Em dia de entrega da taça, City fica no 0 a 0 com o Huddersfield

(Foto: OLI SCARFF / AFP)
Definitivamente, a partida deste domingo contra o Huddersfield não foi o melhor jogo do Manchester City nesta edição de Campeonato Inglês. Mas nem precisava ser. Com o título inglês já assegurado, os torcedores presentes no Etihad Stadium pouco se importaram com o empate por 0 a 0 no placar.

A grande expectativa desses torcedores – em certos momentos parecia também para os jogadores – era a festa para a entrega da taça, que foi feita após o apito final do árbitro. Outra grande expectativa dos fanáticos pelo City é a possível quebra de recordes importantes na história do Campeonato. Restando mais dois a serem jogados, os citizens podem ter maior número de pontos, de vitórias, de gols marcados em uma mesma edição da competição, melhor saldo da história e a maior vantagem para um segundo colocado do torneio.

Se o jogo não tinha muito valor para os donos da casa, para os visitantes a partida tinha um peso enorme. Com 36 pontos, o Huddersfield luta pela sua permanência na primeira divisão inglesa. Atualmente, a equipe possui três pontos de vantagem sobre o Swansea, porém os galeses ainda tem um jogo a mais para fazer.

O jogo – Apesar de ter maior posse de bola, o Manchester City não foi nem de perto o time arrasador que se apresentou durantes as outras rodadas do Campeonato. Mesmo com o time titular em campo,os citizens foram muito pouco efetivos nas criações de jogadas e não causaram grandes problemas ao problema adversário.

A primeira e única boa chance dos donos da casa nos primeiros 45 minutos veio com De Brune arriscando de fora da área após belo pivô feito por Gabriel Jesus. A bola, porém, acabou sendo defendida sem grandes problemas pelo goleiro adversário aos 34 minutos.

Antes mesmo dessa chance, o Huddersfield já havia chegado duas vezes com perigo no gol defendido por Ederson. Na primeira delas, Pritchard arriscou da entrada da área exigindo uma boa defesa do brasileiro. Na segunda, aos 29 minutos, Löwe entrou na área pela esquerda e finalizou forte, obrigando a mais uma boa defesa do arqueiro brasileiro.

Sem grandes motivações, o City pouco mudou o seu jogo para a segunda etapa. Com grande domínio na posse de bola, a equipe campeã inglesa não se arriscava muito em jogadas mais agudas e criava poucas chances para marcar. Em seu único chute de todo o segundo, o time da casa chegou com Bernardo Silva, porém a finalização do português passou a esquerda do gol.

As chances mais claras do segundo tempo, assim como de toda a partida, saíram em favor dos visitantes. Aos 45 minutos, o atacante Malone aproveitou a bobeira da defesa do City e arrancou sozinho no campo de ataque. No momento da finalização, faltou capricho ao jogador, que chutou em cima de Ederson.


Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.