Médico nega “privilégio” de Niki Lauda na fila do transplante de pulmão

Aos 69 anos, Lauda ainda arca com as consequência de uma acidente na F1 sofrido em 1976 (Foto: AFP)
Tricampeão da Fórmula 1, Niki Lauda segue internado no Hospital Geral de Viena após passar por um transplante de pulmão há três dias. Em meio à sua recuperação, uma polêmica foi gerada. Surgiram questionamentos sobre um possível “privilégio” do ex-piloto na fila do transplantes devido a sua fama.

O cirurgião responsável pelo caso, Walter Klepetko, porém, negou a acusação e explicou que o austríaco inclusive esperou uma semana para poder realizar o procedimento cirúrgico e que o caso havia se tornado de “de máxima urgência”.

“Se alguém de repente chega à prioridade máxima para o transplante de pulmão, a doação de órgãos é feita com a maior urgência. Não havia outra opção. Sempre incomoda que isso possa ser levado para o fator celebridade. São fatores realmente objetivos. Você precisa superar isso e entender que o senhor Lauda tem o mesmo direito dos outros pacientes”, disse o médico.

Além disso, Klepetko também comentou sobre a recuperação de Lauda, que apesar de sedado e sob respiração mecânica, apresenta prognóstico positivo:” No momento, tudo está acontecendo como planejado. Um paciente jovem pode receber alta após duas ou três semanas, enquanto que, para um paciente mais velho, a convalescença é mais longa. É importante que seja um processo tranquilo e que o paciente seja retirado dessa situação difícil”.

Atual diretor não executivo da Mercedes, Lauda estava de féria em Ibiza, na Espanha, quando contraiu uma forte gripe a acabou sendo internado em Viena. Num primeiro momento, ele recebeu apenas o tratamento convencional, porém seu quadro se agravou e exigiu o transplante de pulmão.


Fonte:Gazeta Esportiva
Tecnologia do Blogger.