Boca só empata na Colômbia, mas continua vivo na Libertadores

(Foto: Luis ACOSTA / AFP)
A torcida de Willian, dos palmeirenses e das torcidas das equipes brasileiras presentes na Libertadores ainda não deu certo. Nesta quarta-feira, o sempre favorito e temido Boca Juniors somente empatou por 1 a 1 com o Junior Barranquilla, da Colômbia, no Estádio Metropolitano de Barranquilla, mantendo-se vivo no mais importante torneio sul-americano de futebol.

Com a igualdade, o time de Guillermo Schelotto tem agora seis pontos conquistados no Grupo 8 da competição, ficando atrás do líder Palmeiras, com 10, e do próprio Junior Barranquilla, que chegou na marca de sete pontos, podendo ainda ser alcançando pelos xeneizes.

A próxima rodada, última da fase de grupos da Libertadores, servirá como “tudo ou nada” para o clube argentino, que enfrentará o Alianza Lima em plena La Bombonera, às 21h45 (horário de Brasília) do dia 16 de maio, uma quarta-feira. Por outro lado, o Junior Barranquilla irá lutar pela classificação e, caso o Palmeiras não derrote a equipe peruana nesta quinta-feira, poderá sonhar ainda com a liderança da chave, diante justamente dos alviverdes brasileiros, no mesmo dia e horário, no Allianz Parque.

O jogo – A primeira meia hora de partida foi equilibrada. Enquanto os xeneizes ameaçavam com Tevez (duas vezes) e Pablo Pérez, que chegou a marcar um gol, mas viu seu tento ser anulado por impedimento pela arbitragem, os donos da casa respondiam com finalizações de Piedrahita, Yony González e Teo Gutiérrez.

Aos trinta minutos de jogo, Piedrahita recebeu de costas e levou toque por trás de Fabra, caindo dentro da área da equipe argentina: pênalti marcado pelo juiz do embate. Na cobrança, Luis Ruiz chutou forte, Rossi caiu e fez a defesa, mas a bola bateu na trave e sobrou limpa para o batedor se redimir e concluir em direção ao gol vazio no rebote: 1 a 0.

Depois do tento, o Boca Juniors, precisando do resultado, lançou-se ao ataque. Ao mesmo tempo em que os visitantes assustavam com chute de Reynoso, o Junior Barranquilla achava espaços na defesa rival e fazia o estilo de jogo oposto, esperando o contra-ataque.

No início do segundo tempo, alívio para os xeneizes: depois de uma ligeira pressão, Pavón bateu falta pela lateral do campo. Na tentativa de afastar, Ruiz, autor do primeiro gol da partida, cabeceou para as próprias redes e deixou tudo igual.

O restante da partida foi disputado mais na emoção do que na técnica e tática. Não podendo se dar o luxo de não vencer o duelo, ambas as equipes buscaram o gol. Entretanto, ao apito final do árbitro da partida, o 1 a 1 ficou decretado no marcador, assim como o adiamento na definição do segundo classificado às oitavas de final da Libertadores no Grupo 8.


Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.