Atividade Esporte News: Amistoso
⚽Notícias
Mostrando postagens com marcador Amistoso. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Amistoso. Mostrar todas as postagens

04 novembro 2018

Rooney fará partida de despedida da seleção inglesa em amistoso contra EUA

 (Foto: AFP)
Principal goleador da história seleção inglesa, o atacante Wayne Rooney fará a sua despedida com a camisa de seu país no próximo dia 15 de novembro, em partida amistosa contra o Estados Unidos, em Wembley. A informação foi oficializada na manhã deste domingo pela federação inglesa de futebol.

“Estou realmente honrado e muito animado por jogar pela Inglaterra em Wembley novamente. Gostaria de agradecer a Gareth Southgate e a FA por me convidarem de volta e ajudarem a apoiar minha fundação no processo. Jogar pela Inglaterra foi a maior honra da minha carreira. Será um momento particularmente especial para mim. É apropriado que o jogo seja contra os EUA. Espero que ambos os torcedores gostem do jogo”, disse o jogador.

Além da despedida do centroavante, a partida também servirá para arrecadar fundos para a instituição beneficente que leva o nome do jogador, que ajuda crianças vítimas de doenças graves, abuso ou carentes.

Com 53 gols marcados em 119 jogos, Rooney está na história da seleção inglesa como maior artilheiro, além de ser o segundo atleta com mais convocações para a equipe na história, ficando atrás apenas do goleiro Peter Shilton, que foi lembrado 125 vezes.

Atualmente o atacante defende as cores do DC United, sendo, inclusive, um dos destaques da equipe que chegou até a semifinal de sua conferência no futebol norte-americano com 12 gols marcados. A última partida feita pelo atacante com a camisa inglesa foi em novembro de 2016, contra a Escócia.

Partida servirá também para juntar fundos a fundação do jogador (Foto: Reprodução)
Além desse confronto, a Inglaterra enfrenta também a Croácia nesta data-Fifa. A reedição da semifinal da última Copa do Mundo será uma partida válida pela Liga das Nações.

“Esta homenagem a Rooney é uma oportunidade única que é condizente com o goleador da nossa nação. Temos a sorte que circunstâncias nos permitiram reconhecer formalmente a imensa contribuição de Rooney para a Inglaterra na frente da torcida de Wembley e contra justamente esses adversários, dado o recente impacto que ele causou nos EUA” afirmou o técnico Gareth Southgate.


Fonte:Gazeta Esportiva

26 outubro 2018

Tite convoca Seleção com Paulinho de volta e evitando jogares do país

(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Nesta sexta-feira, o técnico Tite convocou, na sede da CBF, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, a Seleção Brasileira pela última vez no ano de 2018. A lista de 23 nomes escolhida pelo treinador representará o país nos amistoso diante do Uruguai e Camarões, nos próximos dias 16 e 20 de novembro, respectivamente, em Londres.

A convocação apresentou duas novidades importantes para a equipe. Os meio campistas Allan, do Napoli, convocado pela primeira vez, e Paulinho, do Guanghou Evergrande, que volta a ser lembrado pela primeira vez após a disputa da Copa do Mundo, além de Douglas Costa, da Juventus, que volta após ficar de fora da última convocação por ter cuspido em um adversário no Campeonato Italiano.

Outra questão importante para a escolha dos nomes foi o entendimento de Tite que caso convocasse um atleta que atua no Brasil, o tiraria de combate de ao menos duas rodadas do Campeonato Brasileiro. Para evitar isso, o comandante preferiu evitar convocar qualquer nome atuante no país. A única exceção foi o zagueiro Dedé, do Cruzeiro, que segundo o comandante foi algo planejado junto ao clube mineiro.

Assim como as últimas convocações, o comandante decidiu escolher um terceiro goleiro da categoria sub-20, para que haja uma melhor integração e uma aproximação do jovem atleta com os profissionais. O nome da vez foi Gabriel Brazão, do Cruzeiro.

Está foi a última convocação de Tite para a Seleção nesta temporada. A próxima lista será anunciada apenas em março de 2019. Vale lembrar que no meio do ano que vem acontece a Copa América, que será realizada no Brasil.

Goleiros
Alisson - Liverpool
Brazão - Cruzeiro
Éderson - Manchester City

Defensores:
Danilo - Manchester City
Dedé - Cruzeiro
Fabinho - Liverpool
Filipe Luís - Atlético de Madrid
Marcelo - Real Madrid
Marquinhos -  PSG
Miranda - Inter de Milão
Pablo - Bordeaux

Meio campistas:
Allan -  Napoli
Arthur - Barcelona
Casemiro - Real Madrid
Paulinho - Guangzhou Evergrand
Philippe Coutinho - Barcelona
Walace - Hannoverscher

Atacantes:
Douglas Costa - Juventus
Firmino - Liverpool
Gabriel Jesus - Manchester City
Neymar Jr - PSG
Richarlison - Everton
Willian - Chelsea

16 outubro 2018

Miranda marca aos 47 e Brasil derrota Argentina no Superclássico

Créditos: Pedro Martins / MoWA Press
A raça brasileira prevaleceu em relação à argentina nesta terça-feira. No Estádio King Abdullah, na Arábia Saudita, a Seleção arrancou uma vitória contra os albicelestes por 1 a 0, no apagar das luzes, em partida válida pela decisão do torneio amistoso Superclássico.

No período regulamentar, o primeiro tempo viu uma alternância entre momentos de maior chances ao gol e outros de jogo truncado, enquanto a etapa final contou com mais movimentação ofensiva das duas equipes e maior nervosismo com o empate no placar, o que resultou em trabalho para o juiz Felix Brych.

Quando tudo apontava para um 0 a 0 no marcador, brilhou a estrela de Neymar e Miranda. Em cobrança de escanteio do camisa 10, o zagueiro brasileiro subiu sozinho para fazer o tento que garantiu o triunfo dos comandados de Tite.
Créditos: Pedro Martins / MoWA Press

O jogo – O primeiro tempo de partida alternou entre momentos de maiores chances ao gol e outros de toque de bola sem pretensão ofensiva. Com os lances iniciais de muito estudo e análise entre as duas equipes, a Argentina assustou com chute rasteiro de Lo Celso aos sete minutos.

Entretanto, até a marca dos 20 da etapa inicial, esta havia sido a única ação relevante no confronto. A partir daí, os comandados de Tite passaram a pressionar mais a zaga albiceleste, movimentando-se mais no último terço do gramado de King Abdullah.

A grande chance brasileira veio aos 27. Depois de cobrança de falta para a área de Neymar, Casemiro aproveitou a sobra na lateral oposta do campo e voltou a lançar. A bola encontrou Miranda, livre, que teve tempo de ajeitar o corpo e bater firme na finalização. Entretanto, o zagueiro Otamendi fez o corte de cabeça e evitou aquele que seria o tento inaugural do embate.

No lance seguinte, a Argentina devolveu o susto. Também em cobrança de falta na entrada da área, Dybala bateu com categoria, assustando Alisson na finalização que passou à esquerda do gol brasileiro.

No último lance do período inicial de jogo, o árbitro Felix Brych assinalou falta perigosa para a Seleção Brasileira, alegando toque com a mão de Pezzella, que estava com o braço colado ao corpo. Entretanto, o juiz demonstrou convicção, já que sequer recorreu ao VAR. Na batida, porém, Neymar decepcionou e parou na barreira, dando fim ao primeiro tempo de duelo.

A etapa final viu novas boas oportunidades logo em seu começo. Antes dos cinco, Lo Celso, em cabeceio, e Icardi, após chute na grande área, levaram perigo ao gol. Com as oportunidades, a Argentina passou a gostar do jogo e atacar com mais contundência.

Após o sistema intermediário do Brasil abrir espaço no meio de campo, Paredes arriscou chute de fora da área e assustou os defensores canarinhos. No lance seguinte, os comandados de Scaloni tocaram a bola com categoria na entrada da área e a bola sobrou para Lo Celso na ponta, que tentou o passe para o meio e viu Marquinhos cortar.

Com a pressão argentina, foi a vez da Seleção responder. Neymar arrancou em velocidade pela esquerda e serviu Richarlison em cruzamento para a área. O camisa 7 não aproveitou a chance e finalizou mal, mas contou com a “sorte”, já que Saravia já havia cometido falta no número 10 anteriormente.

Na cobrança, Neymar enxergou Arthur sozinho dentro da grande área e levantou para o meia do Barcelona, que sequer esperou a bola cair ao chão para tentar chute acrobático. Firme no lance, o arqueiro Romero espalmou e afastou o perigo.

Já perto do final de jogo, o Brasil mais uma vez levou perigo em cobrança de falta. Dessa vez, Casemiro encheu o pé e a bola desviou na barreira argentina, matando Romero da jogada. O goleiro argentino só olhou a bola passar à esquerda de sua meta e ir para a linha de fundo.

Com o 0 a 0 próximo, a vitória brasileira só saiu aos 47 minutos do segundo tempo. Em cobrança de escanteio, Neymar fez o levantamento para a área, Miranda subiu sozinho e livre de marcação para escorar para o fundo das redes e garantir o Superclássico para os comandados de Tite.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 1 x 0 ARGENTINA

Local: Estádio King Abdullah, em Jedá (Arábia Saudita)
Data: 16 de outubro, terça-feira
Hora: 15h00 (de Brasília)
Árbitro: Felix Brych (ALE)
Assistentes: Mark Borsch (ALE) e Stefan Lupp (ALE)

Cartões amarelos: Neymar e Miranda (Brasil); Paredes, Correa, Lo Celso, Saravia e Battaglia (Argentina)
Gol: BRASIL: Miranda, aos 47 minutos do segundo tempo.

BRASIL: Alisson; Danilo (Fabinho), Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Casemiro; Arthur e Coutinho; Roberto Firmino, Neymar e Gabriel Jesus (Richarlison)
Técnico: Tite

ARGENTINA: Romero; Saravia, Pezzella, Otamendi e Tagliafico (Acuña); Paredes, Battaglia e Lo Celso (Salvio); Dybala (Lautaro Martínez), Icardi (Simeone) e Angel Correa (Pereyra)
Técnico: Lionel Scaloni (interino)


Fonte:Gazeta Esportiva

15 outubro 2018

"Para nós é bom", diz Neymar sobre ausência de Messi em amistoso

AFP / FAYEZ NURELDINE
O craque brasileiro Neymar reconheceu nesta segunda-feira que a ausência de Lionel Messi no amistoso contra a Argentina favorece a Seleção, mas tirou um eventual favoritismo do Brasil por conta do desfalque do craque.

"Para quem é amante de futebol, ter Messi fora de um jogo como esse é ruim, mas para nós é bom", afirmou o craque do Paris Saint-Germain em entrevista coletiva em Yedá, na Arábia Saudita.

"Sempre ressaltamos a qualidade da Argentina, dos jogadores que existem na seleção argentina hoje. É um jogo muito difícil, temos que fazer nosso papel, nosso trabalho, e é sempre gostoso de jogar. Favoritismo não existe", acrescentou o camisa 10 e capitão de Tite.

Sem Lionel Messi, que não é convocado desde a eliminação diante da França nas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia, a Argentina vem colocando em prática uma intensa renovação de seu elenco.

Além do craque do Barcelona, também não foram convocados outros medalhões como Sergio Agüero (Manchester City), Gonzalo Higuaín (AC Milan) e Ángel Di María (PSG). Mas os desfalques não deixam Neymar tranquilo.

"Se trata de Brasil e Argentina, então tem que respeitar muito as duas seleções, porque têm jogadores de qualidade. Hoje, a Argentina está com Dybala, que é um jogador que gosto muito. E tem outros. Sabemos que vai ser um jogo muito difícil. Então, a gente precisa estar ligado", analisou Neymar.

Brasil e Argentina duelam na Arábia Saudita com Neymar e sem Messi

AFP / FAYEZ NURELDINE
Brasil e Argentina, protagonistas do superclássico do futebol sul-americano, se enfrentam nesta terça-feira, na Arábia Saudita, um duelo em que a Seleção contará com Neymar, enquanto os argentinos não terão Messi.

A partida será a 104ª entre as duas seleções, com retrospecto ligeiramente favorável ao Brasil: são 40 vitórias para a Seleção contra 38 para os argentinos, além de 26 empates.

O Brasil chega ao clássico vindo de vitória por 2 a 0 sobre a Arábia Saudita, na sexta-feira, uma partida em que Tite mexeu bastante na equipe titular no intuito de realizar alguns testes no elenco. Agora, porém, deverá apostar no que tem de melhor para encarar os arquirrivais, com Coutinho, Neymar e Firmino no ataque.

"Todo jogo contra a Argentina é diferente, tem uma dimensão muito grande e sabemos o que essa partida envolve. Nossa equipe se preparou bem, então esperamos fazer uma grande partida e buscar a vitória", analisou o zagueiro Miranda, um dos jogadores que retorna a equipe titular, fazendo dupla de zaga com Marquinhos.

Após os testes com Fabinho e Alex Sandro contra os sauditas, os veteranos Danilo e Filipe Luís voltarão às laterais da equipe.

Assim, a única dúvida se encontra no meio de campo, onde Tite ainda não definiu se iniciará a partida com Arthur, uma das apostas do treinador para o novo ciclo da Seleção até a Copa do Mundo do Catar-2022, ao lado do intocável Casemiro e de Renato Augusto.

O jogador do Barcelona entraria no lugar de Fred, que não teve boa atuação contra a Arábia Saudita.

- Renovação sem Messi -

Do outro lado do campo, o Brasil encontrará uma Argentina que vem de goleada por 4 a 0 sobre o Iraque, numa partida em que o técnico interno Lionel Scaloni apostou em caras novas.

Sem Lionel Messi, que não é convocado desde a eliminação diante da França nas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia, a Argentina vem colocando em prática uma intensa renovação de seu elenco.

Além do craque do Barcelona, também não foram convocados outros medalhões como Sergio Agüero (Manchester City), Gonzalo Higuaín (AC Milan) e Ángel Di María (PSG). O veterano goleiro Sergio Romero, porém, está de volta, após ficar de fora do Mundial russo devido a uma lesão no joelho.

"Cada vez que a Argentina joga, tem que ganhar, e quando a partida é contra o Brasil, mesmo sendo amistosa, também tem que ganhar e mostrar seu jogo, que é o que vem pedindo o técnico. Temos aqui um grupo de jogadores novos e vamos tentar fazer o melhor para a seleção", afirmou Romero.

A partida será disputada às 20h45 locais (14h45 no horário de Brasília) no estádio King Abdullah Sports City, na cidade de Jedá.

- Prováveis escalações:

Argentina: Sergio Romero - Renzo Saravia, Germán Pezzella, Nicolás Otamendi, Nicolás Tagliafico - Leandro Paredes, Santiago Ascacibar ou Rodrigo Battaglia, Giovani Lo Celso - Eduardo Salvio, Mauro Icardi e Ángel Correa. T: Lionel Scaloni.

Brasil: Alisson - Danilo, Marquinhos, Miranda, Filipe Luís – Casemiro - Fred ou Arthur, Renato Augusto, Coutinho, Neymar – Roberto Firmino. T: Tite.

13 outubro 2018

Seleção Brasileira sub-20 empata com o Chile em amistoso

 (Foto: Chile/Divulgação)
Neste sábado, a Seleção Brasileira sub-20 empatou com o Chile por 1 a 1 em amistoso realizado no Estádio El Teniente, em Rancagua, no Chile. A partida era preparatória para o Campeonato Sul-Americano sub-20. Rodrygo e Salazar marcaram os gols do duelo.

No primeiro tempo, Vinícius Júnior perdeu uma penalidade, mas foi o principal destaque do Brasil. Já os chilenos, que criaram mais chances na primeira etapa, chegaram a balançar as redes adversárias aos 36 minutos, no entanto o lance foi anulado por causa de um impedimento.

O primeiro gol do confronto veio aos 18 minutos do segundo tempo. Vinícius Júnior fez jogada individual e encontrou Rodrygo, que finalizou de primeira e colocou o Brasil à frente no placar. Contudo, um erro de marcação permitiu que Salazar empatasse de cabeça aos 22 após cobrança de escanteio.

As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima segunda-feira.


Fonte:Gazeta Esportiva

12 outubro 2018

Peru vence Chile em amistoso e quebra jejum de mais de cinco anos

(Foto: Reprodução/Twitter/SeleccionPeru)
Encerrando o dia de amistosos internacionais, Peru e Chile se enfrentaram no Hard Rock Stadium, em Miami, nos Estados Unidos. E no primeiro reencontro entre as equipes sul-americanas desde outubro de 2016, foi o Peru quem levou a melhor, com um ótimo segundo tempo, vencendo por 3 a 0.

Os peruanos encerram um jejum de mais de cinco anos sem vencer os chilenos. A última vez havia sido em março de 2013, quando o Peru venceu por 1 a 0 na décima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014.

Mais números a favor do Peru: eles não venciam o Chile por 3 gols ou mais desde abril de 2003 e não o fazia fora de seus domínios desde abril de 1949.

A Seleção peruana volta a campo na próxima terça-feira quando encara os donos da casa, Estados Unidos, em Connecticut, às 20h30 (de Brasília). No mesmo dia, às 22h45 (de Brasília), o Chile entra em ação, desta vez contra o México, na casa dos adversários.

O primeiro tempo não teve rede balançando. Mas teve equilíbrio e até uma superioridade do Peru, que atuou com força praticamente máxima, sem poder contar apenas com o capitão Paolo Guerrero, ainda suspenso por doping, e Jefferson Farfan, lesionado. A equipe chutou mais ao gol e também finalizou mais que o chilenos, mas não conseguiu abriu o placar.

A segunda etapa voltou mais agitada, com o Chile tendo um gol anulado por impedimento aos cinco minutos. E aos 19, o marcador enfim foi inaugurado. Em cruzamento na área, Roco tentou cortar, mas acabou mandando contra a própria meta, colocando o Peru em vantagem.

E os peruanos não pararam por aí. Aos 29 minutos, em arrancada pela esquerda, Flores invadiu a área, teve boa visão de jogo e cruzou na medida para Aquino, que chegava de trás e disparou o chute, que foi para no fundo da meta de De Paul.

E ainda teve mais um no finalzinho. Aos 41, de novo ele. Polo lançou Aquino em profundidade e ele finalizou dentro da área para anotar o seu segundo gol da noite e o terceiro da blanquirroja.

Confira outros amistosos internacionais desta sexta-feira:

Japão 3 x 0 Panamá
Coreia do Sul 2 x 1 Uruguai
Cambodia 2 x 2 Timor Leste
Singapura 2 x 0 Mongólia
Sri Lanka 1 x 4 Malásia
Qatar 4 x 3 Equador
Arábia Saudita 0 x 2 Brasil


Fonte:Gazeta Esportiva

Em jogo morno, Gabriel Jesus desencanta e Brasil vence a Arábia

Créditos: Pedro Martins / MoWA Press
Em preparação para a Copa América de 2019, a Seleção Brasileira venceu mais um amistoso na tarde desta sexta-feira. Jogando em Riade, capital da Arábia Saudita, o time canarinho passou longe de realizar uma atuação convincente, como queria o técnico Tite, e venceu a equipe anfitriã por 2 a 0, com gols de Gabriel Jesus – que desencantou após passar a Copa do Mundo em branco – e Alex Sandro.

Tite aproveitou a fragilidade do adversário para fazer alguns testes na Seleção. Começou com a linha defensiva reserva, com Fabinho e Alex Sandro nas laterais e Marquinhos e Pablo no miolo de zaga. Também colocou Richarlison e Arthur em campo durante o segundo tempo, além de Lucas Moura, que voltou a defender o Brasil depois de dois anos.

Após derrotar Estados Unidos (2 x 0), El Salvador (5 x 0) e Arábia Saudita (2 x 0), o Brasil enfrentará a Argentina na próxima terça-feira, às 15 horas (de Brasília), em Jidá, no seu teste mais difícil após o Mundial da Rússia. Já a Arábia Saudita duelará com o Iraque às 14h45 do mesmo dia.

O Jogo – O Brasil foi melhor no primeiro tempo, mas sofreu para furar o bloqueio saudita. Após um início morno, a Seleção chegou com perigo pela primeira vez aos dez minutos, quando Neymar concluiu cruzamento em cima do goleiro.

O camisa 10, aliás, era o que mais buscava o jogo pelo lado brasileiro. Aos 19, ele fez fila pelo meio e bateu na entrada da área, mas mandou para fora. Pouco depois, após cobrança de falta pela esquerda, Gabriel Jesus subiu livre e exigiu grande defesa de Al-Owais.

Firmes na marcação, os donos da casa chegaram algumas vezes com perigo em contra-ataques. Em um deles, Casemiro evitou o gol saudita ao travar chute dentro da área. Aos 42, Gabriel Jesus recebeu grande passe de Neymar na direita e tocou na saída do goleiro, finalmente abrindo o placar em Riade.

O Brasil voltou do intervalo com Lucas Moura no lugar do apagado Fred. Logo aos seis minutos, o atacante saiu na cara do gol após passe de Neymar, mas chutou em cima do goleiro e desperdiçou a chance de marcar em seu retorno à Seleção.

Pouco depois, Neymar arriscou de fora da área e resvalou a trave, quase ampliando a vantagem brasileira. No entanto, com erros na saída de bola, o time visitante proporcionou boas chances aos sauditas, que as desperdiçaram em função de sua ineficiência nas finalizações.

Em busca do segundo gol, Tite colocou Richarlison e Arthur nas vagas de Gabriel Jesus e Philippe Coutinho. No fim, o goleiro Al-Owais tocou a bola com a mão fora da área e foi expulso. Aos 51 minutos, após cobrança de escanteio, Alex Sandro subiu livre e, de cabeça, deu números finais à partida.

FICHA TÉCNICA
ARÁBIA SAUDITA 0 x 2 BRASIL

Data: 12 de outubro de 2018, sexta-feira
Local: Estádio King Saud, em Riade
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: Danny Makkelie (HOL)
Assistentes: Mario Diks (HOL) e Hessel Steegstra (HOL)
Cartão Amarelo: Otayf (Arábia Saudita)
Cartão Vermelho: Al-Owais (Arábia Saudita)
Gols: BRASIL: Gabriel Jesus, aos 42 minutos do 1º tempo, e Alex Sandro, aos 51 do 2º tempo

ARÁBIA SAUDITA: Al-Owais; Al-Burayk (Al-Mullawad), Omar Housawi, Al-Bulayhi e Al-Shahrani; Otaif; Al-Moqahwi (Ghaleb), Al-Faraj, Al-Bishi (Al-Shehri) e Al-Dawsari; Bahbri (Malayekah)
Técnico: Juan Antonio Pizzi

BRASIL: Ederson; Fabinho, Marquinhos, Pablo e Alex Sandro; Casemiro (Walace); Fred (Lucas Moura), Renato Augusto, Philippe Coutinho (Arthur) e Neymar; Gabriel Jesus (Richarlison)
Técnico: Tite
 
Back To Top