Garcilaso fica no 0 a 0 com o Nacional e facilita vida do Santos

(Foto: CRIS BOURONCLE/AFP)
O Real Garcilaso recebeu o Nacional na noite desta terça-feira, em seu último jogo do primeiro turno da fase de grupos da Libertadores, no estádio Garcilaso de la Vega, em Cusco, no Peru. Apesar da vantagem de atuar na altitude, os donos da casa foram surpreendidos pelos uruguaios no primeiro tempo, que comandaram as ações ofensivas e pareceram não ter sentido o ar rarefeito. Na etapa complementar os peruanos acabaram melhorando, mas a reação não foi suficiente para evitar o empate em 0 a 0.

O resultado favoreceu o Santos, que com um empate contra o Estudiantes, nesta quinta-feira, na Argentina, permanecerá na zona de classificação do Grupo 6, já que o Garcilaso, com quatro pontos, tem  saldo de gol inferior ao do Peixe.

O jogo – Quem pensava que o Real Garcilaso teria o mesmo sucesso na altitude de Cusco que teve contra o Santos, na estreia da Libertadores, se enganou. O time peruano sentiu a ausência de Dulanto na defesa e teve de se conformar com um adversário mais livre para também agredir os donos da casa.  Aliás, só deu o time uruguaio no primeiro tempo.

De Pena foi quem desperdiçou a grande chance do Nacional nos 45 minutos iniciais. Aos 38, pouco antes de ir para o intervalo, o time uruguaio carimbou a trave do Real Garcilaso com De Pena, que aproveitou a sobrea da ótima jogada de Gino Peruzzi para completar na saída do goleiro, mas não acabou não contando com a sorte.

Já no segundo tempo o Real Garcilaso parecia mostrar que a conversa no vestiário surtiu efeito. Logo aos oito minutos os donos da casa quase saíram na frente com Vidales, que já havia marcado um gol contra o Santos. O atacante, no entanto, mandou para fora ao cabecear livre dentro da área, decepcionando a torcida na altitude de Cusco.

Apesar de se lançar mais ao ataque na etapa complementar, o Real Garcilaso pouco criava. As jogadas pelas laterais eram a saída do time peruano, que pecava no setor de criação e ia facilitando a tarefa do Nacional: segurar o ímpeto do adversário na altitude, algo tão temido pelos times brasileiros que sobem as montanhas dos países andinos

A 15 minutos do fim, o Real Garcilaso teve outras três boas oportunidades para sair de campo com a vitória, contudo, pecou nas conclusões. Assim, coube aos peruanos se contentarem com a conquista de um ponto em seus domínios e deixarem o Santos mais confortável para o duelo com o Estudiantes marcado para esta quinta-feira.

Libertad x The Strongest – O Libertad também entrou em campo na noite desta terça-feira e, ao contrário do Real Garcilaso, não decepcionou seus torcedores que compareceram ao Nicolás Leoz para acompanhar o duelo. Com dois gols de Leiva e um de Baez Mendoza, o time paraguaio superou o The Strongest, da Bolívia, por 3 a 0, em confronto dos até então líderes do Grupo 3 da Copa Libertadores.

Com o resultado, o Libertad se isolou na ponta da tabela, com seis pontos, e segue em situação confortável na chave, que ainda conta com Peñarol, do Uruguai, e Atlético Tucumán, da Argentina.


Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.