarão soube aproveitar melhor a chance e venceu por 1 a 0, com gol de Kelve, e garantiu vaga na final contra Manaus ou Penarol.

O duelo entre Princesa e Rio Negro foi uma espécie de revanche. No primeiro turno, o Princesa eliminou o Tubarão nas quartas de final. Desta vez, o Tubarão levou a melhor e colou o time na final do returno. Agora, os comandados de Alberone esperam o vencedor de Manaus e Penarol, que duelam também neste sábado. A final será no dia 4, em local e dia a serem definidos.

O duelo teve duas penalidades marcadas. Na primeira, o goleiro Darlan defendeu o pênalti batido por Uander. No outro pênalti, em que o goleiro André Regly teria derrubado Judá na área, foi anulado. O árbitro consultou o auxiliar e voltou atrás na marcação. Foi informado que o jogador do Penarol teria simulado. Durante a marcação, o zagueiro Herik, do Rio Negro, foi expulso por reclamação acintosa. Mas depois teve sua expulsão anulada.

A primeita etapa começou com o Princesa no ataque. Jogando em casa, o timie teve algumas chances, mas o goleiro André Regly, do Rio Negro, estva em grande dia. O Tubarão poderia ter saído na frente logo aos 9 minutos com Cleber, que ficou sozinho na frente, mas bateu para fora, após chance clara. Por outro lado, o Galo revidadava, mas todas as investidas paravam na defesa. A última chance da primeira etapa foi do time de Manacapuru, com Alberto, que avançou pela esquerda e cruzou na área. Mas Wagner Diniz tirou antes do ataque completar.

No intervalo, o técnico Aderbal Lana faz duas mudanças de cara para deixar o time mais veloz no ataque. Mas, aos 10 minutos, o Tubarão encontra o seu gol. Após chute de Cleber, o goleiro André Regly dá o rebote e Kelve não perdoa: 1 a 0. O Rio Negro quase empata aos 14 com Jean Carlos, mas ele mandou para fora um passe de Caíque sozinho, mas mandou para fora. O Princesa porderia fazer 2 a 0 com Nuguete, mas ele driblou o goleiro e Leandro Mendes tirou em cima da linha. Após acertar a trave aos 39 com Jean Carlos, o Galo teve um pênalti aos 43. Uander bateu, mas ficou na defesa do goleiro Darlan. Na sequência, o árbitro marcou pênalti para o Princesa, mas em seguida anulou a marcação, após consulta ao auxiliar. Anulou até a expulsão do zagueiro Herik, do Galo, por reclamação. O jogo foi até aos 53, mas o Rio Negro não conseguiu o gol.


Fonte:Globo Esporte/Amazônas
Tecnologia do Blogger.