Ouro na Itália, Etiene Medeiros avalia torneio e momento pós cirurgia

(Foto: Satiro Sodré/SSPress)
Ouro em sua principal prova, da qual é dona do mundo nos 50m costas em piscina curta e longa. Final B para os 50m livre e um recomeço nas provas de 100m. Esse é o saldo de SetteColli, primeira competição internacional da nadadora Etiene Medeiros após cinco meses da cirurgia no ombro direito.

Dia após dia, a pernambucana vai retomando a forma dentro da água e, juntamente com o técnico Fernando Vanzella, vai planejando os passos rumo ao segundo semestre, seu foco principal com o Troféu José Finkel que dará uma vaga no Mundial de Piscina Curta que será disputado no fim do ano na China.

A marca de 27s87 nos 50m costas deixou a nadadora do SESI-SP feliz, bem como seu desempenho nos 50m livre (ficando em quarto lugar na final B). “Foi muito bom, voltar para a casa dos 27s é ótimo. Os 50m costas me dá muito mais confiança para voltar bem. Até por ser campeã mundial, de piscina curta e longa, isso me traz um peso e uma motivação que levo para as outras provas. Nos 50m livre lutei para nadar na faixa dos 25s02 e na final foi um pouco melhor, mas quero mais, ainda tem um longo caminho”, analisou.

Neste sábado (30), na disputa dos 100m livre Etiene Medeiros não foi às finais (nadou para 56s) e sabe que essa retomada será natural neste novo ciclo de treinamento que está começando. “Foi uma prova boa, mas não tão perto do meu melhor.  Fiz a primeira parte muito bem, depois cansei bastante, mas saio dessa competição bem pensativa e também consciente do estado que estou, do meu nível técnico e mental”, acrescentou.

Voltar ao circuito internacional com medalha, bom tempo e boa prova deu à dupla Etiene/Vanzella a certeza de que o planejamento está correto e, a partir do Open da França é afinar estratégias a partir do momento atual que a nadadora se encontra.

“Tenho muita coisa para melhorar, estou consciente de que eu dei o meu melhor. Estou na fase de ter mais paciência comigo, no sentido pós-cirúrgico, de saber o estado em que estou. Essa vinda à Europa é isso, nadar num nível internacional e, ao mesmo tempo, saber qual estado eu estou para saber como será nosso trabalho já pensando no Finkel, visando o segundo semestre. Então, ter saído com uma medalha foi muito bom, mas saio da competição muito mais motivada e feliz por isso”, finalizou.


Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.