Atividade Esporte News: Brasileiro Série B
⚽Notícias
Mostrando postagens com marcador Brasileiro Série B. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Brasileiro Série B. Mostrar todas as postagens

09 julho 2019

Vitória perde para Cuiabá no Barradão e segue afundado na lanterna da Série B

Crédito: AssCom Dourado

No retorno da Série B do Campeonato Brasileiro após a pausa para a Copa América, o Vitória recebeu o Cuiabá nesta terça-feira pela 9ª rodada do torneio e perdeu por 1 a 0. Em duelo de equipes que brigam contra o rebaixamento, a equipe mato-grossense conseguiu se afastar do Z4, com gol do zagueiro Anderson Conceição, enquanto o time baiano se manteve na última colocação.

Com o resultado, o Vitória segue na lanterna do torneio nacional com apenas quatro pontos somados em nove partidas. O Leão chegou a sua sétima derrota, além de um triunfo e um empate, e está quatro pontos atrás da primeira equipe fora da zona de rebaixamento, o São Bento.

Já o Cuiabá se livrou do Z4 com os três pontos conquistados. O time do Mato Grosso subiu provisoriamente para a 10ª colocação, com 11 pontos, quatro a mais que o Operário-PR, primeiro time na degola.

O triunfo foi o terceiro do Dourado na Série B, a primeira desde a segunda rodada, com o clube dando fim a sequência de três derrotas consecutivas antes da parada para a Copa América.

O jogo

Em partida pouco movimentada, as equipes criaram poucas chances de gol. Apesar de começar pressionando dentro de casa, o Vitória não levou muito perigo ao gol do Cuiabá no primeiro tempo, com exceção de cabeçada de Marcelo aos 14 e chute cruzado de Felipe Gedoz aos 32.

Porém quem abriu o placar na primeira etapa foram os visitantes. Aproveitando cruzamento do lado esquerdo aos 37 minutos, o zagueiro Anderson Conceição subiu com espaço no meio da área do Vitória e testou firme para anotar o tento do Cuiabá.

No segundo tempo, o Vitória tentou imprimir nova pressão mas nada feito. As melhores chance da equipe do Barradão foram em cobrança de falta de Gedoz que passou raspando o poste, aos seis minutos, e já no fim, aos 51, quando Anselmo Ramon recebeu passe de Ruy no meio da área mas bateu na marcação.

FICHA TÉCNICA
VITÓRIA 0X1 CUIABÁ

Local: Barradão em Salvador (BA)
Data: 09 de julho de 2019, terça-feira
Horário: 19h15 horas (de Brasília)
Árbitro: Jose Henrique de Azevedo Junior (MA)
Assistentes: Antonio Fernando de Sousa Santos (MA) e Elson Araujo da Silva (MA)
Cartões Amarelos: Maciel e Ruy (Vitória); Jonas, Ednei, Anderson Conceição e Marino (Cuiabá) 
Cartões Vermelhos: –
Gols: Anderson Conceição aos 37 minutos do 1º tempo (Cuiabá)

VITÓRIA: Martín Rodríguez, Matheus Rocha, Everton Sena, Zé Ivaldo (Ramon) e Chiquinho; Baraka, Marciel e Ruy; Felipe Gedoz (Neto Baiano), Anselmo Ramon e Marcelo (Wesley)
Técnico: Osmar Loss

CUIABÁ: Victor Souza, Jonas, Ednei, Anderson Conceição e Paulinho; Escobar, Djavan e Alê; Felipe Marques (Hugo Cabral), Gilmar (Hugo Todinho) e João Henrique (Marino)
Técnico: Itamar Schulle

Fonte: Gazeta Esportiva

06 dezembro 2018

Vitor Feijão vibra com bom desempenho e celebra números na temporada

Foto: Caio Marcelo/www.criciuma.com.br
Emprestado ao Criciúma pelo Paraná, o atacante Vitor Feijão foi um dos destaques do time catarinense na disputa da Série B. Em 27 jogos, ele anotou seis tentos e deu uma assistência para gol. Um dos artilheiros do Tigre no Brasileirão, o jogador ajudou a equipe carvoeira a se livrar do rebaixamento e terminar o campeonato na 14ª posição da tabela, com 47 pontos.

O ano de 2018 foi único na carreira de Vitor Feijão. O atacante atingiu o seu maior número de jogos e participações diretas para gol em uma mesma temporada. Por Paraná e Criciúma, ele realizou 41 partidas, anotou sete tentos e deu duas assistências. Feliz pela marca, o jogador celebra o feito. ”Foi uma temporada única na minha carreira. Pude atuar em 41 partidas, marcar sete gols e ainda dar duas assistências. Me dedico diariamente para deixar o meu melhor em campo e vejo que estes números são resultado disso. Agradeço ao Criciúma e ao Paraná pelas oportunidades e pela confiança depositada em mim”, disse o atleta, de 22 anos.

De férias, Vitor Feijão espera aproveitar este período de descanso para ”recarregar as baterias” e fazer de 2019 um ano ainda melhor. ”Quero aproveitar este período de folga para descansar e curtir a minha família. Isso será muito importante para que eu retorne com as energias renovadas na próxima temporada. Termino 2018 muito feliz com o meu desempenho e focado em trabalhar para que 2019 seja ainda melhor”, concluiu.

03 dezembro 2018

Mais de 3 mil minutos em campo, acesso no Paulista e permanência na Série B, Joilson enaltece seu 2018 pelo Oeste

Foto: Divulgação/Oeste 
Dever cumprido. É com esse sentimento com o zagueiro Joilson fecha a temporada 2018. O defensor foi fundamental para o Oeste atingir objetivos importantes no ano. No total, Joilson atuou em 36 jogos com 12 vitórias, 15 empates e somente nove derrotas. Com Joilson em campo, o Oeste sofreu 35 tentos, média inferior a um gol por jogo.

Assim como já havia acontecido em 2017, quando foi titular absoluto pelo Oeste, Joilson enaltece sua regularidade na equipe rubro-negra. “Fiz muitos jogos na temporada, mais de 3 mil minutos em campo. Só não foi perfeita, pois tive uma pequena lesão no primeiro semestre que me impediu de ter mais partidas. No entanto, consegui me recuperar da contusão, dei a volta por cima e fechei o ano como titular e ajudando o Oeste”, declarou o zagueiro, que marcou dois gols em 2018.

O Oeste foi vice-campeão paulista da Série A-2, o que culminou no acesso à elite do Paulistão e depois conseguiu manter-se na Série B finalizando a competição com 46 pontos. “Analiso um ano positivo para o Oeste. Conquistamos o acesso no estadual e mantivemos o time na Série B, garantindo assim um ótimo calendário para o time em 2019. Tenho 70 partidas no clube e fico contente em contribuir para a consolidação do Oeste no cenário estadual e nacional”, enalteceu Joilson.

Bastante valorizado após mais um ano sólido pelo Oeste, Joilson agora deseja aproveitar um pouco das férias antes de definir o seu futuro. “Foi um ano desgastante. Preciso recuperar as energias, pois daqui a pouco já voltarei à ativa. Momento de descansar, pescar, aproveitar a família. Sei que 2019 será um ano de novas metas e batalhas. Por isso, é importante ter esse período de férias para voltar ainda melhor”, finalizou.

Números de Joilson em 2018:

*36 jogos com 12 vitórias, 15 empates e 9 derrotas

* O zagueiro marcou dois gols

* Com ele em campo, o Oeste sofreu 35 gols, média inferior a um gol por partida

* No total, o defensor esteve em campo 3.137 minutos

Com quase o dobro de aproveitamento, Renato fecha 2018 como personagem fundamental do Avaí

Fotos: Frederico Tadeu/Avaí 
Os números são aliados para comprovar a importância de Renato para o Avaí na campanha que culminou no acesso da equipe azurra à Série A. O versátil jogador terminou a segundona com 12 gols marcados, sendo o artilheiro avaiano na competição, com cinco gols a mais que Rodrigão e Getúlio. Renato ficou em quarto lugar na artilharia da Série B.

Lateral-direito de origem e atuando boa parte da trajetória do Leão como ponta, Renato valorizou o fato de ter marcado tantos gols na Série B. Aliás, os gols na segundona, fizeram com que 2018 seja a partir de agora a temporada com mais gols de Renato na carreira, superando os sete tentos que anotou em 2016. “Sempre deixei claro que o meu objetivo inicial era recolocar o Avaí na Série A e comemorei muito o fato que a meta foi alcançada. Durante a competição vi que tinha terminado o turno com seis gols. Não cheguei a expor isso publicamente, mas guardei comigo esse objetivo de tentar marcar pelo menos mais seis gols no returno. Acabei fechando o ano bastante satisfeito, pois além do objetivo principal que era o acesso, consegui atingir a meta de gols”, explicou o camisa 19 azurra.

Renato não foi importante apenas marcando gols. Ele contribuiu também com assistências. Foram oito no total. Em resumo, o alagoano participou diretamente de 20 gols do Avaí na Série B. Ele só não teve mais participações que o atacante Lucão, do Goiás, que participou de 21 tentos (16 gols e cinco assistências). “Esses números comprovam que fui muito participativo nesta Série B. Não apenas com os gols, mas também com assistências, que é algo fundamental para um jogador com minhas características. É importante demais ter 20 participações diretas numa competição tão difícil como a Série B”, admitiu o atleta de 28 anos.

Fotos: Frederico Tadeu/Avaí 
Além de gols e assistências, Renato contribuiu diretamente para os bons resultados do Avaí que terminaram com o acesso. Ele não atuou em cinco partidas e o Leão somou apenas cinco pontos nesses duelos, num aproveitamento de 33%. Com Renato em campo, o aproveitamento avaiano quase duplicou com 56% dos pontos. “Já havia tido um ano feliz em 2016 pelo Avaí e isso se repetiu nesta temporada. Sei que fui importante para o acesso e para o bom desempenho do time. Mas, não conquisto nada sozinho. Tive suporte dos meus companheiros e quero, inclusive, agradecer todos do elenco avaiano que me ajudaram a ter um grande desempenho na Série B”, concluiu.

Números de Renato na Série B:

* Artilheiro do Avaí com 12 gols (temporada que o jogador mais marcou gols na carreira)

* Segundo jogador com mais participações diretas para gol, com 20 no total (12 gols + 8 assistências). Ele só foi superado por Lucão, atacante do Goiás que participou de 21 tentos (16 gols + 5 assistências)

* O aproveitamento do Avaí com Renato em campo foi de 56% dos pontos. Sem ele, despencou para 33%

* Segundo jogador mais caçado da Série B com 104 faltas sofridas, só sendo superado por André Luis, atacante da Ponte Preta, que sofreu 121 faltas

24 novembro 2018

Goiás se despede com derrota em casa para o Brasil de Pelotas

Em festa pelo acesso, time esmeraldino sofre gol relâmpago e perde para o Brasil de Pelotas, por 1 a 0, na última rodada da Série B

 (Foto: André Costa)
O Goiás se despediu da Série B do Campeonato Brasileiro com derrota. Jogando no Serra Dourada na tarde deste sábado (24), pela 38ª rodada, o time esmeraldino perdeu pelo placar de 1 a 0 para o Brasil de Pelotas. Com o resultado negativo, o alviverde encerra sua participação na Série B deste ano sem vencer no Serra Dourada. Em seis jogos, foram quatro derrotas e dois empates no palco esportivo, que será a casa esmeraldina na Série A do ano que vem.

O primeiro tempo começou com um balde d’água fria na torcida esmeraldina. Aos 19 segundos de jogo, no primeiro ataque com velocidade do Brasil de Pelotas, Diego Miranda passou com facilidade pela zaga e não desperdiçou. O Xavante seguiu criando boas oportunidades e pressionando, principalmente com Wellington Júnior. O primeiro chute do Goiás ao gol aconteceu somente aos 16 minutos, com Alex Silva, que arriscou uma pancada da intermediária, mas a bola explodiu no travessão.

Aos 31, Lucão também teve boa oportunidade, de cabeça, após cobrança de escanteio, mas o goleiro defendeu. Aos 38 minutos, o lateral esquerdo do Brasil de Pelotas, Alex Juan, foi expulso após levar o 2º cartão amarelo. Com um homem a mais em campo, o alviverde terminou a primeira etapa pressionando mais, mas não o suficiente para igualar o placar.

O Goiás voltou para a etapa final com mais atitude no jogo. Lucão e Giovanni foram donos das melhores chances, com chutes de fora da área, nos 10 primeiros minutos. Entretanto, a vantagem esmeraldina dentro de campo durou somente até os 18 minutos. Após falta dura no meio de campo, o zagueiro David Duarte levou o 2º cartão amarelo e também foi expulso.

Com 10 jogadores para cada lado, o Xavante voltou a ser melhor no jogo e na primeira oportunidade quase marcou o segundo, mas Lourency chutou para fora. Após os ânimos acalmarem dos dois lados, a partida ficou equilibrada. O Brasil teve duas boas oportunidades para ampliar o placar, mas não aproveitou. O Goiás também criou boas chances, mas faltou eficiência na pontaria.

O resultado do jogo não interferiu em nada na tabela de classificação geral da Série B. O Brasil de Pelotas já havia garantido sua permanência na competição no ano que vem e ficou na 11ª colocação, com 50 pontos. Já o Goiás chegou para a última rodada com o acesso à Série A confirmado e terminou na 4ª colocação com 60 pontos.

Ficha técnica

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia

Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)

Assistentes: Elicarlos Franco de Oliveira (BA) e Jucimar dos Santos Dias (BA)

Goiás: Tiago Cardoso; Alex Silva, Victor Ramos, David Duarte e Ernandes; Gilberto Júnior (Edcarlos), João Afonso (Jefferson) e Giovanni; Michael, Lucão e Rafinha (Robinho). Técnico: Ney Franco

Brasil: Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Heverton e Alex Ruan; Leandro Leite, Rafael Gava (Sousa) e Diego Miranda; Welinton Júnior (Toty), Wallace Pernambucano (Bruno Collaço) e Lourency. Técnico: Rogério Zimmermann

Gols: Diego Miranda 20" do 1º tempo (Brasil)

Público pagante: 30.305

Público total: 32.036

Renda: 367.610,00 reais

Expulsões: Alex Ruan (Brasil); David Duarte (Goiás)

De virada, CRB vence o Figueirense por 2 a 1 e garante permanência na Série B

Foto:Pei Fon / Portal TNH1
O Clube de Regatas Brasil decidiu a permanência na Série B do Campeonato Brasileiro em casa, na tarde deste sábado (24). De virada, o Galo venceu o Figueirense por 2 a 1, em jogo válido pela 38ª e última rodada da Segundona. Pereira abriu o placar aos 8' do primeiro tempo, mas Rafael Costa, aos 7', e Willians Santana, aos 17', viraram para o Regatas, na segunda etapa.

Com o resultado, o CRB terminou com 48 pontos e na 12ª colocação. Já o Alvinegro de Santa Catarina permaneceu com 46 pontos, porém no 15º lugar.

Começo nada bom para o Regatas

O Galo não teve um início dos mais esperados pelo seu torcedor. Logo aos 8 minutos, Betinho avançou pela direita e acertou cruzamento na cabeça de Pereira que, sem marcação, tirou o goleiro João Carlos de ação e colocou a bola na rede. Figueirense na frente.

O CRB teve que reagir, mas esbarrou, por muitas vezes, na marcação do Alvinegro. Willians Santana e Renan Oliveira desperdiçaram as melhores chances criadas durante os 45 minutos. Já nos acréscimos, Paulinho, em uma cobrança de falta, acertou o travessão de Dênis e a equipe regatiana foi para o vestiário sem conseguir igualar o placar.

Rafael Costa desencanta e Santana vira

Em busca da virada, o Alvirrubro foi para cima do rival na segunda etapa. A primeira oportunidade clara surgiu após cruzamento de Diogo Mateus, mas Anderson Conceição não contou com o reflexo de Dênis, que defendeu a cabeçada do zagueiro. Mas um minuto depois, o Galo não vacilou. Paulinho aproveitou rebote e chutou rasteiro, Rafael Costa colocou o pé no caminho da bola e mandou a redonda para o fundo do gol catarinense. Foi a primeira vez que o camisa 9 marcou vestindo a camisa do Regatas. 

E o CRB não parou por aí. Aos 17 minutos, Rafael Costa recebeu passe dentro da área e encontrou Willians Santana livre para empurrar a bola para a rede do Figueirense. O atacante chegou ao 12º gol na Série B. A virada aconteceu em menos de vinte minutos e o resultado fez com que os atletas regatianos "cozinhassem" o confronto até o apito final.

Com a torcida comemorando nas arquibancadas, o CRB segurou o resultado e as duas equipes se garantiram na Série B de 2019.

FICHA TÉCNICA
CRB 2 X 1 FIGUEIRENSE

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)
Data: 24 de novembro, sábado
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Luiz Claudio Regazone (RJ)
Cartões amarelos: Everton Sena, Claudinei (CRB); Matheus Sales, Pereira (Figueira)
Gols:
FIGUEIRENSE: Pereira, aos 8 min do 1º tempo
CRB: Rafael Costa, aos 7, Willians Santana, aos 17 min do 2º tempo

CRB: João Carlos; Diogo Mateus, Everton Sena, Anderson Conceição e Paulinho; Claudinei, Serginho (Felipe Menezes) e Renan Oliveira (Mazola); Rafael Costa (Tinga), Iago e Willians Santana
Técnico: Roberto Fernandes

FIGUEIRENSE: Denis; Matheus Sales, Eduardo, Trevisan e João Paulo; Zé Antônio, Pereira (Gustavo Poffo), Betinho (Marco Antônio) e Jorge Henrique (Romarinho); Felipe Amorim e Elton
Técnico: Fabinho Santos


Fonte:TNH1

Com gol no último minuto, Vila Nova garante empate contra São Bento

Fonte: Jesus Vicente/Repórter autônomo
Neste sábado, o São Bento se despediu da Série B de 2018, no Estádio Walter Ribeiro, contra o Vila Nova com um empate, garantido nos minutos finais. No embate válido pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro, os dois times pressionaram e o gol que igualou o marcador foi anotado por Alan Mineiro aos 48 minutos do segundo tempo.

O primeiro tento deste sábado veio de um pênalti, marcado por Marcelo Cordeiro. O Vila Nova esboçou reação ainda na etapa inicial, mas não conseguiu superar o adversário. Apesar do jogo mais lento no segundo tempo, Mateus Anderson balançou a rede pelos visitantes. O jogo só ficou no empate porque, além da reação de Cordeiro, os torcedores viram um Alan Mineiro forte para deixar tudo igual.

O Tigre entrou em campo apenas para cumprir tabela. A equipe encerrou mais uma temporada em que sonhou com a Série A, mas acabou ficando longe da vaga. O embate também marcou a despedida de Hemerson Maria. O técnico estava à frente do clube desde o início da Série B de 2017

O São Bento, por sua vez, foi desfalcado para o confronto. O goleiro Rodrigo Viana, os zagueiros João Paulo e Douglas Mendes, o meia Celsinho e o atacante Ronaldo já tinham sido dispensados. O lateral Samuel Santos, por sua vez, está lesionado, enquanto o lateral-direito Tony levou o terceiro cartão amarelo e o meia Roni foi expulso na derrota por 1 a 0 para o Atlético-GO, em Goiânia, na última sexta-feira.

O jogo

Neste sábado, o Vila Nova começou pressionando, mas logo viu o São Bento tentar a primeira chegada, respondida pela defesa, que afastou o possível de cruzamento. Mateus Anderson viu uma boa chance em cobrança de escanteio na área dos donos da casa. Wesley Matos até cabeceou, Giaretta fez o desvio e Henal conquistou uma grande defesa, mas partida estava parada em Sorocaba.

Em seguida, Marcelo Cordeiro cobrou escanteio na trave e Diego Giaretta cortou com a mão. O lance rendeu um cartão amarelo e um pênalti. Foi então que o placar foi aberto em chute de Cordeiro, aos 21 minutos. A bola foi para um lado, o goleiro para o outro.

Depois do lance, o São Bento passou a jogar mais recuado, enquanto o Vila Nova explorava a troca de passe. Juninho ainda arriscou perto da área, mas a bola desviou na defesa e ficou com Henal. O Tigre ousou no campo de ataque, levando toda equipe para frente em busca do embate nos minutos finais do primeiro tempo, mas sem sucesso.

Logo no início do segundo tempo, o São Bento manteve a estratégia de trocar passes, enquanto o Vila Nova assistia à partida sem grandes emoções em Sorocaba. Depois disso, os dois times avançaram em busca de gol. De um lado, Francis bateu cruzado e foi parado por Pasinato. Do outro, Mateus Anderson tentou chute por cobertura, mas mandou para fora.

O gol do empate veio quando Mateus Anderson recebeu bom passe e aproveitou falha de marcação rival para balançar a rede. Antes do apito final, Alan Mineiro conseguiu ajeitar e marca de calcanhar para igualar o marcador.

FICHA TÉCNICA
SÃO BENTO-SP x VILA NOVA-GO

Local: Estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba (SP)
Data: 24 de novembro de 2018, sábado
Horário: 17h00 (de Brasília)
Árbitro: Edmar Campos Encarnação (AM)
Assistentes: Marcos Santos Vieira (AM) e Uesclei Regison Pereira dos Santos (AM)

Público:1.617 pessoas
Renda: R$ 12.955,00

Cartões amarelos: Diego Giaretta, Maguinho, Washington (Vila Nova)
Gols: SÃO BENTO: Marcelo Cordeiro (pênalti) aos 21 minutos do primeiro tempo e aos 42 do segundo tempo; VILA NOVA: Mateus Anderson, aos 34 do segundo tempo; Alan Mineiro aos 48 minutos do segundo tempo.

SÃO BENTO: Henal; Ewérton Páscoa, Anderson Salles, M. Cordeiro e E. Silva; Fábio Bahia, Dudu Vieira e Paulo Vinícius; Joãozinho e Francis; D. Oliveira
Técnico: Marquinhos Santos

VILA NOVA: Mateus Pasinato; Maguinho, Wesley Matos, Diego Giaretta e Hélder; Washington, Moacir, Mateus Anderson, Alan Mineiro e Juninho; Elias

Técnico: Hemerson Maria


Fonte:Gazeta Esportiva

Paysandu sofre goleada do Atlético-GO e é rebaixado para a Série C

O Paysandu jogará a Série C do Campeonato Brasileiro em 2019. Neste sábado, a equipe dirigida por João Brigatti até saiu na frente do Atlético-GO e momentaneamente se salvava do descenso, mas sofreu a virada ainda na primeira etapa, tomou outros três gols no segundo tempo e acabou rebaixada para a segunda divisão ao perder a 38ª e última rodada da Série B para os goianos por 5 a 2, em plena Curuzu.

O torcedor bicolor, no entanto, terá muito o que reclamar da arbitragem do duelo. Logo aos oito minutos de jogo, quando a partida estava zerada, Mike marcou em posição legal, mas o bandeirinha assinalou impedimento e o árbitro Péricles Bassols anulou o tento de maneira errônea.

Com o resultado, o Paysandu estacionou nos 43 pontos, terminando a competição no 17º lugar ao somar 10 vitórias, 13 empates e 15 derrotas. O Atlético-GO bate na trave em relação ao acesso e se mantém na Segundona. Os goianos fecham a participação com a sexta posição e 59 pontos somados (16 vitórias, 11 empates e 11 derrotas).

Paysandu sai na frente, mas é prejudicado e toma a virada

Ciente da necessidade da vitória, o Paysandu foi para o ataque desde o apito inicial do árbitro. Logo aos quatro minutos, Nando Carandina recebeu na entrada da área e bateu forte, obrigando o goleiro Klever a espalmar. Mais tarde, Mike foi acionado em cruzamento e desviou a bola para as redes, mas o bandeirinha marcou impedimento de forma errônea e o árbitro Péricles Bassols anulou o gol.

Apesar do tento anulado, o atacante Mike não se abateu, e foi recompensado por isso. Pedro Carmona cobrou escanteio na segunda trave, Fernando Timbó escorou e o camisa 18 se antecipou à marcação para vencer o goleiro Klever, abrindo o placar para o time paraense.

A alegria do time bicolor, no entanto, durou pouco. Menos de 10 minutos após sair atrás, o Dragão contou com a sorte para empatar em um dos poucos lances da equipe até ao momento. O lateral esquerdo Moraes recebeu na ponta esquerda, cruzou e contou com um desvio em Maicon Silva para encobrir o goleiro Renan Rocha e marcar.

O Paysandu sentiu o golpe, mas teve a chance de fazer o segundo com Hugo Almeida, que recebeu bola na área e deu belo corte na marcação, mas arrematou rente à trave. No contragolpe, o Atlético-GO foi mais incisivo e assumiu a vantagem no placar com Moraes. Em nova infiltração, o lateral, mesmo desequilibrado, tocou de cobertura na saída de Renan Rocha para deixar seu segundo gol e colocar os visitantes em vantagem.

Dragão transforma vitória em goleada

Se a situação do Papão já era difícil, ficou complicadíssima antes do primeiro minuto do segundo tempo, quando o Atlético-GO puxou contra-ataque rápido e marcou o terceiro com o meio-campista João Paulo, que saiu na cara do gol e teve tranquilidade para não desperdiçar a oportunidade.

A reação do Paysandu, contudo, não tardou. Antes dos 10 minutos, Mike arrancou pela direita e cruzou rasteiro na área, onde Thomaz, que entrou na volta do intervalo, chegou arrematando de primeira, diminuindo o placar. O empate quase veio na sequência, quando o mesmo Thomaz carimbou o travessão em belo chute.

Para jogar uma ducha de água fria no torcedor bicolor presente na Curuzu, que gritava “eu acredito” em plenos pulmões, João Paulo cruzou na área,  André Luís apareceu livre para cabecear forte, sem chances de defesa, e fazer o quarto gol do Dragão.

O Paysandu se mostrou bravo na reta final da partida, mas pouco fez ofensivamente para ao menos diminuir, e ainda levou o quinto, com Júlio César. Assim, vitória para o Dragão por 5 a 2 e rebaixamento para o Paysandu. A equipe paranaense volta à terceira divisão após quatro anos.

FICHA TÉCNICA
PAYSANDU 2×5 ATLÉTICO-GO 

Local: Estádio Leônidas Sodré de Castro, em Belém (PA)
Data: 24 de novembro de 2018, sábado
Horário: 17 horas (Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral da Silva e Marcelino Castro de Nazaré (PE)
Cartões amarelos: Jonathan e Renato Kayzer (Atlético-GO). Diego Ivo (Paysandu)
Gols:
PAYSANDU: Mike aos 15 minutos do 1ºT e Thomaz aos sete minutos do 2°T.
ATLÉTICO-GO: Moraes aos 25 e aos 44 minutos do 1ºT. João Paulo a um minuto, André Luís aos 22 e Júlio César aos 48 do 2°T.

PAYSANDU: Renan Rocha; Maicon Silva (Lúcio Flávio), Diego Ivo, Fernando Timbó e Guilherme Santos; Renato Augusto, Nando Carandina (Matheus Silva), Mika e Pedro Carmona; Hugo Almeida e Magno (Thomaz)
Técnico: João Brigatti

ATLÉTICO-GO: Klever; Jonathan, Oliveira, Gilvan e Moraes (Alisson); Pedro Bambu, Vitinho (Fernandes) e João Paulo; André Luís, Renato Kayzer e Júlio César
Técnico: Wagner Lopes

Avaí empata com a Ponte Preta e volta à Série A do Brasileirão

Foi! Na última rodada e no último jogo do ano. Com muito nervosismo. Com chuva e com sol na Ressacada. O Leão foi para a Série A. O Avaí conseguiu o voltar ao pelotão de elite do Campeonato Brasileiro. Maioria entre os 16.460 no estádio, o torcedor azurra sofreu um bocado na partida deste sábado. Mas, como foi ao longo da Série B, jamais perdeu a confiança de atingir a meta do ano. Sofrimento recompensado pelo orgulho que transborda do peito. O empate sem gols com a Ponte Preta, um 0 a 0 nervoso, bastou para que ele diga que está de volta ao grupo dos maiores clubes do futebol nacional. 

Em um primeiro tempo que começou com chuva e terminou com sol, o Leão foi melhor e com marcação apertada, não deixou a Ponte, que necessitava da vitória para subir, chegar na frente. O time da casa deu trabalho na bola parada. Mas a melhor chance da etapa foi pontepretana. Rubinho, na segunda partida de toda a temporada, defendeu. Na etapa complementar, a dupla Betão e Marquinhos Silva foi soberana e aplaudida pelo maior público do ano na Ressacada. O Avaí continuou melhor, mas não conseguiu o gol. Não fez falta. O empate foi suficiente para subir na terceira colocação final. A Ponte fica na Série B. 
Foto: Marco Favero / Diário Catarinense

O Avaí se apresenta para a temporada de 2019 no dia 2 de janeiro. O primeiro jogo da próxima temporada será na Ressacada, no dia 17 do primeiro mês do ano, contra o Metropolitano pela primeira rodada do Campeonato Catarinense.

O jogo

Partida nervosa pelo que havia por decidir: o próximo ano dos dois times. Nem a chuva forte durante as primeiras voltas do ponteiro esfriou os ânimos. Logo no começo, dois cartões amarelos para cada lado: Matheus Barbosa e Nathan. Com o campo pesado, a bola parada era solução. E o Avaí incomodou em um bate-rebate na pequena área que não prosseguiu por causa de impedimento. A Ponte Preta precisava da vitória para subir, tentava com o avanço dos laterais, mas o Leão travava o rival. Era o time da casa que tinha a redonda mais perto da trave do adversário. Aos 15, em bola parada, outro susto na defensiva pontepretana. Daniel Amorim tentou o cantinho de Ivan em batida de falta frontal. Passou rente. O goleiro Rubinho, o escolhido do técnico Geninho para proteger as redes azurras, não era exigido – embora causasse apreensão quando precisava participar com os pés. 

O Leão era parado com faltas no entorno da área visitante, enquanto a Ponte passou a primeira parte do etapa inicial sem fazer Rubinho passar trabalho. A melhor chance azurra foi um chute de Pedro Castro – homem que Marquinhos torcia para que fizesse o gol de vitória neste sábado. Depois de falta erguida na área e espantada pela defesa, sobrou para o meia atentar da risca da grande área. Ivan abraçou sem dificuldade. No finzinho do primeiro tempo, a Macaca testou o goleiro azurra, que fez a segunda partida de toda a temporada. Passada a triangulação no lado direito, o cruzamento encontrou Júnior Santos, que cabeceou na direção do gol e Rubinho, em dois tempos, pegou.

Segunda etapa de apreensão

Os times aguardaram no gramado, postados, o reinício do segundo tempo – sincronizado com os demais jogos que poderiam influenciar no resultado. Mesmo que a Ponte tenha retornado mais ofensiva com a entrada de Victor Rangel (ex-Guarani de Palhoça) na vaga de um volante, foi o Avaí que fez o goleiro trabalhar. Da entrada da área, Iury mandou bala e Ivan se esticou para espalmar para fora. A partida se desenrolava com tensão. Então, a torcida casa aliviou cantando nas arquibancadas quando os visitantes se assanhavam ao campo de ataque. O Leão chegou novamente aos 17. Tocando bola, Getúlio recebeu na frente, dentro da área, mas não conseguiu o domínio: escapou na ajeitada para fuzilar. Em seguida, Rodrigão entrou com tudo na vaga de Daniel Amorim. Nesta altura do campeonato, havia mais pressão, principalmente sobre o time de preto e branco. O CSA tinha marcado o terceiro e passava fácil pelo Juventude, garantindo uma das vagas na elite. 

A situação fazia o torcedor cantar mais alto o possível, ainda que abafado pelo nervosismo. Era a arquibancada que levava o time, deixava a equipe em estado de alerta. Aos 30 minutos, o técnico Gilson Kleina colocou um lateral na vaga de um zagueiro para ir para o tudo ou nada. Em seguida, Rodrigão recebeu na altura da risca da área, virou e mandou ao lado do gol. O arremate foi convite para a maioria do maior público do ano na Ressacada incentivar a equipe para que ao menos sustentasse o resultado mínimo e fundamental.

No fim do jogo, a simulação do atacante Roberto, na entrada da área do Avaí, que recebeu o cartão amarelo, foi a senha para o torcedor começar a gritar de alegria. Ainda que Rodrigão tenha perdido um gol feito, cara a cara com o goleiro da Macaca, a festa não foi mais ameaçada.

FICHA TÉCNICA - Avaí 0 x 0 Ponte Preta

AVAÍ: Rubinho; Guga, Marquinhos Silva, Betão e Iury (João Paulo); Judson, Matheus Barbosa e Pedro Castro; Renato, Daniel Amorim (Rodrigão) e Getúlio (Jones Carioca). Técnico: Geninho.

PONTE PRETA: Ivan; Ruan, Renan Fonseca, Reginaldo e Danilo Barcelos; Nathan (Igor Vinícius), Lucas Mineiro e Tiago Real; Matheus Vargas (Victor Rangel), André Luis e Júnior Santos (Roberto). Técnico: Gilson Kleina.

CARTÕES AMARELOS: Matheus Barbosa (A). Danielo Barcelos, Nathan e Roberto (P).
ARBITRAGEM: Wilton Pereira Sampaio, auxiliado por Fabrício Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires (trio de GO).
LOCAL: Ressacada, em Florianópolis.
PÚBLICO: 16.460 torcedores.
RENDA: R$ 367.607


Fonte:DC

Zé Carlos marca, Criciúma vence o Sampaio Corrêa e se mantém na Série B

Foto: Guilherme Hahn / Especial / Especial
Com o pior aproveitamento das últimas quatro participações da Série B, o Criciúma fez o dever de casa e garantiu a permanência na última rodada. Diante de 9 mil torcedores no Heriberto Hülse, o Tigre superou o Sampaio Corrêa por 2 a 0 neste sábado, com gols de Zé Carlos e Elvis. Depois de oito partidas sem vencer, o Criciúma garantiu os três pontos e termina o campeonato em 14º lugar, com 47 pontos.

Precisando da vitória, os donos da casa criaram boas oportunidades no início do jogo com Elvis pela direita e Vitor Feijão pela meia esquerda. Suéliton também colocou a marcação para trabalhar, e Liel mandou duas vezes de cabeça contra o gol de Busatto. O Criciúma diminuiu o ritmo e o time maranhense chegou com perigo na tabela de Luiz Gustavo com Jheimy, dando trabalho para Belliato. Do lado do Tigre, Zé Carlos balançou a rede, mas estava impedido e o gol não valeu. 

Os dois times mexeram ainda no primeiro tempo: do lado do Sampaio, Luiz Gustavo sentiu e foi substituído. Do outro lado, Mazola Junior optou por Patrick no lugar de Jean Mangabeira, para deixar o time mais ofensivo. Com um minuto da etapa final, Sandro tentou de cabeça, colocando o Tigre no jogo novamente. O time maranhense chegou algumas vezes, mas quem balançou a rede foram os donos da casa. No lançamento de Marlon, Zé Carlos mandou de cabeça aos 25 minutos, para a explosão da torcida.

Os donos da casa queriam mais, e Patrick mandou uma bomba aos 32. Dois minutos depois, Alex Maranhão chegou de fora da área para a defesa em dois tempos de Busatto. Com o placar favorável, o Tigre passou a jogar mais solto, e aos 43, Elvis balançou a rede após toque de Alex Maranhão. A torcida, que respondeu ao chamado do clube, fez uma festa que há muito não se via no Majestoso. Este ano, o maior público registrado tinha sido no Catarinense, 5,4 mil pessoas, na partida contra o Figueirense.

Campanha do Criciúma na Série B 2018

38 jogos
11 vitórias
14 empates
13 derrotas
45 gols
41,2% de aproveitamento

FICHA TÉCNICA

Gols: Zé Carlos do Criciúma aos 25 minutos e Elvis aos 43 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Diego Silva, do Sampaio Corrêa. Eduardo, Zé Carlos, do Criciúma.
CRICIÚMA - Belliato; Sueliton, Sandro, Fábio Ferreira e Marlon; Liel, Jean Mangabeira (Patrick), Elvis e Eduardo; Vitor Feijão (Alex Maranhão) e Zé Carlos (Ronaldo). Técnico: Mazola Júnior. 
SAMPAIO CORRÊA - Busatto; Bruno Moura, Maracás, Joécio e Luiz Gustavo (César Sampaio (Rogério)); Adilson Goiano , Diego Silva, Fernando Sobral e Misael; Matheuzinho e Jheimy (Uilliam). Técnico: Marcinho Guerreiro.
Arbitragem: Marcelo de Lima Henrique, auxiliado por Michael Correia e Thiago Henrique Neto Correa Farinha. 
Local: Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma.
Público: 9.022
Renda: R$ 101.470,00

Fonte:DC

Com Marta no camarote,Neto Berola faz três e CSA goleia o Juventude e volta à Série A após 31 anos

Foto:Thiago Parmalat/RCortez/CSA
O CSA conquistou o acesso à elite do futebol brasileiro durante a tarde deste sábado. Jogando em um esvaziado Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, o time alagoano se impôs dentro de campo e venceu o já rebaixado Juventude por 4 a 0, com gols de Jhon Cley e Neto Berola (3), em duelo válido pela 38ª e última rodada da Série B.

Com o resultado, o Azulão terminou a competição no segundo lugar, com 62 pontos, atrás somente do campeão Fortaleza, com 71. Já o Juventude encerra sua participação no torneio de forma melancólica, na 19ª e penúltima colocação, com meros 35 pontos, e disputará a Série C no ano que vem.

O vice-campeonato garantiu ao CSA, portanto, o retorno à Série A do Campeonato Brasileiro após 31 anos. Além disso, coroou uma arrancada histórica, que contou com o vice da Série D, em 2016, e o título da Série C, em 2017, transformando o clube de Maceió no primeiro a ter três acessos consecutivos em divisão nacional.

O Jogo – Empurrado por um bom número de torcedores, sendo um deles a jogadora Marta, o CSA começou disposto a não dar chances ao Juventude e não demorou a sair na frente. Aos 19 minutos, após cobrança de escanteio pela esquerda, Jhon Cley desviou na primeira trave e abriu o placar no Alfredo Jaconi.

Mesmo com a vantagem, o CSA não se retraiu e continuou em cima. Pouco depois do gol, Celsinho chutou forte da entrada da área e exigiu boa defesa do goleiro Douglas Silva.

O Juventude, praticamente inofensivo no primeiro tempo, respondeu aos 37 minutos, quando Leandro Lima arriscou de fora da área, tirando tinta da trave direita da meta alagoana.

O time da casa voltou mais ofensivo para a etapa complementar, com o atacante Douglas Kemmer no lugar do lateral direito Vidal. Apesar da postura mais agressivas, os gaúchos tinham dificuldade em furar as linhas defensivas do CSA, que passou a apostar nos contra-ataques.

E, em um deles, os visitantes ampliaram a vantagem. Aos 18 minutos, Neto Berola, que entrou na vaga de Walter, recebeu na intermediária, foi desarmado parcialmente por Tony, mas contou com o vacilo da zaga para sair na cara do gol e tocar com estilo na saída de Douglas.

Em tarde inspirada, o substituto de Walter ainda faria o terceiro do CSA. Aos 22 minutos, após corte errado da zaga gaúcha, Neto Berola soltou a bomba de primeira, de fora da área, sem chances para Douglas. Aos 38, o atacante deu números finais à partida, após arrancar no campo de defesa, deixar quatro marcadores para trás e tocar com categoria na saída do arqueiro do Juventude.

FICHA TÉCNICA
JUVENTUDE-RS 0 X 4 CSA-AL

Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)
Data: 24 de novembro (sábado)
Horário: 17h00 (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Cartão Amarelo: Esquerdinha, Amaral, Wágner e Vinicius (Juventude); Walter (CSA)
Cartão Vermelho: –
Gols: 

CSA: Jhon Cley, aos 19 minutos do 1º tempo, e Neto Berola, aos 18, aos 22, e aos 38 minutos do 2º tempo

Juventude: Douglas Silva; Vidal (Douglas Kemmer), Vinicius (Guilherme Queiroz), Wagner e Esquerdinha; Amaral, Tony, Felipe Mattioni, Leandro Lima (Gabriel Valentini) e Denner; Hugo Sanches
Técnico: Luiz Carlos Winck

CSA: Lucas Frigeri; Celsinho, Elivelton, Matheus Lopes e Rafinha; Pio, Didira e Dawhan; Hugo Cabral (Rony), Walter (Neto Berola) e Jhon Cley (Juan)
Técnico: Marcelo Cabo

Guarani vence o Londrina na despedida da edição 2018 da Série B

Créditos: Letícia Martins/Guarani Futebol Clube
O Guarani encerrou sua participação no Campeonato Brasileiro da Série B com vitória. Na tarde deste sábado (24), o Alviverde recebeu o Londrina, no Brinco de Ouro, pela 38ª rodada, e ganhou por 1 a 0. Rafael Longuine marcou o único gol do jogo e deu a vitória ao Bugre.

Com 54 pontos, o time Bugrino terminou na nona colocação com 47% de aproveitamento. Foram 14 vitórias, 12 empates e 12 derrotas.

O Jogo
Definindo o planejamento da próxima temporada, o Guarani iniciou a partida contra o Londrina bem modificado. Marco Antônio, optou por dar oportunidade para alguns atletas que, até então, não vinham atuando com a camisa Bugrina. Passarelli assume a vaga deixada por Agenor. Felipe Rodrigues substituiu Kevin, assim como Ferreira, que entrou na vaga de Maia. Pará foi o escolhida para a lateral-esquerda e no meio campo, Matheusinho ganhou oportunidade na ausência de Ricardinho. O Bugre iniciou com: Passarelli; Felipe Rodrigues, Ferreira, Fabrício e Pará; Willian Oliveira, Denner e Matheusinho, Rafael Longuine e Erik; Gabriel Poveda.

Primeiro Tempo
O Guarani fez uma partida muito segura neste sábado contra o Londrina. Com domínio territorial, posse de bola e velocidade, o Alviverde conseguiu construir o resultado e não passou por perigos. Apesar disso, Passarelli, quando acionado, respondeu muito bem.

A primeira boa chance saiu dos pés de Felipe Rodrigues. Aos 5′, o lateral cruzou para área, mas a bola passou por Gabriel Poveda. A segunda tentativa, também pelo lado direito, aconteceu aos 14′. Ferreira lançou para Matheusinho, o meia dominou bem, cruzou, mas a defesa afastou novamente. Apesar das tentativas, o Bugre ainda não tinha conseguido ser mais contundente. Mas, aos 36′,  Erik recebeu de Longuine e chutou tirando tinta da trave. No lance seguinte, aos 37′, Erik fez nova jogada, tocou para Longuine, o meia serviu Pará e o lateral chutou forte para nova defesa de Alan.

De tanto insistir, o Bugre abriu o marcador. Aos 41′, Longuine recebeu dentro da área, carregou e chutou no canto baixo esquerdo de Alan para fazer o primeiro.

Segundo Tempo
Em vantagem, o Guarani voltou para o segundo tempo com a mesma postura. Apesar de não conseguir ampliar o marcador, o time Bugrino também não sofreu. Logo no primeiro ataque, Denner recebeu de Matheusinho e chutou forte para boa defesa de Alan. Aos 9′, o goleiro Passarelli brilhou. Em cobrança de falta, o arqueiro voou e espalmou para escanteio.

Depois do susto, Marco Antônio promoveu mudanças no Bugre. Matheus Oliveira, Guilherme e Marcão entraram nas vagas Matheusinho, Longuine e Erik, e o time Bugrino voltou assustar aos 16′. Matheus Oliveira cobrou escanteio, Willian Oliveira subiu e cabeceou com perigo.

Sem o mesmo ímpeto inicial, o Alviverde voltou assustar novamente aos 42′. Poveda arrancou, e tocou para Matheus Oliveira. O meia invadiu a área e chutou em cima de Alan.

Ficha Técnica
Guarani Futebol Clube x Londrina Esporte Clube
Estádio Beinco de Ouro, em Campinas
Arbitragem: Avelar Rodrigo da Silva – CE, Marcione Mardonio da Silva Ribeiro – CE e Ailton Farias da Silva – CE.
Gols: Rafael Longuine (GUA)
Cartão Amarelo: Willian Oliveira, Mateusinho (GUA); Igor Miranda (LON)
Cartão Vermelho: –
Público e renda: 1.346 – R$ 18.665,47

Guarani Futebol Clube
Passareli; Felipe Rodrigues, Ferreira, Fabrício e Pará; Denner, Willian Oliveira e Mateusinho (Matheus Oliveira);
Longuine (Guilherme), Erik (Marcão) e Poveda. – Técnico: Marco Antônio

Londrina Esporte Clube
Vagner; Matheuzinho, Marcondes, Matheus Mancini e Sávio; João Paulo, Jardel e Higor Leite; Marcelinho, Carlos Henrique e Luccas Brasil – Técnico: Roberto Fonseca

Gustavo se despede do Fortaleza em rede social: "Um clube que aprendi a amar"

Foto: Julio Caesar/O POVO
Depois de uma temporada para se lembrar, o atacante Gustavo se despede do Fortaleza. O atleta, que é o atual artilheiro do Brasil com 30 gols, se apresenta no Corinthians no ano que vem. Em mensagem no seu Instagram pessoal, o centroavante declarou seu amor ao Tricolor e revelou que 'sentirá saudades'. 

"É com dor no coração que me despeço. Foi um clube que aprendi a amar, com muita determinação vivi momentos que jamais serão esquecidos. Conquistamos o tão sonhado acesso à Série A do Campeonato Brasileiro, consegui uma marca histórica em minha carreira marcando 30 gols numa temporada, dei o meu melhor dentro de campo, tenho certeza que tudo o que fiz no Fortaleza foi com amor", escreve o atacante.


"Sentirei muitas saudades dos meus companheiros de equipe, pois sem eles jamais conseguiria sucesso. Da diretoria, comissão técnica, funcionários do clube e principalmente dos torcedores que, sem sombra de dúvidas, foram e serão muito importantes para o Fortaleza em 2019. Com o coração apertado me despeço dessa torcida tão especial, a qual também passo a fazer parte. Muito obrigado", encerra.  ´


Fonte:O Povo Online

23 novembro 2018

Fortaleza se despede da Série B com derrota para o Coritiba fora de casa

Foto: Paulo Matheus/Fortaleza/Divulgação
Em duelo que reuniu duas equipes que apenas cumpriam tabela no fim do Campeonato, Coritiba e Fortaleza fizeram um jogo morno e que por pouco não terminou sem gols. Mas com um gol nos minutos finais da partida, o Tricolor acabou derrotado por 1 a 0, em jogo disputado na noite desta sexta-feira (23), no estádio Couto Pereira, em Curitiba. Com essa derrota, o Tricolor fecha sua participação na Série B do Campeonato Brasileiro com 71 pontos. Em 38 jogos, foram 21 vitórias, 8 empates e 9 derrotas. O time ocupou a liderança em 36 das 38 rodadas e foi campeão do torneio com duas rodadas de antecedência.

Para o último compromisso da temporada, Rogério Ceni mandou a campo um time misto, contando com apenas três titulares. Jogadores como Romarinho, Éderson, Leonan e Jean Patrick ganharam oportunidade. Mas quem mostrou serviço mesmo foi Gabriel Félix. O goleiro foi bastante exigido e fez pelo menos três boas defesas no 1º tempo da partida. 

O Tricolor, por sua vez, pouco produziu e só conseguiu uma chegada perigosa na primeira etapa, aos 46 minutos, em contra-ataque puxado por Rodolfo, que cortou a marcação na área e bateu forte, sobre o travessão. 

Na etapa final, as duas equipes mostraram pouca inspiração para a construção de jogadas. Melhor na partida, o Coxa era quem mais assustava, mas esbarrava nas mãos de Gabriel Félix, que ia garantindo o empate no Couto Pereira. 

Quando tudo encaminhava para um fim de jogo sem emoções, o Coritiba marcou o gol da vitória. Pablo foi até a linha de fundo e acertou um cruzamento na medida para Alecsandro, que cabececou no canto. Gabriel Félix ainda tocou na bola, mas não evitou que ela morresse no fundo das redes. 

O Fortaleza agora entra de férias e volta oficialmente a jogar apenas em janeiro de 2019, para a disputa da Copa do Nordeste e do Campeonato Cearense nos primeiros meses do ano. A equipe ainda joga a Copa do Brasil e a Série A do Brasileirão na temporada. 
FICHA TÉCNICA
Coritiba 1x0 Fortaleza
Data: 23/11/2018
Local: estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ)
Assistentes: João Luiz Coelho de Albuquerque (RJ) e Diogo Carvalho Silva (RJ)
Cartões amarelos: Pablo, Kady, Matheus Bueno e Guilherme Parede (Coritiba); Leonan, Adalberto (Fortaleza)
Público: 1.567 pagantes (1.708 não pagantes)
Renda: R$ 28.891 
Gols: Alecsandro, aos 40 do 2º tempo (C)

CORITIBA: Rafael Martins; Pablo, Alex Alves, Alan Costa e Abner; Vitor Carvalho, Matheus Bueno e Kady (Pablo Thomaz); Nathan (Vinícius Kiss), Guilherme Parede (Julio Rusch) e Alecsandro. Técnico: Argel Fucks

FORTALEZA: Gabriel Felix; Tinga, Adalberto, Juasasni e Leonan (Jean Patrick); Igor Henrique (Sérgio), Ederson, Marlon e Romarinho; Wilson e Rodolfo (Douglas Coutinho). Técnico: Rogério Ceni


Fonte:O Povo Online

22 novembro 2018

Tendo decidido clássico diante do Figueirense, Renan Oliveira projeta duelo do CRB com a equipe alvinegra

Foto: Douglas Araujo - CRB
No próximo sábado (24) o CRB faz a sua última partida pela Série B de 2018. Às 17h, o Galo da Praia recebe o Figueirense, no Rei Pelé, pela 38ª rodada do Brasileirão. O duelo pode garantir a permanência da equipe na segunda divisão nacional. Atual 14ª colocado, com 45 pontos, o time alvirrubro só depende de si para escapar da degola. Uma vitória diante dos catarinenses já é o suficiente. Caso o Paysandu tropece, o time alagoano pode até perder que não termina o campeonato na zona de rebaixamento.

Um dos trunfos do CRB para a partida diante do Figueirense é o meia Renan Oliveira. O jogador, que vem de três vitórias seguidas com a camisa alvirrubra, sabe bem como é marcar diante deste adversário. Em 2015, ele atuou pelo maior rival do Figueira, o Avaí. Em clássico válido pela Série A daquele ano, o armador anotou o único gol do Leão da Ilha na vitória por 1 a 0 sobre o time alvinegro.

Feliz com o histórico positivo diante do Figueirense, Renan Oliveira projeta o duelo com a equipe catarinense. ”Tenho boas lembranças daquele clássico de 2015. Pude anotar o gol da vitória em partida que ocorreu na casa do adversário. Foi muito gratificante. Agora o meu foco está na permanência do CRB. Me sinto preparado para ajudar e espero poder realizar mais uma boa atuação diante do Figueirense, quem sabe até marcando mais um gol”, disse o jogador, campeão da Série B de 2017 pelo América Mineiro.

Além do bom retrospecto, Renan Oliveira aposta em outro fator para a partida de sábado. O meia destaca a importância da presença dos torcedores regatianos no confronto com o Figueirense. ”Não tem mais bola perdida, obstáculo, ou dificuldade. É uma verdadeira decisão. Nossa equipe lutou muito para chegar na última rodada dependendo apenas de si. Agora é a hora de fazer valer o nosso trabalho. O apoio que vem das arquibancadas será fundamental para que possamos concluir este objetivo. Junto com a nossa torcida vamos em busca da permanência”, finalizou o atleta do CRB.

Nathan valoriza oportunidades recebidas e vive expectativa de fazer sua primeira partida como titular no profissional do Coritiba

Foto : Divulgação/Coritiba
Apesar das últimas rodadas pouco valerem para o Coritiba, tem jogador aproveitando as oportunidades para mostrar serviço. É o caso do jovem Nathan, de 19 anos. O atacante, promovido neste ano aos profissionais pelo técnico Eduardo Baptista, possui oito jogos e um gol nesta Série B do Brasileirão.

Presente em dois dos últimos três jogos, o jogador ressalta a importância das oportunidades nesta reta final da temporada. “Para mim está sendo muito importante esse fim de ano. Quero retribuir a confiança e a oportunidade que o professor Argel está me dando, fazendo o meu melhor dentro de campo. Cada partida que eu entro é um aprendizado, é uma evolução. Já tive a oportunidade de marcar meu primeiro gol como profissional e foi incrível, um momento único. Vou seguir trabalhando forte para continuar crescendo”, revelou o atacante, que é natural da cidade de Palmeira, no Paraná.

No último jogo da temporada, o Coritiba recebe no Couto Pereira o Fortaleza, campeão da Série B deste ano. Para o jovem Nathan, a partida pode ser especial, isso porque o jogador vive a expectativa de fazer sua primeira partida como titular no profissional. “Ainda não tive essa oportunidade de ser titular mas, se acontecer, vou dar o meu melhor, como sempre fiz. Independente de começar ou entrar ao longo do jogo, sempre dou o máximo de mim. Sei que para o campeonato esse jogo não vai fazer muita diferença, mas para mim vale muito, é mais uma oportunidade para mostrar meu futebol”, concluiu.

A partida entre Coritiba e Fortaleza acontece amanhã (23), às 19h15.

20 novembro 2018

Confiante na permanência do Oeste, Joilson avalia decisão na última rodada da Série B: “Só dependemos de nós”

Foto: Divulgação/Oeste FC
Ficou para a última rodada. Após perder para o Goiás por 3 a 1 no último sábado (17), o Oeste joga neste final de semana a sua permanência na Série B do Campeonato Brasileiro. Na 15ª posição, com 45 pontos, a equipe de Barueri tem dois pontos de vantagem para o Paysandu, adversário que abre a zona de rebaixamento.

Titular do Oeste, presente em 23 dos 37 jogos disputados até aqui na competição, Joilson revela incômodo com a situação, mas demonstra confiança na permanência do clube. “É uma situação chata, que nenhum jogador gosta de viver, mas faz parte do futebol. Ano passado fizemos uma grande campanha, quase conseguimos o acesso e, nesse ano, infelizmente as coisas não aconteceram como gostaríamos. O importante é que só dependemos de nós, vamos fazer de tudo para salvar o ano e manter o Oeste na Série B”, ressaltou o zagueiro, que está desde 2017 no clube.

O confronto decisivo acontece no sábado (24), às 17h, em Varginha. O adversário é o Boa Esporte, último colocado e já rebaixado para a Série C. Se vencer, o Rubrão garante sua permanência na B, caso empate ou perca, precisará contar com a ajuda de outros resultados.

Se depender do retrospecto de Joilson, o Oeste tem grandes chances de escapar do rebaixamento, isso porque o defensor já enfrentou quatro vezes na carreira o Boa Esporte e nunca perdeu, foram duas vitórias e dois empates. “É o último jogo do ano e o mais importante para nós. Depois que o juiz apitar o fim da partida, não tem mais o que fazer, não teremos mais nenhuma outra oportunidade. Temos que aproveitar esses últimos 90 minutos para conseguir a vitória. Ninguém aqui quer jogar a Série C ano que vem. Nosso grupo tem condições de ir lá, lutar e vencer”, finalizou.

Em “jogo do ano”, Matheus Barbosa avalia confronto com a Ponte Preta e sonha com primeiro acesso da carreira no Brasileirão

Foto: Frederico Tadeu/Avaí F.C
Jogo do ano. É assim que Matheus Barbosa está encarando a última partida da temporada. Na 3ª posição da Série B do Brasileirão, com 60 pontos somados, o Avaí precisa só de um empate para garantir sua vaga na Série A de 2019.

Pela frente, a equipe catarinense terá uma verdadeira decisão. Isso porque o adversário da última rodada é a Ponte Preta, clube que também sonha com o acesso. Com um ponto a mais na tabela, o time azurra tem a vantagem de jogar pelo empate. “Temos que considerar essa vantagem, até porque é algo muito importante numa decisão como essa. Mas nesse primeiro momento nosso pensamento está na vitória. Não vamos entrar em campo para segurar o jogo e empatar, queremos sair de campo com os três pontos para encerrar com chave de ouro essa grande campanha. Tenho certeza que será um grande duelo, a Ponte Preta tem uma boa equipe e vem numa sequência incrível. É o jogo do ano, a partida que vale toda a nossa luta ao longo da temporada”, avaliou o volante, que possui 22 jogos pelo Avaí.

Matheus Barbosa disputa pela primeira vez na carreira a Série B e pode, neste final de semana, conquistar também seu primeiro acesso de Campeonato Brasileiro. O jogador de 24 anos veio por empréstimo do Tubarão para a disputa do Brasileirão e, aos poucos, conquistou seu espaço no Avaí. “É um momento único na minha carreira. Está sendo um ano incrível para mim, ainda não tinha vivido algo assim no futebol. Disputar pela primeira vez um campeonato como a Série B e chegar na última rodada com grandes chances de acesso é muito bom, não são todos que conseguem. Particularmente, 2018 já é o melhor ano da minha carreira, agora quero encerrar com essa conquista”, concluiu.

A partida entre Avaí e Ponte Preta acontece no sábado (24), às 17h, na Ressacada.

14 novembro 2018

Próximo de fazer de 2018 o ano em que mais atuou a carreira, Judson analisa confronto do Avaí com o CSA: ”Manter a cabeça erguida”

Fotos: Frederico Tadeu/Avaí F.C.
A temporada de 2018 tem sido especial para o volante Judson, do Avaí. Até aqui, o jogador já defendeu o Leão da Ilha em 49 oportunidades. Com isso, fez deste o ano o que mais atuou na carreira, ao lado de 2017, onde alcançou o mesmo número de partidas. A equipe azurra volta a campo no próximo sábado (17), quando enfrenta o CSA. Caso entre em campo, o camisa 93 chegará a 50 jogos e irá novamente bater o seu recorde de aparições em uma mesma temporada.

Feliz com a marca, Judson celebra a sequencia de jogos pelo Avaí ao longo de 2018. ”Para mim é muito especial atingir esta marca de jogos na temporada. Busco sempre ajudar a equipe e trabalho muito para isso. Atingir 50 jogos no ano, por um clube da grandeza do Avaí, é muito gratificante. Só tenho que agradecer aos meus colegas de equipe e profissionais da comissão técnica”, destacou o volante.

Com 57 pontos somados, o Avaí é, momentaneamente, o quinto colocado da Série B. A partida diante do CSA, vice-líder da segundona, será uma verdadeira decisão para o time catarinense. Em caso de vitória, o Leão da Ilha dará um importante passo rumo ao acesso. Porém, se a combinação de resultados não ajudar, um tropeço pode fazer com que a equipe catarinense chegue na última rodada fora do G-4.

Judson destaca o caráter decisivo da partida em Alagoas e pede um Avaí atento diante do CSA. ”Temos que manter a cabeça erguida, entrar ligados do primeiro ao último minuto. O CSA é o dono de uma das melhores campanhas da Série B, vai jogar diante da sua torcida e vem precisando da vitória. Acredito no potencial da nossa equipe e sei que temos condições de realizar uma boa atuação em Alagoas. Vamos superar estas adversidades para buscar o grande objetivo da temporada, que é o acesso”, concluiu o camisa 93.

CSA e Avaí se enfrentam no sábado, às 17h, no estádio Rei Pelé. A partida será válida pela 37ª e penúltima rodada da Série B.

 
Back To Top