Lorenzo ultrapassa Márquez na última volta e confirma terceira vitória seguida na Áustria

Jorge Lorenzo (Foto: Michelin)
O GP da Áustria da MotoGP, neste domingo (12), apresentou um dos mais clássicos pegas dos velhos rivais Marc Márquez e Jorge Lorenzo. Apoteótico nas voltas finais, na realidade. Marc Márquez largou mal, mas recuperou a ponta perdida, e tirou o adversário da frente. E começou a ser pressionado loucamente, até perdesse a ponta. Os dois se alternaram na liderança, mas com uma passada na volta final, Lorenzo desbancou o futuro campeão de 2018.

O líder do campeonato não indicou que era de fato o favorito. Márquez e a dupla da Ducati começaram a abrir caminho em relação ao resto do pelotão, e Lorenzo mostrava ter mais ritmo realmente que Dovizioso. O tricampeão resolveu atacar, então. E passou Márquez, que deu o troco. Pouco depois, Lorenzo ultrapassou novamente e se fixou na liderança.

Um erro de Lorenzo até devolveu Márquez ao primeiro posto, mas por pouco tempo. Por mais que Márquez lutasse, estava evidente que era seu futuro companheiro quem tinha o melhor ritmo. No fim das contas, mais que o suficiente para a terceira vitória da temporada.

Andrea Dovizioso terminou a prova relativamente próximo aos dois, mas não teve como manter o ritmo dos minutos finais. Voltou ao pódio, de qualquer forma. Bem distante do trio, Cal Crutchlow enfileirou a terceira moto da Ducati no top-4 e com a boa vantagem para Danilo Petrucci, o quinto colocado.

Valentino Rossi fez muito em chegar na sexta colocação após largar em 14º e tirar bons segundos que tinha para Álex Rins. Rins foi o oitavo, com ainda Dani Pedrosa entre si e Rossi. Johann Zarco e Álvaro Bautista fecharam o top-10. Maverick Viñales foi somente o 12º.

Saiba como foi o GP da Áustria da MotoGP:

Jorge Lorenzo
A MotoGP foi a última classe a ir para a pista neste domingo. Quando os pilotos estavam alinhados no grid, o céu estava limpo com o sol brilhando e a temperatura subindo, atingindo 26ºC e o asfalto atingido 40ºC.

Marc Márquez foi quem largou da pole-position no Red Bull Ring, a 49ª de sua carreira. Saindo da posição de honra do grid, o espanhol da Honda buscava conquistar sua primeira vitória no circuito austríaco.

Largando ao seu lado vinha Andrea Dovizioso. O italiano da Ducati classificou-se 0s002 atrás do #93, o que classificou como o 1-2 mais apertado da MotoGP desde o GP da Alemanha de 2003, quando Jeremy McWilliams ficou com a pole por 0s002 de Max Biaggi.

Jorge Lorenzo fechava a primeira fila em Spielberg. Foi a quarta vez em 2018 que o espanhol começava a corrida no top-3, uma vez a mais do que em seu 2017 inteiro.

Com Dovizioso, Lorenzo e Danilo Petrucci nas segunda, terceira e quarta posições, respectivamente, foi a primeira vez na MotoGP que a marca italiana colocou três pilotos dentro do top-4.

Quando a largada foi liberada no circuito austríaco, Dovizioso logo já pilou para a ponta, com Márquez em segundo e Crutchlow em terceiro. Entretanto, em grande lance, Lorenzo ultrapassou o trio para pular para a primeira colocação.

Nisso, Rins tentava se colocar na briga pelas posições da ponta. A ordem era Lorenzo, Márquez e Dovizioso. Com todo mundo junto, as posições atrás do pódio estavam em constante mudança, com Cal e Álex próximos do trio.

Então, na saída da curva 4 para a 5, o #93 deu o bote em cima do espanhol da Ducati para assumir a primeira colocação da corrida. Quem vinha em terceiro era Crutchlow, com Rins completando o top-5 após a primeira volta.

Os três competidores da ponta estavam em estratégias completamente diferentes no quesito de pneus. Enquanto Márquez apostou em médio dianteiro e duro traseiro, Lorenzo foi de dois macios e Dovizioso optou com dois médios.

Enquanto as Honda e as Ducati mostravam força no Red Bull Ring, as Yamaha seguiam a tônica do final de semana e sofriam na corrida. Apesar de Valentino Rossi aparecer em décimo após três voltas, Maverick Viñales havia caído para 16º, fora da zona de pontos.

Faltavam 22 voltas para a bandeira quadriculada tremular em Spielberg e Marc seguia confortável na vantagem, com Lorenzo em segundo, Dovizioso, Crutchlow e Petrucci completando o top-5.

Com 14 giros para o encerramento da corrida, as posições estavam bastante mantidas na tabela. Márquez sustentava uma vantagem de 0s505 para Lorenzo, que agora começou a ter de se defender dos ataques de Dovizioso, que se aproximou do companheiro.

Aproximando-se do fim, o espanhol da Ducati chegou no titular da Honda. Quando foi tentar fazer a ultrapassagem, viu a porta ser fechada e ainda cometeu um erro que quase permitiu que o #4 o superasse.

Mas não demorou muito e no início do giro seguinte o #99 conseguiu consumir a ultrapassagem. Entretanto, em um lance bastante ousado, o líder do campeonato colocou para cima do competidor de Mallorca, quase tocou em sua moto e retomou a ponta.

Mas não duraria muito a sua liderança, pois Jorge tomaria novamente a primeira colocação. Com 19 voltas completadas, a aposta de pneus macios do Lorenzo vinha se mostrando acertada, com o asfalto batendo 44ºC naquele ponto.

Atrás do trio, as posições se mantinham quase as mesmas. Crutchlow estava mais de 6s de desvantagem na quarta colocação, com Petrucci, Rins, Rossi, Pedrosa, Rabat e Zarco completando o top-10.

Faltavam três voltas para a bandeira quadriculada e de forma bastante inteligente, Márquez viu no erro de Lorenzo a oportunidade para ultrapassar. Pouco depois, Jorge retomou a ponta enquanto Marc protagonizou uma grande salvada.

O #93 não estava satisfeito apenas com a segunda colocação e na abertura da 26ª volta, o líder do campeonato deu o bote em cima do titular da Ducati, que foi obrigado a recolher e ver o adversário o superar.

A briga estava quente no Red Bull Ring, com o asfalto bastante escorregadio e então, na abertura do último giro, Lorenzo passou, mas acabou abrindo demais alguns metros na frente e Marc tentou aproveitar, passou, mas foi superado novamente.

No último setor, o competidor de Cerverá bem que tentou superar o piloto de Mallorca, mas sem sucesso. Com guiada excepcional, o espanhol conquistou sua terceira vitória do ano. Dovizioso completou o pódio do dia.

Em grande corrida, Crutchlow foi quem cruzou a linha de chegada em quarto, com Petrucci em quinto. Em prova de recuperação, Rossi foi o sexto, com Pedrosa, Rins, Zarco e Bautista completando o top-10.
Tecnologia do Blogger.