Sergipe administra vantagem, segura empate com o Itabaiana e é campeão sergipano

Itabaiana faz ótimo primeiro tempo, pressiona mas perde muitas chances. Na etapa complementar, Colorados equilibram, perdem pênalti com Nino Guerreiro e jogo fica no 0 a 0

Foto:Bruno Cerqueira
Daqui a 10...15...20 anos, o título de 2018 será lembrado como o da superação por torcedores, atletas, comissão técnica e diretoria do Sergipe. Em janeiro, quem poderia imaginar que o clube que iniciou a temporada sem presidente, com pouco dinheiro e um elenco curto poderia reverter todos os prognósticos e sagrar-se o grande campeão sergipano? Pois é, a história foi exatamente essa. O Gipão foi campeão com sobras na fase classificatória. Teve classificação heroica no hexagonal e conseguiu administrar a vantagem que tinha para a final contra o Itabaiana. Na tarde deste sábado, na Arena Batistão, a equipe que jogava pela igualdade no marcador empatou por 0 a 0 e levou a taça.

PRIMEIRO TEMPO
Nos primeiros minutos o jogo foi bastante estudado. Os dois times se arriscando muito pouco. Mas houve chances dos dois lados. A melhor oportunidade do time colorado foi em um cruzamento rasteiro da esquerda em que Marinho Donizete furou na pequena área. Porém, aos poucos, o Itabaiana, precisando do resultado, começou a ganhar campo e cresceu bastante no jogo. Não demorou muito e o Tremendão dominou todas as ações e só não abriu o placar porque mais uma vez Jean operou milagres. O Tricolor encontrou um caminho pelo lado esquerdo e por ali foi muito produtivo nas bolas aéreas. Foram diversas oportunidades mas nenhuma aproveitada. Uma das melhores foi quando Ratinho cobrou escanteio, Macaíba cabeceou em cheio e Jean fez uma defesa sensacional. Com isso, a primeira etapa terminou com empate sem gols.

SEGUNDO TEMPO
Na etapa complementar, o técnico Elias Borges fez algumas mudanças no time e o Sergipe conseguiu ser mais efetivo na marcação e equilibrar as ações. A partir daí o jogo foi lá e cá, movimentado e com as duas equipes se revezando nas jogadas ofensivas. Houve uma grande polêmica com a arbitragem quando Igor Alves caiu na área e o árbitro entendeu que o atleta simulou e aplicou um cartão amarelo. Logo em seguida, Marquinhos do Sul também caiu na área e desta vez o alagoano Chicão assinalou a penalidade. Nino Guerreiro foi para a cobrança. Era a chance de se consagrar e colocar o Gipão na frente. Porém, o artilheiro colorado mandou para fora, por cima do gol. Depois disso a partida continuou movimentada, mas sem nenhum gol, empate suficiente para que o time da capital confirmasse o título.

As duas equipes já se garantiram na Série D e na Copa do Brasil do ano que vem. E com o título estadual, o Sergipe vai para a Copa do Nordeste.

O Grande heroi do título do Sergipe foi Jean, que fez duas partidas magistrais na decisão. No primeiro jogo, operou dois milagres. E na finalíssima também salvou o Sergipe por várias vezes, sobretudo no primeiro tempo.

Fonte:Globo Esporte
Tecnologia do Blogger.