Princesa segura Nacional fora de casa e avança direto às semifinais do returno

Equipe de Manacapuru, com o empate, foi a cinco pontos, e avançou na liderança do Grupo A. Leão da Vila Municipal também vai ao mata-mata, mas pode ser rebaixado caso o título fique com o Tufão


Foto:Marcos Dantas/Globo Esporte
O Princesa segurou o ímpeto do Nacional fora de casa, neste domingo, no estádio Carlos Zamith, em Manaus, e, com o empate em 0 a 0, pela última rodada da fase classificatória do returno do Campeonato Amazonense, chegou aos cinco pontos e avançou de forma direta às semifinais do segundo turno. Já o Naça ficou na terceira colocação e vai encarar o Rio Negro nas quartas.

Se o Princesa foi direto às semifinais, o Nacional, por outro lado, ainda corre um pequeno risco de rebaixamento. O clube, apesar de ter o Rio Negro pela frente nas quartas de final, no próximo sábado, em estádio escolhido pelo adversário, no clássico mais tradicional do Estado, pode ser rebaixado caso o São Raimundo seja campeão do turno. O Tubarão, inclusive, espera justamente o vencedor do Rio-Nal nas semifinais.

O jogo começou com duas propostas muito bem definidas. O Nacional buscando o gol desde o primeiro minuto, e o Princesa fechado, esperando por uma oportunidade para explorar o contra-ataque. Com isso, as melhores chances, ainda que poucas, saíram no ataque nacionalino, com chutes de longa distância, uma vez que o Leão da Vila Municipal teve muita dificuldade para entrar na área adversária.

Baé e Balotelli, chutando de longe, e Jefferson Siqueira, num escanteio, tiveram as melhores chances, enquanto no Princesa, Negrete foi o único que teve alguma oportunidade relevante, já no final da primeira etapa, que chegou ao fim sem que os times conseguissem tirar o zero do placar.

O empate não era bom para o Naça, que mexeu ainda no intervalo: sacou Fininho para colocar Alexsandro. A intenção era dar mais velocidade no ataque. E deu certo. Aos dois minutos, Alexsandro, que acabara de entrar, cobrou falta pela direita na área e achou Balotelli, que cabeceiou livre, mas mandou pra fora.

O Leão continiou pressionando o Princesa em busca do gol que selaria a liderança do grupo, mas pecava, principalmente, na falta de pontaria dos atacantes e meias do grupo. A partir dos 20 minutos, as faltas viraram destaques.  Foram sete amarelos até o fim da partida, sendo quatro do time mandante e três para o clube do interior.  Bola na rede e chances reais, que é bom, não teve.


Fonte:Globo Esporte
Tecnologia do Blogger.