FIA simplifica aerodinâmica para aumentar ultrapassagens já em 2019

A Comissão da Fórmula 1 aprovou mudanças de última hora no pacote aerodinâmico de 2019 visando facilitar as ultrapassagens, apesar da oposição de várias equipes.

(Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
A FIA publicou nesta terça-feira (1) um documento oficializando uma série de mudanças aerodinâmicas para tornar os carros de F1 menos sensíveis à turbulência, facilitando assim as manobras de ultrapassagens a partir da próxima temporada. Entre elas, estão a adoção de uma asa dianteira simplificada e com maior envergadura, dutos de freio mais simplificados e asa traseira maior e mais profunda. A ideia é que o DRS tenha ainda mais influência nas manobras.

A reunião envolvendo o Liberty Media e a cúpula das equipes da F1 no fim de semana do GP do Bahrein deu resultados. A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) publicou nesta terça-feira (1) um documento no qual confirma uma série de mudanças no regulamento técnico focadas na aerodinâmica dos carros. O principal objetivo é diminuir a sensibilidade dos bólidos em relação à turbulê3ncia e facilitar as manobras de ultrapassagens. As mudanças foram debatidas de forma distinta em relação à pequena revolução prevista para 2021 e vão entrar em vigor já a partir da próxima temporada.

As alterações no regulamento técnico foram aprovadas na última segunda-feira após reunião envolvendo o Grupo de Estratégia, a Comissão da F1 e o Conselho Mundial. Entre as mudanças, aprovadas por voto eletrônico, estão: asa dianteira simplificada e com maior envergadura, dutos de freio dianteiros mais simples e sem aletas e asa traseira maior e mais profunda.


Desde que assumiu o controle da F1 em 2017, o Liberty Media externou sua preocupação com o baixo número de ultrapassagens no esporte, algo que ficou muito mais nítido depois da adoção do novo regulamento técnico, no ano passado, que tornou os carros mais sensíveis à turbulência dos bólidos à frente. Tudo fruto da maior carga aerodinâmica dos modelos.

Diz a FIA que “a votação de ontem veio na esteira de um intenso período de pesquisa sobre as propostas iniciais da FIA, que foram feitas com o apoio do detentor dos direitos comerciais da F1 [Liberty Media] e conduzido pela maioria das equipes. Esses estudos indicaram uma forte probabilidade de um impacto positivo nas corridas e ultrapassagens na F1 e, como tal, agora tiveram a ratificação da sua implementação para 2019”.

A FIA diz também que, além das mudanças aerodinâmicas ratificadas na segunda-feira, continua a avaliar uma série de outras medidas destinadas a incentivar corridas mais parelhas e impulsionar as ultrapassagens na F1.

Dentre as ideias, uma delas é que o DRS [sistema de asa móvel] ganhe um protagonismo ainda maior para aumentar o número de ultrapassagens com a adoção de uma asa traseira maior. Tais mudanças foram discutidas no Bahrein, mas não encontraram unanimidade. 

Ao contrário, a maioria das equipes foi contra, segundo fontes do paddock: enquanto Mercedes, Williams, Force India e Sauber se mostraram a favor, votaram contra Ferrari, Red Bull, Renault, McLaren, Toro Rosso e Haas. A Ferrari tem o direito de veto sobre as mudanças no regulamento.
Tecnologia do Blogger.