Argentina quer derrubar muralha islandesa em estreia na Copa

Seleção argentina treina em Bronnitsy.(Foto:JUAN MABROMATA/AFP)
A Argentina estreia na Copa do Mundo da Rússia neste sábado (10h00 de Brasília), contra a Islândia, com a pressão de ser a favorita e a necessidade de derrubar a muralha defensiva que o pequeno país europeu erguerá para segurar Lionel Messi.

O astro do Barcelona será o ponto central de uma seleção argentina que dará início à campanha na Copa contra um adversário teoricamente mais fraco, uma faca de dois gumes que o técnico Jorge Sampaoli quer evitar a qualquer custo.

Não em vão, o técnico trabalha contra o relógio com a equipe para aperfeiçoar seu jogo de posse de bola, superar as linhas de pressão do adversário e limitar as ações de bola parada, principal arma da Islândia.

"Trabalhamos muito pensando nesse adversário, como atacar e como defender. Com certeza teremos um jogo muito duro, eles se defendem muito bem, de maneira muito compacta", declarou Willy Caballero, que luta pela vaga de goleiro titular da Argentina.

"Precisamos ter paciência. Fazer a bola girar pelos lados para tentar encontrar espaço, para tentar aprofundar com velocidade. Acredito que vai ser um jogo muito travado, no qual vamos ter que controlar a ansiedade também", valorizou por sua vez o também goleiro Nahuel Guzmán.

- O fator Messi -

Messi disputará na Rússia sua quarta Copa do Mundo com um único objetivo: levantar a taça no dia 15 de julho, em Moscou.

O atacante do Barcelona ficou às portas da glória na Copa de 2014, quando a Argentina foi derrotada por 1 a 0 na final por sua tradicional algoz, a Alemanha, que também eliminou a Alviceleste nas quartas de final em 2006 e 2010.

Contudo, Messi "está muito concentrado" e "dando o exemplo", afirmou Caballero, o que é um motivo de grande preocupação para qualquer adversário. A começar pela Islândia.

"Não tenho nenhuma fórmula mágica (para parar Messi). Todos tentaram pará-lo e sempre encontrou um jeito para marcar. É um dos melhores jogadores do mundo. Tudo que fizermos será feito juntos, nos ajudaremos entre nós e tentaremos como equipe", comentou o técnico islandês Heimir Hallgrímsson em coletiva de imprensa.

- Ao ataque -

Sampaoli, conhecedor do estilo de jogo islandês, colocará em campo uma equipe com o ofensivo Eduardo Salvio na lateral direita, em uma demonstração de que a Argentina buscará chegar à linha de fundo com o maior número de jogadores possíveis para furar o bloqueio europeu.

Com Javier Mascherano e Lucas Biglia na retaguarda, Messi, Di Maria e o surpreendente Maximiliano Meza serão os responsáveis pelas jogas de criação e talento no meio de campo, enquanto Sergio Agüero estará esperando sua chance de finalizar na ponta do ataque.

Agüero venceu a concorrência com Gonzalo Higuaín para ser o centroavante titular da Argentina e será responsável pela árdua missão de colocar a bola no fundo das redes adversárias, algo que faltou à equipe nos torneios mais recentes, como nas finais da Copa do Mundo de 2014 e nas Copas Américas de 2015 e 2016.

- Alerta -

Do outro lado do campo, a Argentina encontrará uma Islândia que chegou à Rússia com a expectativa de disputar a primeira Copa de sua história, mas sem complexos, nada a perder e com suas prioridades muito bem definidas.

O técnico Heimir Hallgrimsson apostará na força da defesa, nas jogadas de bola parada e no talento de Gylfi Sigurdsson para iniciar os contra-ataques de uma equipe muito bem trabalhada e pronta para deixar sua marca no Grupo D, no qual também se encontram Croácia e Nigéria.

"Para nós, é o maior jogo de nossas vidas", declarou o meia Rurik Gislason à AFP.

"A Argentina pode ser uma equipe superior no papel, mas já provamos no passado que podemos conseguir bons resultados contra grandes equipes", alertou.

A partida será disputada na Otkrytie Arena, em Moscou, sob as ordens do trio polonês formado pelo árbitro Szymon Marciniak e pelos assistentes Pawel Sokolonicki e Tomasz Listkiewicz.

Prováveis escalações:

Argentina: Willy Caballero - Eduardo Salvio, Nicolás Otamendi, Marcos Rojo, Nicolás Tagliafico - Javier Mascherano, Lucas Biglia - Maximiliano Meza, Ángel Di María, Lionel Messi - Sergio Agüero. T: Jorge Sampaoli.

Islândia: Hannes Halldorsson - Kari Arnason, Birkir Saevarsson, Ragnar Sigurdsson, Ari Skúlason - Jóhann Gudmundsson, Aron Gunnarsson, Emil Hallfredsson - Birkir Bjarnason, Gylfi Sigurdsson - Jon Bödvarsson. T: Heimir Hallgrimsson.
Tecnologia do Blogger.