Buscando título inédito, Zé Roberto projeta Mundial “extremamente difícil”

(Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)
Depois de disputar a Liga das Nações, a Copa Pan-Americana e o Masters de Montreux, a Seleção Brasileira feminina de vôlei terá como último desafio nessa janela de jogos entre países a disputa e a busca do título inédito do Campeonato Mundial. O treinador Zé Roberto Guimarães previu que o último compromisso do Brasil será “extremamente difícil” e afirmou que este torneio mexe com as jogadoras.

“Acho que quando a gente vai para um Mundial e sabemos que são 14 jogos, é um campeonato extremamente difícil. Fomos vice três vezes e teve bronze em 2014. Já é uma classificação importante, lógico que queremos ganhar. É um campeonato que a gente não tem e mexe com todos nós. Algumas (jogadoras) e eu temos título de campeão mundial por clubes. É o alvo, mas sabemos da dificuldade. O importante é que temos time para brigar de igual para igual”, afirmou o comandante do Brasil.

Para a disputa da Liga das Nações, que substituiu o Grand Prix, Zé Roberto não poderá contar com Natália. Ele lamentou a baixa da ponteira, que poderá integrar o grupo no Mundial dependendo de sua recuperação de lesão no joelho, mas afirmou que o mais importante é a saúda das atletas.

“(A gente) perde (muito) porque é uma jogadora importante. No ano passado, não tivemos a Gabi e ela agora entra. O mais importante é que a gente aproveite esses jogos como preparação. A gente gostaria de ganhar (todos os torneios), mas temos que pensar no bem-estar das jogadoras, nas viagens que faremos e temos que ter muito cuidado, porque, se perdemos uma jogadora, perdemos para o Mundial. Tem que tomar alguns cuidados”, disse o técnico de 63 anos.

Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.