GP da Hungria: Hamilton vence em Budapeste; Ferrari completou o pódio

 (Foto: Andrej Isakovic/AFP)
Em um GP da Hungria definido pela estratégia e pelo consumo de pneus, a Mercedes soube jogar melhor. Largando da pole-position, Lewis Hamilton administrou a corrida deste domingo (29), superando tanto o desgaste de pneus quanto a ameaça de Sebastian Vettel para vencer pelo segundo fim de semana seguido.

Para triunfar no Hungaroring, Hamilton teve um grande aliado: Valtteri Bottas. O finlandês fez um belo trabalho defensivo e, mesmo com pneus macios gastos, retardou a ultrapassagem de Vettel o máximo possível. Mas a corrida do finlandês foi pelo ralo com seis voltas para o fim: quando Sebastian finalmente ultrapassou, Valtteri tentou dar o troco – e causou um toque. O piloto da Ferrari escapou ileso, enquanto o da Mercedes danificou a asa.

Kimi Räikkönen lucrou em cima do incidente e terminou em terceiro. Bottas ainda terminaria em quinto após se envolver em outro toque, agora com Daniel Ricciardo, quarto. O finlandês da Mercedes errou a freada na curva 1 e atingiu a lateral do australiano. Seguindo instrução da equipe, Valtteri cedeu posição no fim para evitar uma punição.

Pierre Gasly foi o melhor ‘do resto’ e terminou em sexto. A zona de pontos ainda contou com Kevin Magnussen, Fernando Alonso, Carlos Sainz Jr. e Romain Grosjean completaram a zona de pontos.


 (Foto: AFP)
A prova teve três abandonos – todos por problemas mecânicos. Max Verstappen e Charles Leclerc ficaram pelo caminho ainda nas primeiras voltas, enquanto Stoffel Vandoorne quebrou na reta final, quando parecia encaminhar um raro resultado na zona de pontos.

Passado o GP da Hungria, a F1 parte para as férias de agosto. A próxima corrida, o GP da Bélgica, é somente em 26 de agosto.

Com o resultado, Hamilton agora vai para a “mini-férias” da categoria, que só volta no último final de semana de agosto, na liderança absoluta do campeonato de pilotos. O britânico soma, agora, 213 pontos na tabela de classificação.

No circuito de Hungaroring, famoso por não possuir muitos pontos de ultrapassagem, o finlandês Valtteri Bottas fez questão de “segurar” os dois carros da Ferrari na largada e não permitir que estes se aproximassem do pole position Lewis Hamilton, seu companheiro de time. A estratégia e trabalho em equipe da Mercedes funcionou, com o britânico se distanciando do restante do pelotão e Bottas bloqueando os rivais.

Igualmente no início da corrida, o desempenho da RBR, abaixo de sua média no final de semana, consolidou-se. Max Verstappen sofreu com problemas na potência do motor na quinta volta e teve que abandonar a corrida, enquanto Daniel Ricciardo caiu posições na largada e foi obrigado a realizar uma corrida de recuperação. Decepcionante para a equipe que foi bem nos primeiros treinos livres na Hungria.


Sebastian Vettel foi segundo (Foto: AFP)
Com a superioridade das Mercedes na pista, a Ferrari apostou na estratégia de pit stops para tentar “arrancar” algo da corrida. A escuderia italiana, entretanto, vacilou em uma parada de Kimi Raikkonen e em outra de Sebastian Vettel. Com 30 voltas para o final do Grande Prêmio, o alemão encontrava-se na terceira posição enquanto o finlandês era somente o quinto.

Enquanto isso, Hamilton e Bottas faziam suas corridas normalmente. Após a parada de Vettel, o finlandês da Mercedes teve que duelar com o rival pela segunda colocação, já que o piloto da Ferrari voltou de seu pit stop logo atrás de Valtteri.

Com isso, a estratégia e trabalho em equipe da Mercedes teve que novamente ser feito. Enquanto Bottas segurava os rivais, Hamilton sobrava na pista e liderava com sobras.

Entretanto, com leves problemas nos pneus traseiros, o finlandês da Mercedes começou a sofrer pressão intensa de Sebastian Vettel, que era seguido de perto pelo próprio companheiro de equipe, Kimi Raikkonen. Com 10 voltas para o final da corrida, a briga entre os três era boa.

Já perto do final da corrida, Vettel e Raikkonen conseguiram ultrapassar Bottas, com Hamilton já bem à frente. Entretanto, na manobra, Bottas bateu na parte traseira do carro do alemão, ficando para trás. Na quarta colocação, o piloto ainda recebeu pressão de Ricciardo, da RBR, mas uma nova colisão envolvendo o membro da Mercedes não permitiu que o australiano realizasse a passagem. Entretanto, uma ordem da equipe alemã, temendo punição, fez com que Valtteri cedesse a posição para o rival.


Na 70ª volta, Hamilton recebeu a bandeira quadriculada sem problemas e com sobras, assim como ficou sua situação na tabela de classificação de pilotos. As Ferraris, que não tiveram chance de vitória graças ao trabalho em equipe do time rival, completaram o pódio.

GP da Hungria de F1 – Final:

1) Lewis Hamilton (Mercedes)
2) Sebastian Vettel (Ferrari)
3) Kimi Räikkönen (Ferrari)
4) Daniel Ricciardo (Red Bull/TAG Heuer)
5) Valtteri Bottas (Mercedes)
6) Pierre Gasly (Toro Rosso/Honda)
7) Kevin Magnussen (Haas/Ferrari)
8) Fernando Alonso (McLaren/Renault)
9) Carlos Sainz (Renault)
10) Romain Grosjean (Haas/Ferrari)
11) Brendon Hartley (Toro Rosso/Honda)
12) Nico Hülkenberg (Renault)
13) Esteban Ocon (Force India/Mercedes)
14) Sergio Pérez (Force India/Mercedes)
15) Marcus Ericsson (Sauber/Ferrari)
16) Sergey Sirotkin (Williams/Mercedes)
17) Lance Stroll (Williams/Mercedes)
OUT) S.Vandoorne (McLaren/Renault)
OUT) Max Verstappen (Red Bull/TAG Heuer)

OUT) Charles Leclerc (Sauber/Ferrari)
Tecnologia do Blogger.