Após quebra de motor, Ricciardo valoriza sexto lugar no grid

(Foto: Johannes Eisele/AFP)
A sexta posição conquistada no grid de largada para o Grande Prêmio da China não era o que Daniel Ricciardo almejava, mas as circunstâncias que se apresentaram na madrugada deste sábado fizeram o australiano valorizá-la.

Durante o terceiro treino livre em Xangai, o motor Renault da Red Bull de Ricciardo quebrou. Com apenas duas horas de intervalo entre a atividade e a classificação, os mecânicos da equipe austríaca conseguiram trocar a unidade de potência a tempo de o piloto disputar a pole position, o que não era esperado por ele.

“Quero agradecer aos mecânicos pelo ótimo trabalho que fizeram. Eu acho que eles quebraram o próprio recorde de troca de motor. Quando deu 14 horas (no horário de Xangai), os caras disseram para eu me preparar, mas não achei que isso iria ser possível”, revelou.

“Eu não esperava ir (para a classificação). Eles tiveram toda a pressão para colocar o novo motor no carro a tempo e foram muito bem”, reconheceu Ricciardo, que marcou o tempo de 1min31s948, 0s853 atrás do pole position Sebastian Vettel, da Ferrari.

“No fim, estou relativamente próximo (dos adversários), estamos no final dos seis primeiros, o que não é o ideal, mas acho que, considerando todas as coisas, não foi uma tarde ruim”, avaliou. Assim como o espanhol Fernando Alonso, da McLaren, Ricciardo entende que a estratégia de pneus será determinante para o resultado da corrida.

“Eu acho que todos da nossa frente vão começar com os (pneus) macios e, pelo o que entendo, o Max (Verstappen, companheiro de equipe) vai começar com os ultramacios, então a estratégia definitivamente irá desempenhar um grande papel e espero que isso possa nos ajudar a subir no pódio”, concluiu.

Com um quarto lugar na Austrália e um abandono no Bahrein, Ricciardo soma 12 pontos e ocupa a sétima posição do Mundial deste ano. O GP da China está marcado para começar às 03h10 (de Brasília) da madrugada deste domingo.


Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.