Atlético-GO vence, complica situação do Boa Esporte e cola no G4 - Atividade Esporte News
⚽Notícias

27 outubro 2018

Atlético-GO vence, complica situação do Boa Esporte e cola no G4

Foto: Reprodução/PFC
Um duelo de opostos agitou o sábado de Série B. Pela 33ª rodada da competição, o lanterna Boa Esporte recebeu o Atlético-GO em Varginha (MG) e não conseguiu emplacar a segunda vitória seguida, sendo derrotado pelo placar de 2 a 0.

Com o resultado, o Boa segue na última colocação com 29 pontos conquistados e perde a chance de se aproximar dos adversários que vem logo à frente na zona do rebaixamento. Do outro lado, o Atlético vai a 51 pontos e cola no G4, ficando com dois pontos a menos que o quarto colocado Goiás.

O Boa volta a campo no próximo sábado, quando vai ao Rei Pelé encarar o CRB, às 16h30 (de Brasília). No mesmo dia, às 17h (de Brasília), o Atlético-GO também entra em ação e terá uma pedreira pela frente: recebe em seus domínios o líder Fortaleza.

O Jogo

Os primeiros minutos da partida foram bastante mornos e lentos. As equipes trocavam passes, mas pouco produziam. A única boa chance do começo do jogo foi aos 10 minutos, quando Júlio César bateu de longe e carimbou a trave. No rebote, Thiago Santos mandou para o fundo do gol, mas o juiz marcou posição de impedimento do jogador do Atlético-GO.
A partida só foi ficar mais movimentada na metade da primeira etapa, quando o Boa subiu de produção e pressionou os visitantes. Aos 26 minutos, polêmica em campo depois de Alyson cobrar falta na área e no desvio, ela bater no braço do zagueiro Oliveira. O árbitro, porém, só mandou seguir.
Cinco minutos depois, mais uma boa chegada do time da casa, quando Alyson recebeu pela esquerda e bateu no gol. A bola quicou e Klever conseguiu desviar com a cabeça para escanteio antes de a bola quase passar por ele e balançar a rede.
Na sequência, o jogo esfriou novamente e voltou a ficar sem emoções. Pouco antes do intervalo, aos 43, Renato Kayzer deu lindo drible em Rafael Jensen, mas não pegou em cheio na hora de bater. Mesmo assim, a bola levou perigo e passou perto da trave direita do Boa.
A segunda etapa começou mais agitada que a primeira e o gol não demorou para sair. Aos seis minutos, Renato Kayzer aproveitou e subiu sozinho para cabecear e abrir o placar para o Atlético-GO.
O time da casa precisou reagir rápido para buscar ao menos o empate. E seis minutos depois do gol, desperdiçou boa chance. Bruno Tubarão arriscou de muito longe e mandou uma bomba, que parou em grande defesa do goleiro Klever.
Com o placar aberto, o Atlético-GO apostava mais contra-ataque, enquanto o Boa tentava achar espaços para criar e chegar ao ataque, sendo liderado por Bruno Tubarão, que chamava a responsabilidade.
Aos 27 minutos, mais uma polêmica. Thallyson caiu na área depois de disputa com Oliveira e pediu pênalti, mas o árbitro novamente apenas mandou seguir.
No fim da partida, o segundo gol dos visitantes estava mais perto do que o de empate dos anfitriões. E foi exatamente o que aconteceu. Depois de desperdiçar boa chance aos 36, aos 40, André Luis não perdoou e mandou para o fundo do gol, decretando o triunfo.
O Boa, porém, não se dava por satisfeito e por muito pouco não diminuiu a diferença. Aos 44, após bate rebate na área, o gol ficou praticamente aberto para o Boa, William Barbio ficou com a sobra e finalizou, mas a bola explodiu no travessão.
FICHA TÉCNICA
BOA ESPORTE X ATLÉTICO-GO
Local: Estádio Melão, em Varginha (MG)
Data: 27 de outubro de 2018
Horário: 16h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (DF)
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade e Caio Chaban Junqueira, ambos do DF
Cartões amarelos: Júlio César, Fernandes, Klever, João Paulo (Atlético-GO)
GOLS: ATLÉTICO-GO: Renato Kayzer, aos seis minutos do segundo tempo e André Luis, aos 40 minutos do segundo tempo
BOA ESPORTE: Fabrício; Djavan, Rodrigão, Rafael Jenses e Alyson; Machado (William Barbio), Cloves (Aldo) e Bruno Tubarão; Manoel e Daniel Cruz (Douglas Baggio) e Thallyson.
Técnico: Tuca Guimarães
ATLÉTICO-GO: Kléver; Alisson, Lucas Rocha, Oliveira e Jonathan; Pedro Bambu, Rômulo (Fernandes) e João Paulo; Júlio Cesar, Thiago Santos (Denílson) e Renato Kayser (André Luis)
Técnico: Wagner Lopes
Fonte:Gazeta Esportiva
 
Back To Top