Após cinco anos sem Dérbi, Ponte vira sobre o Guarani e vence no Brinco

 (Foto: Divulgação)
Foram cinco anos de saudade e, no reencontro entre Guarani e Ponte Preta, foi a torcida da Macaca (ausente no estádio Brinco de Ouro) quem pôde comemorar. No primeiro Dérbi campineiro desde janeiro de 2013, o de número 191 na história, o time alvinegro venceu de virada por 3 a 2.

A Ponte Preta foi melhor durante todo o primeiro tempo no Brinco de Ouro. Até por isso, o gol bugrino no início da etapa inicial foi uma surpresa, mesmo tendo a colaboração dos visitantes. Após cobrança de escanteio, Éverton Alemão desviou a bola de cabeça e ela bateu em Danilo Barcelos, tirando qualquer chance de defesa de Ivan.

A injustiça pelo futebol apresentado pelos dois times, porém, não durou muito. Aos 22 minutos, Reginaldo empatou de cabeça em escanteio batido por Danilo Barcelos, que se redimiu pelo gol contra.

Com 25 jogados, um escanteio foi novamente decisivo na partida, mas desta vez do lado contrário. Após cobrança do Bugre, a Ponte Preta armou contra-ataque rápido, Cardoso achou Igor na esquerda, e o alvinegro inverteu para André Luis. O atacante mostrou calma, cortou a marcação e bateu com a canhota para estufar as redes.

Na comemoração, Orinho entregou a André Luis a máscara de uma macaca. O objeto é o mesmo usado no Dérbi de 2003 pelo argentino Gigena, que emprestou o item à diretoria da Macaca.

O Bugre, em desvantagem e pressionado pela torcida, tentou atacar e criou lances para tal, mas não conseguiu em nenhum momento controlar o jogo. O lado esquerdo, com Marcílio e Erik, ficou bem aquém do esperado, enquanto Tiago Real e André eram os melhores da Ponte.
Na volta do intervalo, o desenho do duelo não mudou e a Ponte seguiu dona do clássico. Com 10 minutos, Danilo Barcelos fez a jogada pela esquerda e acertou um cruzamento açucarado para André Luís, que anotou seu segundo tento na partida. No lance, há de se destacar a nova falha de Marcílio, que deixou o atacante pontepretano sozinho, e a outra assistência e recuperação de Danilo Barcelos após marcar contra o patrimônio.
Por fim, o Guarani ainda descontou. Com 27 jogados, Nazário cruzou na área e Anselmo Ramon ajeitou para Longuine, que foi derrubado por Renan Fonseca. A arbitragem marcou a penalidade e, na cobrança, Rondinelly balançou as redes.
FICHA TÉCNICA
GUARANI 2 x 3 PONTE PRETA 
Local: Estádio Brinco de Ouro, Campinas (SP)
Data: 05 de maio de 2018, sábado
Horário: 19 horas (Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Jose Eduardo Calza (RS)
Cartões amarelos: Éverton Alemão e Baraka (GUARANI); Renan Fonseca e Danilo Barcelos (PONTE PRETA)
GOLS
GUARANI: Danilo Barcelos (contra), aos 11 minutos do primeiro tempo; Rondinelly, aos 27 minutos da etapa final
PONTE PRETA: Reginaldo, aos 22 e André Luis, aos 25 da etapa inicial; André Luis, aos 10 minutos do segundo tempo
GUARANI: Bruno Brígido; Lenon, Éverton Alemão, Edson Silva e Marcílio; Baraka (Denner), Ricardinho, Rondinelly e Bruno Nazário; Erik (Rafael Longuine) e Bruno Mendes (Anselmo Ramon)
Técnico: Umberto Louzer
PONTE PRETA: Ivan; Igor Vinícius, Renan Fonseca, Reynaldo e Orinho (Júnior Santos); André Castro, Paulinho (Lucas Mineiro), Tiago Real e Danilo Barcelos; André Luis (Roberto) e Felippe Cardoso
Técnico: Doriva

Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.