Fórmula 1

Red Bull prevê 2020 como “ano com mais gastos na história” da F1

Na visão de Christian Horner, a introdução do teto orçamentário precisava acontecer um ano antes da entrada do novo regulamento. Chefe da Red Bull prevê 2020 com o ano com maiores gastos na história da Fórmula 1, e já tem dois times trabalhando no processo de pesquisa e desenvolvimento

08/11/2019 10h27
Por: Robson Silva
Fonte: Grande Prêmio
108
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Última temporada antes da grande mudança de regulamento prevista, 2020 deve ser o ano com os maiores gastos da história da Fórmula 1, afirmou Christian Horner, chefe de equipe da Red Bull.

 2021 marca uma nova era na F1, com diversas mudanças, e entre elas, a introdução de um teto orçamentário. Porém, na visão de Horner, a entrada do limite de gastos com o novo regulamento significa que os times gastarão de forma mais ampla em 2020, mesmo sem os testes com túneis de vento.

 "Você tem uma quantidade de dinheiro irrestrita e incontrolável para gastar em pesquisas e desenvolvimento em várias áreas. Para mim, é o que disse antes: seria melhor introduzir o teto antes e o regulamento um ano depois, porque seguraria a quantidade de gastos. O próximo ano parece o mais caro da nossa história", disse Horner em entrevista ao site ‘Motorsport.com’.

Terceira colocada no Mundial de Construtores e com duas vitórias em 2019, a Red Bull tem dois times trabalhando nas áreas de pesquisa e desenvolvimento. Uma para a temporada 2020, e a outra com as mudanças previstas para 2021.

 "Agora que o regulamento de 2021 está claro, temos um time começando a entender o regulamento. E isso torna um ano bem caro porque estamos desenvolvendo em dois regulamentos diferentes, e antes do teto orçamentário entrar. 2020 será um ano caro e movimentado, dentro e fora da pista", completou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Municípios
Últimas notícias
Mais lidas