Cruzeiro vence o Minas no tie-break e mantém soberania no Mineiro de Vôlei - Atividade Esporte News
⚽Notícias

13 outubro 2018

Cruzeiro vence o Minas no tie-break e mantém soberania no Mineiro de Vôlei

Time celeste venceu os minas-tenistas por 3 sets a 2, neste sábado

Em decisão emocionante contra o velho rival Minas, o Cruzeiro manteve sua hegemonia no Campeonato Mineiro Masculino de Vôlei e conquistou, neste sábado, o nono título consecutivo da competição. Na finalíssima, disputada no Ginásio do Riacho, em Contagem, o time celeste derrotou os minas-tenistas por 3 sets a 2. As parciais foram de 33/31, 20/25 e 25/19 e 23/25 e 15/12.

Com o raro eneacampeonato, o Cruzeiro confirma sua soberania recente no voleibol mineiro. Desde 2010, o time celeste conquistou todas as edições, sempre sobre o Minas.

Por consequência, o Minas aumentou seu jejum estadual para 11 anos. A última conquista do clube no Mineiro foi em 2007. Betim (antes de se tornar Cruzeiro), em 2008, e Montes Claros, em 2009, foram os últimos vencedores antes da série de nove troféus cruzeirenses.

Campanha

Antes de bater o Juiz de Fora na semifinal e confirmar o título sobre o Minas, na decisão, o Cruzeiro havia terminado a fase de classificação como líder, com 16 pontos. Foram cinco vitórias e apenas um revés na etapa inicial do Mineiro, justamente para o rival Minas, por 3 sets a 2. 

Medalha de bronze

Na decisão do terceiro lugar, o Lavras Vôlei derrotou o Juiz de Fora Vôlei por 3 sets a 0 (22/25, 22/25 e 20/25) e ficou com a medalha de bronze. Graças a uma parceria com o Cruzeiro, o time de Lavras disputará este ano a Superliga C. Por sua vez, o JF Vôlei jogará a Superliga B depois de terminar a última edição do torneio de elite na penúltima posição.

Próximos desafios

Agora, o Cruzeiro volta as atenções para a Supercopa, que reúne os campeões da última Superliga e da Copa Brasil. No dia 20 de outubro, o clube celeste receberá o Sesi, às 20h30, no Ginásio do Riacho. A estreia na Superliga será no dia 26 de outubro, às 20h, contra o Vôlei Um, em Itapetininga, no interior de São Paulo.  No dia 27, às 18h, o Minas visita o Corinthians, em Guarulhos, também em solo paulista.

Primeiro Set

O técnico Marcelo Mendez optou por deixar o oposto Evandro no banco de reservas, apostando em Luan Weber para o setor. O ponteiro Filipe e o central francês Le Roux, reservas na semifinal, também começaram jogando. O recém-contratado ponteiro norte-americano Taylor Sander, de 26 anos, ainda está em fase de exames clínicos e laboratoriais e não foi relacionado para a decisão deste sábado.

A partida começou com o ponteiro Piá fazendo estrago em sua passagem pelo saque do Minas. Com um ace e vários passes quebrados pelo lado adversário, o Minas abriu 4 a 0 na parcial, fazendo com que o técnico Marcelo Mendez parasse a partida. A maior bronca do argentino era com o levantador Cachopa. O treinador também optou por trocar Luan por Evandro. Os minas-tenistas se beneficiaram diversas vezes do desafio de vídeo, sobretudo no saque. Com 16/8 no placar, a equipe da Rua da Bahia ficou confortável na partida. 

O conforto acabou quando o Cruzeiro encaixou o bloqueio e alinhou a defesa. Além disso, a passagem de Leozinho pelo saque foi bastante benéfica. Com dois aces seguidos do ponteiro, a Raposa ficou na cola do Minas no placar, com 22/23. Os minas-tenistas passaram a pecar na ansiedade, com três infrações consecutivas. A arbitragem passou a ser pressionada pelos dois times na reta final, mesmo com o auxílio dos desafios. Mendez, então, acionou Luan Weber novamente e deu resultado: o oposto fechou a parcial em impressionantes 33/31: 1 a 0 Cruzeiro.

Segundo Set

Apagado no primeiro set, Le Roux aos poucos foi entrando na partida. O francês ajudou o bloqueio triplo do Cruzeiro a fechar as portas do Minas no começo da segunda parcial (4/3). O clima esquentou quando Rodriguinho atacou e a bola resvalou em um dos dedos de Pingo. O time celeste pediu desafio, que não indicou o toque, apesar de a imagem apontar o contrário. O técnico Marcelo Mendez, por reclamação, recebeu o cartão vermelho, fazendo com que o Minas abrisse dois pontos de vantagem (10/12).

O bloqueio de Flávio para cima de Filipe foi o estopim de Marcelo Mendez para colocar Sandro no lugar de Cachopa, que não conseguiu render o esperado no Cruzeiro. Naquela altura, a Raposa perdia por 14/17. O técnico argentino também promoveu a entrada de Evandro, na vaga de Luan, para tentar virar a parcial, mas a ‘parede’ minas-tenista era sinônimo de sucesso no Riacho. Restou para Bob explorar o bloqueio cruzeirense e fechar a parcial em 25/20 Minas: 1 a 1.

Terceiro Set

Cruzeiro e Minas iniciaram o terceiro set concentrados. Poucos erros. Mas o bloqueio encaixou e ajudou a Raposa abrir dois pontos de vantagem no placar (8/6). Mesmo no prejuízo no placar da parcial, os minas-tenistas fizeram um duelo equilibrado, mas na parte final acabou cometendo vários erros, sobretudo de saque, e o clube celeste abriu seis pontos (22/16), encaminhando a vitória no set. O erro de Davy garantiu a vitória azul e branca por 25/19: 2 a 1 Cruzeiro.

Quarto Set

O início da quarta parcial foi marcada pelo equilíbrio entre os bloqueios, que se mostravam afiados. Isso era refletido no placar (10/10). O Minas se mostrava consistente em quadra e abriu três pontos de vantagem sobre o Cruzeiro (16/19). Le Roux até apareceu para fazer a diferença em favor do clube celeste, mas Davy, na quadra adversária, deu fim ao ímpeto cruzeirense e fechou a parcial em 25/23 Minas, empatando o jogo em 2 a 2.

Tie-break

O bloqueio do Minas se mostrou implacável no começo do set, fazendo o time abrir dois pontos de vantagem no placar. Isac, então, fez a diferença para o Cruzeiro nas bolas de meio, e um erro de ataque adversário iniciou a virada do clube celeste (5/4). A torcida, então, passou a cantar mais alto nas arquibancadas do Riacho. Era o combustível que Le Roux precisava para mostrar seu poder decisivo em sua passagem pelo saque.

Por outro lado, o Minas vendia caro a derrota. O time de Nery Tambeiro fez uma partida regular, mas os pequenos erros no último set pesaram contra. Pesou também a mão de Luan, na pancada contra o bloqueio minas-tenista. O ponto garantiu o eneacampeonato ao Cruzeiro: 3 a 2.

Cruzeiro
Cachopa, Luan, Le Roux, Isac, Rodriguinho, Filipe, e o líbero Serginho
Entraram Sandro, Evandro e Leozinho
Técnico: Marcelo Mendez

Minas
Marlon, Davy, Bob, Piá, Flávio, Pingo, e o líbero Maique (Rogerinho)
Entraram Carísio, Felipe Roque, Rafael e Honorato
Técnico: Nery Tambeiro

Jogos do Campeonato Mineiro Masculino

Fase de classificação

7/9 - JF Vôlei 0 x 3  Cruzeiro (21/25, 16/25, 17/25)
9/9 - JF Vôlei 1 x 3  Minas (25/23, 19/25, 17/25 e 18/25) - UFJF
11/9 - Minas 3 x 0 JF Vôlei (25/17, 25/17 e 25/14)
13/9 - Minas 3 x 1 Lavras Vôlei (23/25, 25/21, 25/22 e 25/17)
15/9 - Minas 3 x 2 Cruzeiro (22/25, 25/19, 25/17, 20/25 e 15/11) 
17/9 - Lavras Vôlei 1 x 3  Minas (22/25, 20/25, 27/25 e 17/25)
19/9 - Lavras Vôlei 3 x 1 JF Vôlei (25/18, 25/27, 25/17 e 25/18)
21/9 - Lavras Vôlei 0 x 3  Cruzeiro (20/25, 19/25 e 18/25)
27/9 - JF Vôlei 0 x 3 Lavras Vôlei (22/25, 17/25 e 17/25)
3/10 - Cruzeiro 3 x 0 JF Vôlei (25/19, 25/19 e 25/19)
5/10 - Cruzeiro 3 x 0 Lavras Vôlei (25/17, 25/21 e 25/24)
9/10 - Cruzeiro 3 x 0 Minas (25/23, 25/22 e 25/19)

Semifinais 

12/10 – Minas 3 x 1 Lavras Vôlei (25/19, 22/25, 25/15 e 25/20)
12/10 – Cruzeiro 3 x 0 JF Vôlei (25/22, 25/19 e 25/21)

Decisão do 3º lugar

13/10 – JF Vôlei 0 x 3 Lavras Vôlei – Ginásio do Riacho

Final

13/10 – Cruzeiro 3 x 2 Minas – Ginásio do Riacho


Fonte:Super Esportes
 
Back To Top