Hamilton não dá chance e é favorito. Vettel vacila e só se vê na briga por milagre - Atividade Esporte News
⚽Notícias

19 outubro 2018

Hamilton não dá chance e é favorito. Vettel vacila e só se vê na briga por milagre

O primeiro dia de treinos livres da F1 em Austin viu um domínio fácil de Lewis Hamilton com pista molhada. O inglês, é bem verdade, andou pouco, mas forte. Ninguém o alcançou, o que significa que o penta está mesmo muito próximo. Mais uma vez, Sebastian Vettel facilita a vida do oponente. Uma punição vai fazer o alemão perder três posições no grid e, talvez, a chance de uma briga por vitória
Lewis Hamilton (Foto: Beto Issa)
Foi uma sexta-feira (19) de pouca ação no Circuito das Américas. A chuva torrencial que assolou a pista durante os dois treinos livres limitou o trabalho das equipes e atrapalhou qualquer tentativa de avaliação de peças novas. Mas uma coisa não mudou: o desempenho de Lewis Hamilton. O inglês não encontrou nenhuma dificuldade para liderar as duas sessões – com folga, sendo mais de 1s mais rápido que seus rivais. A performance, claro, já coloca o britânico, que está perto do pentacampeonato, como favorito à pole-position de amanhã. Não há muito segredo aí.

A previsão do tempo aponta para mais um dia de muita chuva na região da pista americana, o que quer dizer que a classificação será disputada com pista molhada. E nesta condição só há um homem na briga pela pole: Hamilton vai sair para o Q1 pronto para garantir a primeira fila, o que também o colocará em vantagem para enfim celebrar o campeonato. Lewis trata o fim de semana nos EUA como qualquer outro e parece que não vai dar espaço para uma eventual reação da rival italiana até que tudo esteja devidamente assegurado. Péssima notícia, então, para Maranello. 

E Hamilton ainda deu a dica para a definição do grid: "Os pneus intermediários proporcionaram boa aderência nas condições de pista molhada, mas acho que não duram muito. Dá para usar os intermediários com muita água e será crucial encontrar a fronteira entre eles e os de chuva extrema - quem errar pode perder muito", explicou.

A parte do ‘universo paralelo’ em que vive o #44 e a Mercedes – tanto é verdade que a esquadra sequer mandou Valtteri Bottas à pista no TL2 –, há a Ferrari agora. A equipe italiana vem de um GP do Japão marcado por erros e precisa de uma corrida perfeita para adiar a festa dos adversários. Até por isso os italianos trouxeram para Austin um novo assoalho, além de peças aerodinâmicas novas, mas nada disso pode ser testado de forma adequada, uma vez que a intempérie não deu trégua. É bem possível que a equipe vermelha apresente um desempenho mais forte na corrida de domingo, que deve ser disputada com pista seca, mas antes precisa passar pelo sábado de classificação, que deve ser acontecer no molhado.

Uma vez mais, o time de Maurizio Arrivabene se vê em apuros. Primeiro porque a equipe não se mostrou suficientemente rápida com chuva. O time até tentou manter seus carros na pista por longos stints, especialmente na primeira sessão. Mas nada disso trouxe a performance que desejavam.


"Não há muito o que dizer dos treinos de hoje. Foi a mesma coisa para todos. Não completamos muitas voltas de qualidade, mas ficou claro que, no molhado, não somos rápidos o suficiente", afirmou o #5.

Além disso, Sebastian Vettel tomou uma punição por conta de uma infração durante a bandeira vermelha e vai perder três posições no grid. Se antes a pole era uma das metas do fim de semana, agora ela se torna imprescindível para evitar danos ainda maiores.

Só que até isso parece uma missão impossível para Vettel e a Ferrari, dada o domínio da Mercedes e de Hamiton. Mas ainda há a Red Bull. As condições mistas, a chuva, são sempre fatores que colocaram a equipe austríaca sob os holofotes. Tanto Max Verstappen quanto Daniel Ricciardo tiveram um desempenho consistente com pista molhada, não necessariamente veloz, mas há potencial ali. E eles devem usar tudo que têm para assegurar a segunda fila, empurrando os carros vermelhos para trás.

Quer dizer, a classificação vai dizer muito sobre o que vai acontecer na corrida. Ainda que a Ferrari apresente uma performance mais próxima da Mercedes, é difícil imaginar que isso possa se converter em uma vitória. 


Fonte:Grande Premio
 
Back To Top