Atividade Esporte News: Brasileiro Série A
⚽Notícias
Mostrando postagens com marcador Brasileiro Série A. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Brasileiro Série A. Mostrar todas as postagens

03 dezembro 2018

Ano inesquecível e de conquistas pessoais, Carlos Augusto analisa momento no Corinthians

Foto: Agência Corinthians
O ano de 2018 ficará marcado para sempre em um jogador do Corinthians. Tratado como joia pelo clube, Carlos Augusto viveu sua primeira temporada como atleta profissional. E não decepcionou. Muito pelo contrário. Acumulou oportunidades, foi bem e brigou pela titularidade na equipe corintiana, mesmo ainda com apenas 19 anos de idade.

Entre convocações para a seleção brasileira sub-20 e chances na equipe principal do Timão, Carlos Augusto fez 9 jogos. Podendo atuar também como zagueiro, ele comemora o ano de 2018. “Só tenho coisas positivas e motivos para comemorar, ficar feliz. Claro que queria que o ano coletivo do Corinthians tivesse sido melhor, é um clube acostumado a brigar sempre lá em cima, ser campeão. Mas foi meu primeiro ano. Inesquecível. Depois de muito tempo na base conseguir ter sequência, jogar, ser titular. Foi bom. Mas sei que preciso trabalhar muito mais para 2019”, disse o lateral-esquerdo do Corinthians, que nas suas seis últimas oportunidades jogou 90 minutos em todas.

Carlos Augusto, aliás, sabe que a concorrência no Corinthians sempre é grande. Por isso, além de agradecer por 2018, ele tem o desejo de tornar 2019 um ano ainda melhor. “O fato de eu ter jogado bastante em 2018, sendo meu primeiro ano de profissional, foi muito importante. É um mérito de muita gente, não só meu. Minha família, aqui a estrutura do Corinthians que é impecável, todos os profissionais, meus companheiros, tem a comissão técnica também… Enfim, agora é focar no próximo ano. Me dedico muito e vou continuar assim. Quero fazer história aqui como sempre disse. E pra isso quero trabalhar cada vez mais”, finalizou o atleta, que estava no elenco campeão paulista desse ano.

Em 2018, Carlos Augusto recebeu sua primeira chance em julho, diante do Grêmio, em amistoso. Depois emendou ainda mais oito compromissos, um pela Libertadores e o restante pela Série A do Brasileirão.

02 dezembro 2018

Ceará fica no empate com o Vasco e perde vaga na Sul-Americana

Em jogo truncado, na Arena Castelão, o Vovô não marcou gols e terminou a temporada apenas com a permanência na Série A

Foto: Fernando Ferreira/cearasc.com
Tudo na mesma. O Ceará até que tentou, mas acabou ficando com um empate sem gols contra o Vasco e, por consequência, fora da zona da classificação para a Copa Sul-Americana. O resultado garantiu a permanência na Série A a ambas as equipes se enfrentando, neste domingo (2), na Arena Castelão. 

América MG, Sport, Vitória e Paraná terminam a temporada de 2018 rebaixados para a Série B do Campeonato Brasileiro. 

Primeiro tempo

O jogo começou com o Ceará dominando as ações ofensivas, mas demorando para conseguir criar oportunidades de finalização. O primeiro chute a gol do Vovô veio aos 4 minutos, com Calyson recebendo um ótimo passe de Felipe Azevedo. Mas o atacante não pegou bem na bola e mandou por cima do gol Fernando Miguel. 

Com o passar o tempo, o Vasco conseguiu igualar as ações, ficando com metade do tempo de posse de bola. Mas a equipe carioca não conseguia levar perigo ao gol de Everson, tendo chutado apenas uma vez ao gol durante os primeiros 45 minutos. 

Sem o domínio de nenhuma das equipes, a partida acabou apresentando poucos lances de emoção. Aos 43, o atacante Maxi Lopez recebe um bom lançamento na entrada da área, mas, sozinho, acabou errando o domínio e desperdiçando a chance de abrir o placar. 

Segundo tempo

Os times voltaram dos vestiários dando a impressão de que o jogo mudaria de cara, com alguns lances de perigo logo no começo da segunda etapa. Mas o meio de campo continuou truncado. 

Aos 3, Arthur perdeu uma das melhores chances do Ceará até aquele momento. Samuel Xavier conseguiu boa descida pela direita, limpou a marcação e cruzou a bola, mas o centroavante do Vovô não conseguiu o cabeceio. O goleiro Fernando Miguel apenas observou o lance. 

Aos 24, veio, talvez, a melhor oportunidade de gol. Marrony recebeu em velocidade e invadiu, sozinho, a área do Ceará. O atleta do Vasco bateu forte, mas parou nos braços de Everson. 

Mas o goleiro do Vovô não foi o único obrigado a trabalhar. Aos 34, o volante Juninho arriscou de longe, com força, mas acabou parando em Fernando Miguel, que fez uma defesa complicada para manter a igualdade no placar.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ-CE 0 X 0 VASCO-RJ

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 2 de dezembro de 2018, domingo
Hora: 17h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Rogerio Pablos Zanardo (SP)
Cartões amarelos: Richardson, Samuel Xavier, Ricardinho (Ceará); Willian Maranhão, Raul (Vasco)
Cartão Vermelho: Samuel Xavier (Ceará)

CEARÁ: Éverson, Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e Felipe Jonatan; Richardson, Juninho, Ricardinho (Wescley) e Calyson (Eder Luis); Arthur e Felipe Azevedo (Cardona)
Técnico: Lisca

VASCO: Fernando Miguel, Luiz Gustavo, Werley, Leandro Castan e Willian Maranhão (Ricardo); Raul (Desábato), Andrey, Kelvin e Thiago Galhardo; Caio Monteiro (Marrony) e Maxi López
Técnico: Alberto Valentim

Fluminense quebra jejum, se salva e rebaixa o América-MG

Foto:Lucas Merçon/Fluminense FC
O Fluminense quebrou o jejum de oito jogos sem vencer e nem marcar gols na tarde deste domingo, quando derrotou o América-MG por 1 a 0 no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Richard fez o gol isolado da partida, que levou o Tricolor aos 45 pontos. Além de escapar do rebaixamento, o time carioca conseguiu a classificação para a Copa Sul-Americana. Pior para o Coelho, que estacionou nos 40 pontos e está na Série B de 2019.

A partida começou muito nervosa, com os dois times abusando dos erros de passes e toques laterais, com pouca objetividade. Sem o equatoriano Junior Sornoza na criação de jogadas, barrado, e com um esquema de três volantes, o Tricolor parecia satisfeito com o empate. Tanto que só deu seu primeiro chute a gol aos 12 minutos, quando Luciano arriscou de fora da área e fez a bola passar à esquerda do goleiro João Ricardo.

O América, por sua vez, esperava uma bola para decidir. Tentando usar a velocidade de Matheusinho e Marquinhos, o Coelho começou a ficar mais presente no campo de ataque, dando o primeiro susto nos cariocas aos 19 minutos. Matheusinho se livrou de três e cruzou, a bola sobrou para Marquinhos, que chutou para a defesa do goleiro Júlio César. Quatro minutos depois Aderlan cruzou e Matheusinho pegou de primeira sobre o gol.

Aos 26 minutos o Fluminense escapou de boa. Aderlan foi lançado pela direita, fez o corte em Marlon e o lateral, na corrida, acabou cometendo o pênalti, muito bem marcado pelo árbitro Rafael Traci. Na cobrança de Luan, Júlio César fez grande defesa e Rafael Moura, no rebote, escorou sobre o gol.

O lance acordou o Fluminense, que apertou a marcação e tentou sair mais ao ataque, assustando aos 33 minutos. Jadson cruzou, Marco Júnior chutou de primeira e João Ricardo deu um tapinha na bola cedendo escanteio. Três minutos depois Marlon cobrou falta e Gum cabeceou para nova defesa do arqueiro americano.

Já o América seguia perigoso nos contra-ataques e aos 38 minutos quase abriu o placar. Luan recebu livre na área, chutou, Júlio César salvou, mas a bola bateu no atacante e ia entrando, porém, Gum salvou em cima da linha. Na cobrança de escanteio de Carlinhos, Rafael Moura escorou para fora.

O Fluminense, porém, conseguiu abrir o placar aos 41 minutos e quebrou um jejum de mais de 13 horas sem balançar as redes rivais. Marlon cobrou escanteio e Richard, livre de marcação, escorou para o fundo da rede. Foram 802 minutos sem gols, porém, o time foi mais tranquilo para o intervalo.

Na volta para a segunda etapa o Fluminense deu um cartão de visitas logo aos dois minutos, quando Marlon foi lançado e chutou cruzado sobre o gopl, assustando o goleiro rival. Porém, o América é quem ocupava mais o campo do rival e por muito pouco não empatou aos seis minutos. Após cobrança de escanteio, Paulão chutou cruzado e Júlio César voltou a salvar seu time com um tapinha, cedendo escanteio. Três minutos depois foi a vez de Matheusinho pegar de primeira e mandar a bola sobre o gol.

Aos 16 minutos o Fluminense deu sinal de vida no jogo. Após cobrança de escanteio, Luciano cabeceou no travessão, deixando visível a dificuldade do Coelho em neutralizar jogadas aéreas. O Coelho deu a resposta seis minutos depois, em chute de Matheusinho, que o goleiro defendeu.

O América então se lançou ainda mais ao ataque e quase marcou aos 32, quando após cobrança de escanteio Rafael Moura pegou de virada e mandou a bola para fora. O He-Man voltou a ser parado, só que dessa vez pelo goleiro, aos 35 minutos, em uma cabeçada de dentro da grande área. Já aos 37 foi a vez de Luan chutar na rede pelo lado de fora. Nos minutos finais o Tricolor conseguiu tocar a bola e administrar a vantagem até o fim. Festa da torcida carioca e tristeza do Coelho, rebaixado para a Segundona.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE-RJ 1 X 0 AMÉRICA-MG

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 2 de dezembro de 2018 (Domingo)
Horário: 17h(de Brasília)
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Rafael Trombeta (PR)
Renda: R$ 139.932,50
Público: 34.870 pagantes
Cartões amarelos: Gum, Everaldo, Marco Júnior, Igor Julião e Digão (Fluminense) e Carlinhos (América)

Gols:
FLUMINENSE: Richard aos 41 minutos do 1º Tempo

FLUMINENSE: Júlio César, Igor Julião, Gum (Paulo Ricardo), Digão e Marlon; Aírton (Dodi), Richard, Jadson e Marco Júnior; Kayke (Everaldo) e Luciano
Técnico: Fábio Moreno

AMÉRICA: João Ricardo, Aderlan, Paulão, Matheus Ferraz e Carlinhos; Zé Ricardo (Lincoln), Juninho e Matheusinho (Carlos França); Marquinhos (Ademir), Luan e Rafael Moura
Técnico: Givanildo Oliveira

Fonte:Gazeta Esportiva

Bahia encerra o Brasileirão com empate sem gols diante do Cruzeiro na despedida de Zé Rafael

Fotos: Felipe Oliveira / EC Bahia
Em sua despedida da temporada, o Bahia ficou apenas em um empate em 0 a 0 com o Cruzeiro, na tarde deste domingo (2), em Pituaçu. Mesmo assim, o duelo foi de festa, marcado por um emocionante adeus ao ídolo Zé Rafael, vendido ao Palmeiras durante a última semana. Foram 28 mil tricolores no estádio aplaudindo de pé ao craque, substituído aos 18 minutos do 2º tempo.

Com o resultado, Tricolor fechou o Brasileirão com 48 pontos na tabela, na 11ª posição, melhor colocação do clube na história do campeonato de pontos corridos, lugar que também garante a equipe na Copa Sul-Americana de 2019.Serão cinco competições a serem disputadas: Campeonato Baiano, Copa do Nordeste, Copa Sul-Americana,Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

O JOGO

Levado pelo canto da sua torcida, o Bahia começou o jogo atacanto. Aos três minutos, Elton cruzou na área, Gilberto se antecipou, cabeceou, mas não conseguiu acertar o alvo. Logo na sequência, o Cruzeiro respondeu com Raniel, que finalizou de fora da área e obrigou Anderson a fazer uma boa defesa.

Cruzeiro acerta a trave

Aos oito minutos, Sassá trocou passes com Ederson e Raniel, limpou a defesa tricolor e chutou rasteiro para acertar a trave do goleiro Anderson. Na sobra, Flávio conseguiu afastar o perigo.

O Bahia também ficou muito perto do gol aos 13. Após escanteio, o goleiro Rafael deu um soco na bola, que sobrou para Lucas Fonseca. O zagueiro tocou para o meio da área e a bola sobrou com Nilton, que desperdiçou a chance. Logo depois, Léo cruzou para a área e Edigar Junio cabeceou para fora.

O Cruzeiro assustou aos 24, quando Raniel bateu falta colocada e obrigou Anderson a fazer uma grande defesa. O Bahia, por sua vez, causou suspiros em seus torcedores aos 39 minutos. Na jogada, Zé Rafael deu um grande passe de calcanhar para Léo, que chutou forte e viu a bola explodir na rede de fora.

Segundo tempo

O Esquadrão de Aço teve uma boa chance aos 12 minutos. Nilton conduziu a bola a partir do meio de campo, avançou e bateu forte. A bola passou ao lado da meta defendida por Rafael. Na sequência, a tentativa foi de Lucas Silva, que arriscou de fora, mas sem causar perigo.

Gilberto perdeu uma ótima oportunidade aos 17 minutos. Após boa troca de passes, Zé Rafael deixou o camisa 9 na cara do gol, mas a bola não foi bem dominada. Foi esse o último lance de Zé com a camisa tricolor. Na sequência, o camisa 10 foi substituído e ganhou muitos aplausos do público.

Com 27 minutos, Sassá recebeu passe em profundidade e ficou na cara do gol. Quando ele tocou por cobertura, o zagueiro Lucas Fonseca foi providencial para evitar o gol cruzeirense. Depois, David chutou de fora da área, com desvio, e a bola passou raspando a trave.

O jogo tomou um ritmo mais lento na fase final, mas o Bahia seguiu tentando o gol. Aos 38, Gilberto recebeu cruzamento e cabeceou ao lado da meta de Rafael. Aos 42, o Bahia respondeu com Vinícius, que chutou de longe, mas não causou sustos ao gol do Cruzeiro.

FICHA TÉCNICA
Bahia x Cruzeiro
Campeonato Brasileiro – 38ª rodada

Local: Pituaçu, em Salvador
Horário: 16h (de Salvador)
Data: 02/12/2018 (domingo)
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Thiago Henrique Neto Correa (RJ)
Assistentes adicionais: Philip Georg Bennett e Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Elton, Flávio, Douglas Grolli e Luiz Henrique (Bahia) / Manoel (Cruzeiro)
Cartões vermelhos:
Gols:

Bahia: Anderson; Flávio, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Nilton e Elton; Edigar Junio (Clayton), Ramires (Luiz Henrique) e Zé Rafael (Vinícius); Gilberto. Técnico: Enderson Moreira.

Cruzeiro: Rafael; Ezequiel, Manoel, Cacá e Patrick Brey; Lucas Romero, Lucas Silva e Ederson; David, Raniel e Sassá (Laércio). Técnico: Sidnei Lobo.

Sport vence o Santos na Ilha, mas é rebaixado para Série B

Fotos: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco
O Sport venceu o Santos por 2 a 1 neste domingo, na Ilha do Retiro, mas mesmo assim foi rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2019 por causa da vitória da Chapecoense diante do São Paulo. O Leão termina em 17º, com 42 pontos.

O Peixe entrou em campo sem aspirações e com a vaga na próxima Sul-Americana confirmada. A partida foi sofrível, teve pouquíssimas oportunidades criadas e só apresentou emoção nos minutos finais. Os gols foram de Rogerio e Hernane, aos 38 e 46, e de Rodrygo, aos 48.

O Sport volta para a segunda divisão ao lado de América-MG, Vitória e Paraná. Fortaleza, CSA, Avaí e Goiás conquistaram o acesso.

O JOGO

A partida desde os primeiros minutos mostrou a falta de qualidade das equipes. O Sport, na zona do rebaixamento, só tinha a raça a oferecer. O Santos, cheio de desfalques e sem aspirações, errou quase tudo.

Mesmo desesperado, o Leão não criou uma chance sequer. O Peixe teve duas com Jean Mota, aos 22 e 43. Na primeira, ele hesitou e parou em Mailson. Na segunda, da entrada da área, chutou forte, mas longe.

Na etapa final, o cenário não mudou. Sem criatividade, o Sport se lançou ao ataque. O Alvinegro, em contrapartida, se armou para o contra-ataque e ficou menos com a bola.

Na base do abafa, os donos da casa se lançaram ao ataque e foram recompensados. Rogerio, aos 36, quase fez de fora da área. E dois minutos depois, o atacante marcou. Mateus Gonçalves fez boa jogada antes do voleio para o fundo da rede de Vanderlei, depois de desvio em Gustavo Henrique.

Rogerio tirou a camisa e o Sport comemorou muito, mas o gol não foi suficiente. Ainda deu tempo para Hernane marcar, aos 46, e Rodrygo diminuir, aos 48.

FICHA TÉCNICA
Sport 2 x 1 Santos

Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Data: 2 de dezembro de 2018 (domingo)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Cleriston Barreto Rios (SE)
Cartões amarelos: SPORT: Adryelson, Andrigo e Rogério. SANTOS: Yuri.

GOLS
Sport: Rogerio e Hernane, aos 38 e 46 do 2T;
Santos: Rodrygo, aos 48 do 2T.

SPORT: Maílson; Andrigo, Adryelson, Ernando e Raul Prata; Marcão, Fellipe Bastos (Marlone), Neto Moura (Rogério) Gabriel, Mateus Gonçalves e Matheus Peixoto (Hernane)
Técnico: Milton Mendes

SANTOS: Vanderlei Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Copete; Guilherme Nunes (Yuri), Diego Pituca (Eduardo Sasha) e Jean Mota; Arthur Gomes, Rodrygo e Felippe Cardoso
Técnico: Cuca

Chapecoense vence o São Paulo e se garante a Série A em 2019

Foto: LIAMARA POLLI / ESTADÃO CONTEÚDO
Santa Catarina terá dois representantes na Série A de 2019. O Avaí já estava garantido e a Chapecoense também assegurou sua vaga ao vencer o São Paulo por 1 a 0, neste domingo, na Arena Condá. Será o sexto ano consecutivo do Verdão do Oeste na elite do futebol brasileiro.

Graças a uma recuperação nestas rodadas finais. Depois de sofrer durante a semana ao lembrar dos dois anos do acidente aéreo com a delegação do clube e convidados, que vitimou 71 pessoas na Colômbia, o torcedor pôde voltar a sorrir neste domingo.

A direção da Chapecoense fez promoção de ingressos e o torcedor lotou a Arena Condá para a partida decisiva contra o São Paulo. Foi recorde de público, com 19.992 pessoas. Uma vitória garantia a permanência na Série A.

O time da casa começou melhor a partida. Logo no início Wellington Paulista pediu pênalti em lance com Arboleda mas a arbitragem entendeu que não foi. Depois foi a vez de Leandro Pereira finalizar, mas a bola foi para fora.

Próximo dos 20 minutos de partida o São Paulo passou a ter as melhores chances. Primeiro Nenê recebeu dentro da área e chutou rasteiro para boa defesa de Jandrei. Em seguida Diego Souza escorou de cabeça para Nenê, dentro da área, mas o camisa 10 do São Paulo errou a finalização.

Outro susto para a torcida da Chapecoense foi aos 25 minutos, mas longe da Arena Condá. O América-MG teve pênalti a seu favor. Caso o time mineiro fizesse o gol a Chapecoense cairia para a zona de rebaixamento. Mas o goleiro do Fluminense, Júlio César, fez a defesa e a torcida do Verdão comemorou. 

No final da primeira etapa o time da casa voltou a jogar melhor. E Wellington Paulista cabeceou uma bola na trave. A torcida verde e branca lamentou a chance perdida. Mas em seguida comemorou o gol de Richard, do Fluminense, sobre o América.

O time catarinense foi para o intervalo fora da zona de rebaixamento graças à derrota do América aliado ao empate do Sport diante do Santos.

No início da segunda etapa o jogo estava morno. O resultado até garantia a permanência do time catarinense na Série A. Só que havia o risco de um gol do Sport contra o Santos, o que empurraria a Chapecoense para o grupo dos rebaixados.

O técnico do Verdão optou por uma estratégia de buscar o gol mas sem se expor muito. E conseguiu o objetivo aos 22 minutos do segundo tempo, quando Canteros, em posição no mínimo duvidosa, recebeu na direita e fez um cruzamento na medida para Leandro Pereira, no meio da zaga, cabecear para o gol. Foi uma explosão de alegria na Arena Condá. E o décimo primeiro gol do atacante na competição.

Ainda bem porque o Sport fez dois gols contra o Santos no final. Nos últimos minutos o Verdão segurou o resultado e a vaga na Série A.

A Chapecoense chegou a 44 pontos, melhor apenas do que os 43 pontos de 2014. Mas o suficiente para garantir a alegria de milhares de torcedores.

FICHA TÉCNICA - Chapecoense x São Paulo
CHAPECOENSE-1
Jandrei; Eduardo, Douglas, Fabrício Bruno e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Amaral, Canteros (Elicarlos) e Diego Torres (Bruno Silva); Wellington Paulista e Leandro Pereira (Osman). Técnico: Claudinei Oliveira.
SÃO PAULO-0
Jean; Araruna, Arboleda, Bruno Alves e Edimar (Igor); Hudson, Liziero, Nenê (Shaylon) e Helinho; Diego Souza (Brenner) e Everton. Técnico: André Jardine

GOL: Leandro Pereira (C), aos 22 minutos do segundo tempo

ARBITRAGEM: Wilton Pereira Sampaio, auxiliado por Fabrício da Silva e Bruno Pires (trio de GO).
CARTÕES AMARELOS: Jean, Arboleda e Everton (SP);
LOCAL: Arena Condá, em Chapecó.

PÚBLICO: 19.992

RENDA: R$ 331.630

Fonte:DC

Grêmio vence o Corinthians em casa e termina o Brasileiro na quarta posição

Tricolor venceu o time paulista por 1 a 0, com gol de Jael

Foto: Lucas Uebel | Grêmio FBPA.
O Grêmio entrou em campo no final da tarde deste domingo, 2, para disputar o último jogo da temporada, contra o Corinthians, na Arena. Com gol de Jael, venceu o time paulista por 1 a 0.

Os gremistas começaram muito bem a partida, dominando as ações. Resultado disso foi o gol logo cedo, aos 10'. Depois da equipe trabalhar bem a bola, Maicon recebeu e fez um cruzamento para Jael na pequena área. O centroavante dividiu com defensor e desviou para o fundo das redes. Quatro minutos depois, quase nasceu o segundo gremista, quando Everton carimbou a trave da meta defendida por Cássio.

Já na etapa complementar o desempenho não foi o mesmo. O Tricolor diminuiu seu ritmo de jogo e não conseguiu chances claras e ampliar o placar.

Com o resultado, o Grêmio chega a 66 pontos e confirma a quarta posição no Campeonato Brasileiro.

 Primeiro Tempo

O Grêmio iniciou a partida trocando passes, buscando chegar ao ataque logo no início da partida. Aos 2', Cortez trabalhou com Maicon, mas Fagner conseguiu cortar o lance. Três minutos depois, o Tricolor teve uma sequência de escanteios. Na segunda oportunidade, Alisson colocou a bola em curva na área, mas a zaga afastou de cabeça.

Outra chance surgiu aos 6', quando Alisson cruzou na área, fechado, o que facilitou a defesa do goleiro Cássio.

Aos 10 minutos, o Grêmio conseguiu abrir o marcador. Trabalhando bem a bola, ela chegou a Maicon, que fez um cruzamento para Jael. O centroavante dividiu com defensor e desviou a bola para o fundo das redes.

Quatro minutos depois, quase que nasceu o segundo gol gremista. Everton fez uma boa tabela com Jael e chutou, mas a trave não deixou  a bola entrar, por detalhe. E não demorou muito para Cebolinha fazer uma nova jogada de perigo. O atacante passou por Fagner, Gabriel, e Léo Santos, fazendo uma grande jogada individual. Na área, finalizou, mas mandou pra fora.

Aos 18 minutos, os paulistas criaram a primeira chance. Após cruzamento da esquerda, Romero recebeu e chutou, mas sem nenhum perigo para Paulo Victor.

Já o Tricolor respondeu de imediato. Na nova jogada, Ramiro cruzou na cabeça de Michel, que acabou mandando por cima da meta.

Aos 24', Cortez recebeu na meia esquerda e resolveu arriscar de longe. A bola desviou na marcação, quicou no gramado e terminou nas mãos de Cássio, que de joelhos, fez a defesa.

Pela esquerda, o Grêmio fez grande jogada com Cortez, que foi a linha de fundo e cruzou na cabeça de Alisson. O atacante mandou de cabeça e a bola passou raspando a trave direita de Cássio.

Já aos 36', Ramiro recebeu um bom passe de Maicon e cruzou, mas a bola bateu em cima de Léo Santos.

Aos 43 minutos, Maicon deu um bom passe para Alisson na direita. Ele recebeu e fez um cruzamento na área, na marca penal, mas a defesa paulista afastou bem com Léo Santos.

Jogo finalizou aos 47'.


Segundo Tempo

O Grêmio voltou a campo com a mesma formação.

O Corinthians quase conseguiu chegar ao empate aos 6 minutos, quando Romero recebeu um passe na área, dominou e girou, chutando a gol, mas Paulo Victor conseguiu boa defesa com os pés.

Já o Grêmio teve uma falta a seu favor da meia esquerda. Alisson cobrou, levantando na área no segundo poste; Cícero subiu e mandou de cabeça, mas para fora. O lance já estava anulado por impedimento.

Os paulistas chegaram pela direita, com uma jogada de Pedrinho, mas o meia foi barrado por Cortez. Em seguida, um novo cruzamento foi feita na área por Calyson, mas Michel afastou o perigo.

Aos 15 minutos, o Tricolor se lançava em contra-ataque, quando Léo Santos segurou Everton, que saia em velocidade em direção a área, cometendo falta. Jael cobrou com um chute rasteiro, mas que parou na barreira.

Já aos 21', o Corinthians teve um escanteio a seu favor. Colocou na pequena área, mas Paulo Victor saiu e afastou de soco.

Em nova oportunidade, em cobrança de falta, Alisson ergueu no primeiro poste, Kannemann desviou de cabeça, mas para fora.

Substituição: Saiu Léo Moura, entrou Matheus Henrique, aos 23'.

Substituição: Saiu Maicon, entrou Douglas, aos 27'.

Os visitantes chegaram com Clayson, que recebeu um lançamento dentro da área, pela direita, girou e finalizou, mandando para fora, sem perigo para Paulo Victor.

As 33', da direita, o Grêmio ameaçou com um cruzamento, que chegou a Everton. O atacante subiu e mandou de cabeça, mas Cássio defendeu.

Substituição: Saiu Jael, entrou André, aos 37'.

Aos 40 minutos, Clayson fez uma boa jogada pela esquerda e cruzou na área, mas Michel foi bem e cortou o lance.

O Grêmio respondeu com Everton, que recebeu um passe de Douglas, cortou pra perna direita e finalizou de longa distância. Cássio caiu para defender.

O Corinthians ainda teve uma falta da intermediária de ataque. Jadson colocou na área, mas Michel afastou novamente.

Jogo finalizou aos 49'.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 0 CORINTHIANS

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS
Data: 02 de dezembro de 2018, domingo
Horário: 17h00 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (Fifa-MG) e Sidmar dos Santos Meurer (MG)
Cartões amarelos: Romero, Henrique, Léo Santos, Carlos (SCCP); Jael, Kannemann (GFBPA)
Público: 38.974 (pagante) 41.330 (total)
Renda: R$ 1.450.578,00

GOL:
Grêmio: Jael, aos 11 minutos do 1T

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura (Matheusinho), Kannemann, Michel e Cortez; Cícero, Maicon (Douglas), Alisson, Ramiro e Everton; Jael (André)
Técnico: Renato Gaúcho

CORINTHIANS: Cássio, Fágner, Léo Santos, Henrique e Carlos; Gabriel (Douglas) e Thiaguinho; Pedrinho (Danilo), Jadson e Mateus Vital (Clayson); Romero
Técnico: Jair Ventura

Em despedida, Internacional leva gol no fim e empata com o Paraná

Foto Ricardo Duarte/Internacional
O Internacional perdeu a chance de fazer a sua melhor campanha da história dos pontos corridos. Neste domingo, o Colorado ficou no empate em 1 a 1 contra o Paraná, no Durival Britto, em Curitiba. O resultado faz com que os comandados de Odair Hellmann fiquem em terceiro lugar, com 69 pontos. Dessa forma, acabou desperdiçando a oportunidade de ter a sua melhor performance no torneio nacional.

Ao longo dos 90 minutos, a partida foi um misto de poucas e muitas emoções. No primeiro tempo, as equipes produziram quase nada, e o placar zerado se mostrou justo. Na etapa final, o Inter abriu o placar com Jonatan Álvez, teve boas chances, mas não matou o jogo. Esforçado, o Tricolor foi premiado com um gol aos 46 minutos, Jhonny Lucas foi quem anotou.

Após o apito final, a equipe gaúcha foi até a torcida para agradecer o apoio. Os fãs, por sua vez, reconheceram a excelente campanha do Internacional, que depois de voltar para a primeira divisão fez um belo Campeonato Brasileiro. O resultado também faz com que o Colorado feche em terceiro lugar e vá direto para a fase de grupos da próxima edição da Libertadores.

Primeiro tempo monótono, com poucas chances e zerado

A primeira boa chance foi do Internacional. Em descida pela direita, a bola foi cruzada na área, buscando Wellington Silva. Mas Jesiel apareceu para fazer o corte. Foi a única boa jogada da partida até a metade do primeiro tempo.

Aos 25, o Inter teve a sua melhor chegada até o momento. Rossi chegou bem em jogada pela linha de fundo e bateu cruzado. Dois minutos depois, Camilo arriscou de fora da área, que passou à esquerda do gol de Richard. Esta foi a primeira finalização do Colorado.

Sem nada a perder, o Tricolor assustou aos 32 minutos. Andrey foi lançado, conseguiu dominar e tirar a marcação, mas chutou com força e sem direção. A bola subiu muito, sem assustar Marcelo Lomba.

Os comandados de Odair Hellmann voltaram a assustar em jogada de Rossi. Após invadir a área, o atacante serviu Jonatan Alvez, e de fora da área o atacante bateu para fora do gol com a perna esquerda. Foi a última jogada do morno primeiro tempo que acabou zerado.

Nico López, entra, resolve e Inter vence

Aparentemente, na etapa complementar as equipes resolveram jogar, pois logo a um minuto, o lanterna chegou com perigo. Em cruzamento na área, Andrey subiu sozinho para cabecear, Lomba defendeu.

Dois minutos mais tarde, os gaúchos responderam com Jonatan Álvez, que driblou Richard, ficou sem ângulo e tentou o cruzamento para dentro da área. A defesa do Tricolor fez o corte com um chutão. Em seguida, Kessley fez linda jogada, mas acabou finalizando de forma pífia.

Nico López entrou aos 17 minutos de partida, três minutos depois, saiu o gol do Internacional. O artilheiro uruguaio escapou pela esquerda, tirou a marcação e cruzou no pé de Jonatan Álvez só escorar para o fundo das redes.

Tentando fechar o Brasileirão com dignidade, o Paraná voltou a chegar. Juninho deu passe de calcanhar para Felipe Augusto, que arriscou, mas parou em Marcelo Lomba. O Colorado respondeu com Álvez, que bateu cruzado, porém, a bola subiu demais.

Felipe Augusto mais uma vez tentou em finalização forte. A redonda desviou, traiu Lomba, mas para a sorte do goleiro foi pela linha de fundo. Até que no último lance do confronto, Jhonny Lucas conseguiu marcar, após grande jogada individual e deixar tudo igual em 1 a 1.

FICHA TÉCNICA
PARANÁ 1 X 1 INTERNACIONAL

Local: Estádio Durival Britto, em Curitiba (PR)
Data: 2 de dezembro de 2018, domingo
Horário: 17h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Carvalhes de Miranda (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Michel Correia, ambos do RJ
Público:
Renda:
Cartões amarelos: Alesson (Paraná);Edenílson e Rossi (Internacional)
Cartão vermelho: Andrey (Paraná)
Gols:  PARANÁ: Jhonny Lucas aos 46 minutos do segundo tempo.
INTERNACIONAL: Jonatan Álvez aos 20 minutos do segundo tempo

PARANÁ: Richard; Wesley Dias, Jesiel, Charles (Rayan) e Igor (Felipe Augusto); Jhony (Bruno), Alesson e Jhonny Lucas; Juninho, Keslley e Andrey.
Técnico: Dado Cavalcanti

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Edenílson, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Gabriel Dias, Juan Alano (Sarrafiore) e Camilo; Rossi (Patrick), Wellington Silva (Nico López) e Jonatan Álvez.
Técnico: Odair Hellmann

Fonte:Gazeta Esportiva
 
Back To Top