Ricciardo comemora “vitória redentora” dois anos após sofrimento em Mônaco

(Foto: Red Bull Content Pool)
Redenção: foi este o sentimento principal de Daniel Ricciardo ao final do GP de Mônaco deste domingo (27), no qual confirmou seu favoritismo que demonstrou de forma absoluta durante todo o final de semana no Principado, liderando todos os treinos livres, as três partes da classificação e de ponta a ponta na corrida.

O australiano enfim quebrou a falta de sorte que carregava desde 2016, quando uma falha nos boxes da Red Bull lhe tirou a vitória em Mônaco. Neste domingo, nem a falta de potência que surgiu em seu carro no meio da prova foi capaz de impedir que ele saísse das ruas monegascas feliz.

"Acho que posso mostrar mais emoções hoje do que ontem. Foram dois anos para chegar aqui, então finalmente sinto que a redenção chegou", declarou Ricciardo após o triunfo.
Ele precisou segurar Sebastian Vettel por mais de metade da corrida, desde que sua Red Bull perdeu força. Mas, no braço, conseguiu não deixar o alemão se aproximar mais do que um segundo na pista. Para dar mais sabor à vitória redentora.

"Tivemos problemas. Tivemos que lidar com muita coisa na corrida. Senti a perda de potência e achei que havia acabado tudo. Terminei usando apenas seis marchas", explicou.

Depois, se soltou de vez na felicidade: "Obrigado à equipe. Conseguimos. Estou radiante. Algumas dúvidas no meio da corrida... Vencemos em Mônaco! Que sensação boa!", finalizou o, agora, terceiro colocado no Mundial de Pilotos.
Tecnologia do Blogger.