Em cinco sets, Cruzeiro vence o Sesi-SP na primeira final da Superliga

(Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)
O Cruzeiro segue forte na briga pelo quinto título consecutivo da Superliga masculina de vôlei. Jogando no Ginásio Ibirapuera, diante de 10.019 pessoas, a Raposa mostro sua força e venceu a primeira final contra o Sesi-SP por 3 sets a 2, com parciais de 25/23, 25/27, 26/24, 22/25 e 15/12. Com o resultado deste sábado, a equipe de Marcelo Mendez, que está em sua oitava decisão consecutiva, só precisa vencer o jogo de volta para levar a taça. Por sua vez, os paulistas precisam ganhar o segundo duelo para forçar o golden set.

Mesmo com grande parte da torcida apoiando o time da casa, os cruzeirenses começaram muito bem a partida e conseguiram ficar à frente no placar por grande parte das três primeiras parciais. Simón, Leal e Evandro foram os principais nomes do jogo e carregaram a equipe na maior parte do tempo. Lipe, Douglas Souza e Lucão foram os destaques do Sesi-SP. Uriarte, da Raposa, foi eleito o melhor jogador da partida.

O tie-break foi uma história a parte. O time visitante saiu na frente e parecia que iria levar a melhor, entretanto, empurrado pela torcida, os paulistas conseguiram buscar a virada. A reta final foi marcada por duas viradas e o Cruzeiro fechando a porta duas vezes para Lipe para conseguir o match point e ganhar o jogo.

As duas equipes voltam a se enfrentar no domingo, dia 6 de maio, às 9h10 (de Brasília), no Ginásio Mineirinho, em Belo Horizonte (MG).

O jogo

Após um começo tenso, com as equipes cometendo alguns erros, o Cruzeiro começou a crescer na partida com um excelente bloqueio e com Leal e Evandro se destacando. Com o placar em 9 a 4 para o time mineiro, o Sesi-SP pediu tempo. Aos poucos a equipe paulista começou conseguiu melhorar, sendo ancorada por Lucão e Lipe, e, com isso, encostando no placar.

A equipe comandada por Rubinho pecou nos momentos decisivos do primeiro set. Depois de empatar em 19 a 19, o time visitante conseguiu abrir dois pontos de vantagem. Um dos momentos chave foi quando Marcelo Mendez desafiou lance, acertou ao ver um toque do bloqueio e impediu a virada dos mandantes. A parcial terminou com um saque para fora e placar de 25 a 23 para a Raposa.

O segundo set do jogo começou mais equilibrado, entretanto o Cruzeiro aproveitou o bloqueio para abrir uma pequena vantagem e fazer 6 a 3. A equipe mineira conseguiu manter essa margem de ponto até, no melhor rally do jogo até o momento, o Sesi-SP empatar em 12 a 12. Com os paulistas pressionando, Leal voltou a aparecer para ajudar a Raposa a abrir 16 a 12.

O time da casa voltou a empatar com Lipe explorando o bloqueio e o placar ficando em 17 a 17, mas um toque na rede no ponto seguinte manteve os cruzeirenses na frente. A virada do time de Rubinho veio após saque e um belo bloqueio feito pelos paulistas, forçando Marcelo Mendez pedir tempo.

Os mandantes chegaram a abrir 21 a 19, no entanto Evandro e Uriarte após uma jogada com grandes defesas deixaram o jogo empatado em 21 a 21. Depois de saque na rede de Simon, Evandro foi inteligente para bater o bloqueio triplo e, com um bloqueio, o Cruzeiro virou para 23 a 22. Rubinho pediu tempo e seus comandados voltaram bem, conseguindo impedir um set point e tendo a chance de fechar a parcial (25 a 24) após grande bloqueio de Douglas Santos e Lucão. Apesar de Isac ter empatado o jogo, ele sacou para fora em seguida e um toque na rede deu a vitória aos paulistas na parcial por 27 a 25.

A terceira parcial foi toda com as duas equipes alternando pontos, sendo que, na maior parte do tempo, o Cruzeiro marcava primeiro e o Sesi-SP empatava. A ordem dos pontos mudou após Douglas Souza fazer deixadinha e fazer 18 a 17 para o time da casa. Com nova deixadinha, dessa vez de Alan, os paulistas fizeram 21 a 19, no entanto a vantagem de dois pontos zerou quando Leal apareceu como um verdadeiro paredão para a parcial ficar em 22 a 22.

A equipe mineira voltou bem depois de tempo pedido pelos mandantes e conseguiu virar (24 a 23) após ace de Simón. Após o empate dos paulistas, os comandados de Marcelo Mendez sobreviveram a um ótimo saque de Lipe e fizeram 25 a 24 com Leal. O set fechou em seguida com um bloqueio de Isac.

O time de São Paulo começou bem a quarta parcial, abrindo três pontos de vantagem (6 a 3) e, apesar do time cruzeirense ter buscado o empate, os comandados de Rubinho voltaram a abrir vantagem (13 a 9). Aproveitando a diferença de pontos, o time da casa foi levando o set e mantendo a diferença de pontos. Se apoiando em Simón, Evandro e Leal, a Raposa buscou o empate em 18 a 18.

A vantagem no placar foi para os cruzeirenses após Isac conseguir corte e o bloqueio mandar a bola para fora (21 a 20). No entanto, a equipe paulista retomou a liderança após Leal errar um saque e Evandro ser bloqueado em um rally. Um ace de Alan e uma bola fora de Felipe deram o triunfo para o Sesi-SP por 25 a 22. Os jogadores da Raposa reclamaram de como foi feito o desafio do último lance da parcial, mas o juiz não mudou a chamada.

A equipe mandante até marcou o primeiro ponto do tie-break, mas os cruzeirenses reagiram após abrir 2 a 1 com um ponto ganho no desafio, Uriarte fazer um ace e um bloqueio parar o ataque adversário. Os comandados de Rubinho encontraram alguma dificuldade por, em três oportunidades, marcarem o ponto e, em seguida, sacarem na rede ou fora da quadra. Após esses erros e bloqueio de Isac, a Raposa vencia por 8 a 4 e o jogo parou para os times mudarem de lado de quadra e, em seguida, Sesi-SP pedir tempo.

Os mandantes voltaram bem da pausa e, ao grito de “eu acredito” por parte da torcida, conseguiram anotar três pontos seguidos, deixando o jogo em 8 a 7 e forçando Marcelo Mendez parar a partida. O empate saiu em um belo bloqueio de Lucão e, em seguida, Lipe veio na deixadinha para fazer 9 a 8 para o Sesi-SP.

Apesar do momento do jogo ter ido para o time mandante, o Cruzeiro chegou a abrir dois pontos de vantagem (11 a 9), que rapidamente desapareceram com duas boas jogadas do Sesi-SP. Entretanto, um saque errado voltou a dar a liderança no placar para a Raposa (12 a 11), que ampliou a diferença fechando a porta para Lipe duas vezes (14 a 11). Alan fez um bom corte para manter a partida vida. Leal foi o responsável por fazer o ponto da vitória.


Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.