Atividade Esporte News: Copa Sul-Americana
⚽Notícias
Mostrando postagens com marcador Copa Sul-Americana. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Copa Sul-Americana. Mostrar todas as postagens

06 dezembro 2018

Atl. Paranaense empata com Junior Barranquilla no 1º jogo da final da Copa Sul-americana

Pablo chuta para abrir o placar para o Furacão, dia 5 de dezembro de 2018, no jogo de ida da final da Sul-americana contra o Junior Barranquila, em Barranquilla.(AFP / Raul Arboleda)
O Atlético Paranaense empatou em 1 a 1 com o Junior Barranquila, nesta quarta-feira, pelo jogo de ida da final da Copa Sul-americana disputado na Colômbia.

Após um primeiro tempo morno, os times apresentaram bom futebol na volta do intervalo. Pablo abriu o placar para o Furacão, aos 5 minutos, mas Yony González igualou dois minutos depois para dar números finais ao confronto.

Os colombianos ainda tiveram a chance de virar o jogo em cobrança de pênalti, mas Pérez mandou uma bomba e acertou o travessão aos 27 minutos.

O Furacão vai atrás do primeiro título internacional jogando diante de sua torcida, dia 12 de dezembro na Arena da Baixada. A Copa Sul-americana não tem o gol fora de casa como critério de desempate na final, portanto quem vencer leva o troféu. Empate leva a partida para os pênaltis.

- Furacão inofensivo -

O Atlético iniciou a partida tentando diminuir o intenso ritmo imposto pela equipe colombiana. O Junior pressionou nos momentos iniciais, enquanto os paranaenses se fechavam à espera de um contra-ataque.

Apesar de sufocarem o time brasileiro em alguns momentos, os anfitriões só conseguiram chegar com mais perigo aos 29 minutos. Barrera fez boa jogada e a bola sobrou para Luis Díaz, que girou e bateu por cima do gol de Santos.

Do outro lado, o Atlético não conseguia trocar passes e chegar ao ataque com eficiência. A equipe era inofensiva e chutou apenas uma bola sem perigo ao gol de Viera.

- Outro jogo -

Na segunda etapa, o Furacão voltou mais ligado e tomou conta do jogo nos instantes iniciais. Logo no primeiro minuto, Léo Pereira venceu disputa pelo alto em cobrança de escanteio e cabeceou com muito perigo.

A postura da equipe era totalmente diferente da primeira etapa. Aos 5, Nikão puxou contra-ataque rápido no meio de e lançou Pablo na área. O centro-avante ganhou na velocidade e bateu de primeira para estufar as redes e tirar o zero do placar.

Mas os brasileiros mal conseguiram comemorar. Aos 7 minutos, depois de bate rebate dentro da área, Jonathan limpou mal o lance e a bola ficou viva para González emendar para empatar a partida.

A partida então perdeu em intensidade, com as duas equipes receosas em atacar e deixar espaços na defesa. O Atlético só voltou a assustar aos 24 minutos, em jogada ensaiada em cobrança de falta que Nikão concluiu fraco.

Dois minutos depois, Rony fez falta em Gutierrez dentro da área e o árbitro marcou o pênalti para o Junior Barranquilla. Pérez foi para a cobrança e encheu o pé, mandando uma bomba que explodiu no travessão. Santos nem teve tempo de reagir e contou com a sorte para não precisar buscar a bola dentro do gol.

O empate era um bom negócio para o Furacão, que voltou a esfriar a partida e se fechou de vez lá atrás para esperar o final da partida. A postura deu espaço para o time colombiano chegar e dar trabalho para Santos.

Nos acréscimos, o goleiro brasileiro fez duas grandes defesas para assegurar o empate. Aos 46, Santos fechou bem o ângulo e evitou a finalização de Ruiz. Dois minutos depois, o arqueiro voltou a ser decisivo para espalmar chute de Barrera da entrada da área.

O Atlético busca o título da Sul-americana na próxima quarta-feira na Arena da Baixada.

07 novembro 2018

Furacão mostra força em casa e sai em vantagem diante do Fluminense

 (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)
O Atlético Paranaense fez valer sua força na Arena da Baixada e, em uma noite de grande futebol pelas semifinais da Copa Sul-americana, bateu o Fluminense por 2 a 0, conquistando uma boa vantagem no jogo de ida. Com o resultado, até mesmo uma derrota por um gol de diferença na volta garante uma vaga na final da competição ao Rubro-Negro.

Em um começo de jogo muito intenso, o Furacão abriu o placar aos 18 minutos, com Renan Lodi, que tentou duas vezes antes de estufar a rede. Depois do intervalo, aos 32 minutos, cruzamento na medida para Rony testar firme e definir a contagem.

As equipes voltam a se encontrar no dia 28 de novembro, uma quarta-feira, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro

O jogo – Com um marcação adiantada, a equipe carioca tentava surpreender o Furacão, encurralado nos primeiros movimentos. Mas a primeira boa jogada de ataque foi do time da casa, aos três minutos, com Nikão cruzando para Pablo testar firme, nas mãos de Júlio César. Aos sete minutos, Cirino foi lançado, tirou o goleiro Júlio César da jogada, mas adiantou demais e permitiu a recuperação de Gum.

A resposta do Fluminense veio aos 11 minutos, em duas cabeçadas, primeiro de Gum e, no rebote do goleiro, de Luciano, que arou em grande defesa de Santos. O jogo era aberto e, aso 13 minutos, Pablo entrou na área e chutou cruzado para Júlio Cesar salvar com a perna. Mas, aos 18 minutos, na pressão rubro-negra, Renan Lodi tentou duas vezes após pegar rebote até chutar no cantinho e abrir o placar.

Troca de passes no ataque atleticano e Cirino, aos 23 minutos, entre passar e chutar, escolheu arrematar para defesa de Júlio César. A equipe visitante tentava colocar a bola no chão para diminuir o ritmo do adversário, que era empurrado pelo torcedor sem parar. Lodi deixou a defesa para trás, aos 32 minutos, e cruzou na medida para Cirino, que cabeceou no meio do gol, facilitando para Júlio Cesar.

Mesmo com muito jogo pela frente, além do confronto da volta, os jogadores do Tricolor mostravam muita ansiedade e nervosismo em campo. Raphael Veiga cobrou falta fechada, aos 39 minutos, e Júlio Cesar afastou o perigo de soco. O troco veio com Everaldo, que aproveitou vacilo de Jonathan, entrou na área e bateu para boa intervenção de Santos. No contra-ataque, a bola ficou com Lucho que chutou a bola, que bateu no goleiro e no travessão antes de sair.

Para a etapa final, as equipes retornaram sem alterações. O Fluminense novamente apertou a marcação e foi para cima, deixando espaço para os contra-ataques do Atlético, que se fechou mais na defesa. O número de finalizações caiu bastante depois do intervalo. Aos 12 minutos, Sornoza abriu espaço e mandou o petardo para defesa de Santos, que cedeu escanteio. Nikão recebeu no meio da área, aos 15 minutos, tentou um voleio e não pegou em cheio na bola.

Apesar de menos aberta, a partida seguia muito boa na Baixada. Aos 19 minutos, Bruno Guimarães arriscou o chute de longe e a bola passou por cima da meta. Boa jogada de Ibañez, aos 21 minutos, recebendo na entrada da área e chutando pela linha de fundo, raspando no ângulo do gol de Santos. Aos 27 minutos, Sornoza recebeu de frente para a meta e isolou a bola.

O jogo voltou a ganhar em emoção e, aos 28 minutos, Pablo entrou na área e soltou o pé no travessão. A bola ainda bateu próximo à linha e saiu. Rony recebeu no meio da defesa e chutou para boa defesa de Júlio César. Mas, aos 32 minutos, o cruzamento na cabeça de Rony foi fatal e o segundo gol atleticano saiu. Com uma boa vantagem nas mãos, o Furacão administrava, enquanto o Tricolor errava muitos passes e facilitava o trabalho.

ATLÉTICO PARANAENSE 2 X 0 FLUMINENSE

Local: Estádio Joaquim Américo, em Curitiba (PR)
Data: 07 de novembro de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Roddy Zambrano (Equador)
Assistentes: Christian Lescano (Equador) e Byron Romero (Equador)
Árbitro de vídeo: Mauro Vigliano (Argentina)
Árbitros de vídeo assistentes: Patricio Loustau (Argentina) e Hernan Maidana (Argentina)
Cartões amarelos: Marcelo Cirino, Lucho, Renan Lodi (Atlético-PR); Ayrton Lucas, Everaldo (Fluminense)

Gols
ATLÉTICO-PR: Renan Lodi, aos 18 minutos do primeiro tempo e Rony, aos 32 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-PR: Santos; Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira, Renan Lodi; Bruno Guimarães, Lucho Gonzalez (Wellington), Raphael Veiga; Marcelo Cirino (Rony), Nikão e Pablo (Bergson).
Técnico: Tiago Nunes

FLUMINENSE: Júlio César, Gum, Digão e Ibañez; Igor Julião, Jadson, Richard, Júnior Sornoza (Júnior Dutra) e Ayrton Lucas (Leo); Everaldo (Marcos Júnior) e Luciano
Técnico: Marcelo Oliveira


Fonte:Gazeta Esportiva

02 novembro 2018

Conmebol revela datas da semifinal da Copa Sul-americana

AFP / Miguel ROJO
A Conmebol revelou nesta sexta-feira as datas dos duelos de semifinais da Copa Sul-americana, com os confrontos entre Fluminense-Atlético Paranaense e Independiente Santa Fe e Junior Barranquilla.

O duelo brasileiro vai ser disputado nos dias 7 e 28 de novembro, sendo o jogo de ida na Arena da Baixada e a partida de volta no Maracanã. Os dois confrontos serão às 21:45h pelo horário de Brasília.

No confronto colombiano, o Santa Fe sedia a primeira partida no estádio El Campín, dia 8 de novembro, enquanto o jogo decisivo será disputado no estádio Roberto Meléndez de Barranquilla, dia 29 do mesmo mês.

31 outubro 2018

Bahia devolve placar, mas perde nos pênaltis e deixa a Sul-Americana

Foto: Foto: Albari Rosa
Na disputa de pênaltis, o Bahia foi derrotado pelo Atlético-PR por 4 a 1 e está fora da Copa Sul-Americana. No tempo normal, a equipe devolveu o placar de 1 a 0 sofrido no primeiro jogo com um gol marcado pelo zagueiro Douglas Grolli, mas acabou vendo Vinícius e Zé Rafael perdendo os pênaltis na decisão.

Agora, o foco do time é o Brasileirão. A equipe volta a jogar no próximo domingo (4), contra a Chapecoense, na Arena Fonte Nova.
 

O JOGO

Com o apoio da torcida, que encheu a Arena da Baixada, o Atlético-PR chegou assustando logo no início. De fora da área, Pablo aproveitou sobra na entrada da área e finalizou por cima da meta. Aos oito minutos, o mesmo Pablo bateu falta de muito longe e obrigou o goleiro Douglas a defender em dois tempos.

Bahia marca, mas juiz anula

Aos 16 minutos, Zé Rafael dividiu com Léo Pereira, a bola sobrou com Brumado, que chutou ao gol e a rede foi balançada. Mas a arbitragem acusou falta na jogada anterior. 

Com 33 minutos, o Atlético-PR assutou, em cobrança de falta, Raphael Veiga cobrou rasteiro, a bola passou por todo mundo e quase parou no gol defendido por Douglas. Três minutos depois, o mesmo Veiga recebeu cruzamento primoroso na grande área, mas ele errou na finalização e causou suspiros na defesa tricolor.

O Esquadrão de Aço causou perigo aos 37, quando Nilton raspou cobrança de lateral, a bola sobrou com Zé Rafael que ajeitou para Léo, que finalizou para defesa do goleiro Santos.

Aos 40 minutos, em jogada de contra-ataque, Pablo avançou com muita liberdade, invadiu a grande área e ajeitou para Marcelo Cirino, que chutou ao gol e viu Lucas Fonseca bloquear a bola de carrinho.

Grolli abre o placar

Antes do fim do primeiro tempo, o Esquadrão marcou o primeiro gol. Após cobrança de lateral na grande área, Nilton ganhou na dividida, bateu desajeitado ao gol e Douglas Grolli empurrou para a rede.

Segundo tempo

Em desvantagem no placar, o Atlético saiu em busca de retomar a vantagem. Aos nove minutos, Jonathan cruzou para a área, Nikão tenta de voleio, mas a bola foi para fora. Aos 18 minutos, Raphael Veiga recebeu na intermediária e chutou firme, mas Douglas fez a defesa.

A pressão do Furacão continuou aos 20 minutos, quando Renan Lodi cruzou na área e Pablo desviou para fora. Um minuto depois, Pablo recebeu toque de cabeça na entrada da área e chutou por cima do gol.

Aos 34 minutos, o Bahia tentou com Edigar Junio, que recebeu, avançou em velocidade, mas pegou mal na bola, que passou ao lado da meta. Sete minutos depois, Pablo cobrou falta próxima, que passou ao lado.

PÊNALTIS
Na disputa de pênaltis, o Atlético-PR venceu. Vinícius e Zé Rafael perderam pênaltis para o Bahia, enquanto Edigar converteu. Mas Jonathan, Raphael Veiga, Lucho e  Pablo marcarem os gols na marca da cal.

FICHA TÉCNICA
Atlético-PR 0 (4) x (1) 1 Bahia

Copa Sul-Americana - Quartas de final (2º jogo)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba
Data: 31/10/2018
Horário: 21h45
Árbitro: Diego Haro (PER)
Assistentes: Jonny Bossio e Coty Carrera (ambos do Peru)
Árbitro de vídeo: Jesús Valenzuela (VEN), auxiliado por Alexis Herrera (VEN) e Juan Belatti (ARG)
Cartões amarelos: Renan Lodi, Bruno Guimarães (Atlético-PR) / Léo, Vinícius, Elber, Zé Rafael (Bahia)
Gol: Douglas Grolli (Bahia)


Atlético-PR: Santos; Jonathan, Paulo André, Léo Pereira, Renan Lodi; Wellington (Bruno Guimarães), Lucho González, Raphael Veiga; Nikão (Bergson), Marcelo (Rony) e Pablo. Técnico: Tiago Nunes.


Bahia: Douglas; Nino Paraíba, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Elton (Gregore), Nilton e Flávio; Zé Rafael, Elber (Vinícius) e Júnior Brumado (Edigar Junio). Técnico: Enderson Moreira.


Fonte:Bahia Notícias

Fluminense bate Nacional no Uruguai e está na semifinal da Sul-Americana

Foto:Miguel Rojo/AFP
O Fluminense mostrou força nesta quarta-feira e venceu por 1 a 0 o Nacional-URU, em Montevidéu. Com o resultado, os tricolores conquistaram a classificação para a semifinal da competição e agora esperam o vencedor do confronto entre Atlético-PR e Bahia.

Os cariocas tiveram boa atuação desde os primeiros minutos, mas só conseguira, chegar ao gol no início do segundo tempo. Luciano aproveitou passe de Sornoza para marcar e dar a classificação para o Fluminense dentro do Parque Central.

O jogo – O Fluminense não ficou recuado nos primeiros minutos e buscou o ataque no início da partida. Os tricolores chegaram a assustar em bolas levantadas na área, mas nenhuma finalização foi em direção ao gol. O Nacional também não ficou atrás pela vantagem, só que parava na defesa brasileira.

Os cariocas eram melhores em campo e chegaram a balançar as redes aos 15 minutos, com Digão. No entanto, o gol foi anulado pela arbitragem, que marcou falta de Gum no lance. O susto foi sentido pelos uruguaios, que só avançavam com segurança.

O Nacional só voltou a levar perigo aos 33 minutos, quando Fucile cruzou, mas Gum se antecipou aos atacantes para impedir a abertura do placar. O Fluminense respondeu em dois lances. Primeiro, Everaldo cruzou rasteiro, mas Luciano escorregou e permitiu a recuperação da zaga. Depois, Ayrton Lucas foi lançado na área, chutou cruzado, só que viu a zaga salvar os donos da casa.

Nos minutos finais, o Fluminense esboçou uma pressão e quase marcou aos 46 minutos. Luciano aproveitou cruzamento pela direita e cabeceou no meio do gol. Conde estava atento para fazer a defesa e deixar o placar em branco no intervalo.

No segundo tempo, os cariocas voltaram com mais vontade e abriram o placar aos três minutos. O goleiro Conde saiu mal a bola e deu nos pés de Sornoza. O meia tocou para Luciano na área, que tirou do marcador e chutou para a rede.

O revés foi sentido pelo Nacional, que viu o Fluminense crescer na partida. Tanto que aos oito minutos, os tricolores quase chegaram ao segundo. Ibañez aproveitou escanteio, mas cabeceou pela linha de fundo.

Aos poucos, os uruguaios conseguiram equilibrar o confronto. No entanto, o Nacional pouco incomodava o goleiro Julio Cesar. O Fluminense avançava com qualidade, mas a zaga adversária parava as jogadas com falta.

Nos minutos finais, os donos da casa tentaram impor uma pressão, só que pararam na boa atuação da zaga tricolor. O Fluminense soube administrar e ainda desperdiçou chance cara com Matheus Alessandro já nos acréscimos. Para melhorar a situação dos visitantes, Espino foi expulso após fazer falta violenta em Sornoza. Assim, os cariocas puderam comemorar a classificação após o apito final.

FICHA TÉCNICA
NACIONAL-URU 0 x 1 FLUMINENSE-BRA

Local: Estádio Parque Central, em Montevidéu (Uruguai)
Data: 31 de outubro de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Claudio Rios (Chile)

Cartões amarelos: De Pena, Fernández, Castro e Rolín (Nacional); Digão e Gum (Fluminense)
Cartões vermelhos: Espino (Nacional)
GOL
FLUMINENSE: Luciano, aos 3min do segundo tempo

NACIONAL: Esteban Conde, Jorge Fucile (Tabaré Viudes), Rafael García, Alexis Rolín e Luis Espiño; Matías Zunino, Santiago Romero, Christian Oliva (Luis Aguiar) e Carlos De Peña (Sebastián Fernández); Gonzalo Castro e Gonzalo Bergessio
Técnico: Alexander Medina

FLUMINENSE: Júlio César, Gum, Digão e Ibañez; Jadson, Airton (Paulo Ricardo), Richard, Júnior Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo (Junior Dutra) e Luciano (Matheus Alessandro)
Técnico: Marcelo Oliveira


Fonte:Gazeta Esportiva

29 outubro 2018

Capitão diante do Santos, Paulo Ricardo analisa decisão do Fluminense, na Sul-Americana, contra o Nacional

Foto: Reprodução 
Na sua quarta partida como jogador do Fluminense, o zagueiro Paulo Ricardo já pôde sentir um gostinho importante pelo tricolor do Rio de Janeiro. O defensor foi escolhido pelo técnico Marcelo Oliveira para ser o capitão do tricolor no duelo diante do Santos, no último sábado, no estádio da Vila Belmiro.

Mesmo com pouco tempo no Fluminense, Paulo Ricardo não escondeu a felicidade de ter utilizado a faixa de capitão do tricolor. “Foi uma grande honra ser capitão de um time tão grande como é o Fluminense. Acho que foi uma resposta positiva do meu trabalho, do que venho tentando fazer em treinos e jogos, sempre com a maior dedicação possível”, explicou o camisa 32.

Diante do Santos, Paulo Ricardo pôde reencontrar o clube no qual se profissionalizou. Foi o primeiro revés dele pelo Flu. Apesar da derrota, ele está confiante, pois vem tendo uma sequência nas últimas partidas. “Fiquei muito triste pela derrota. Sabia que ia ser um jogo difícil por vários motivos, só que acreditamos que poderia ser diferente. Nos últimos jogos passei a ter mais oportunidades. Eu sempre quero estar em campo, jogando e ajudando. Em alguns momentos, o resultado não é como se imagina, mas nunca deixaremos de lutar. E por isso estou feliz com a sequência que venho tendo”, enfatizou o zagueiro.

Os comandados de Marcelo Oliveira viajaram hoje (segunda-feira) para o Uruguai. Nesta quarta-feira, às 19h30, o tricolor decidirá uma vaga nas semifinais da Sul-Americana contra o Nacional. No jogo de ida, no de Rio de Janeiro, as equipes ficaram no 1×1. Paulo Ricardo projeta a partida em solo uruguaio. “A derrota para o Santos já é passado e estamos com foco total na Sul-americana. Espero que a gente faça um grande jogo e estamos totalmente preparados para isso. Nosso objetivo é vencer o jogo. Esse grupo, junto com a torcida e todo o Fluminense, merece essa vaga e faremos de tudo para conquistá-la”, finalizou.

Bahia faz treino técnico e tático no CT do Palmeiras

Foto:Divulgação/E.C.Bahia
Ainda na capital paulista, a delegação tricolor realizou o primeiro treino com bola de olho no segundo jogo das quartas de final da Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira (31), em Curitiba.

No Centro de Treinamentos do Palmeiras, localizado na Barra Funda, o técnico Enderson Moreira reuniu todos os atletas para uma longa conversa, não só sobre o jogo anterior contra o Corinthians, mas também sobre a decisão contra o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada.

Depois, sob os cuidados do preparador físico Edy Carlos e também do fisioterapeuta José Dourado Neto, o grupo iniciou um trabalho de aquecimento e liberação miofascial.

Enderson Moreira realizou uma atividade técnica e tática, em campo reduzido, com o grupo dividido em três.

O meio campista Zé Rafael, que cumpriu suspensão pelo Campeonato Brasileiro, juntou-se ao grupo e participou normalmente do treino com bola. Ele e os demais companheiros seguirão viagem para Curitiba ainda nesta segunda (29), no início da noite.

A última parte da preparação será nesta terça à tarde, no CT do Coritiba.

24 outubro 2018

Com dois gols anulados pelo VAR, Bahia perde para o Atlético-PR

Fotos: Cláudia Sandes
A torcida do Bahia comemorou duas vezes na noite desta quarta-feira (24), mas acredite: o Tricolor não venceu. Com dois gols anulados de forma controversa pelo árbitro de vídeo (VAR) na Arena Fonte Nova, a equipe perdeu para o Atlético-PR por 1 a 0 na primeira partida das quartas de final da Copa Sul-Americana. Pablo foi o autor do único gol da partida.

Para ir às semifinais, o Esquadrão de Aço precisa vencer o jogo de volta por dois gols de diferença na Arena da Baixada. Em caso do mesmo placar favorável ao Bahia, a vaga será decidida nos pênaltis. A partida será na próxima terça-feira (31), às 21h45.

O JOGO

Levado pelo apoio da torcida, o Bahia começou o jogo buscando opções no ataque. Aos quatro minutos, o volante Gregore bateu rasteiro de fora da área e o goleiro Santos defendeu fácil. Três minutos depois, Nino Paraíba cruzou da direita, Elton cabeceou e o arqueiro do Furacão defendeu fácil.

Clayton marca, mas VAR anula

Aos 22 minutos, o Bahia conseguiu chegar ao primeiro gol. E foi na base da emoção. Edigar Junio recebeu passe de Zé Rafael, passou por dois zagueiros e cruzou. Santos rebateu, Zé Rafael tentou de cabeça e a bola foi bloqueada. Na volta, Clayton precisou chutar duas vezes para balançar a rede. Na sequência, o árbitro Fernando Rapallini consultou o árbitro de vídeo e avaliou que o segundo chute de Clayton foi perigoso, pois a perna do atacante passou por cima da cabeça do meia Nikão.

Aos 35 minutos, em boa jogada de contra-ataque, Ramires recebeu de Edigar Junio e tocou na esquerda para Paulinho. O lateral cruzou rasteiro e o zagueiro Léo Pereira quase marcou contra. Logo depois, Gregore tomou bola na intermediária, avançou, chutou rasteiro da entrada da área e a bola passou ao lado.

Douglas salva o Bahia

Quase no final da primeira etapa, o Atlético-PR teve uma grande chance. Em jogada no ataque, Pablo recebeu no lado esquerdo, tocou, Marcelo Cirino fez o corta-luz e Lucho González bateu firme para grande defesa de Douglas.

Ramires faz o gol, mas VAR volta a anular

Logo no primeiro minuto da segunda etapa, Ramires, no lado esquerdo do ataque, tocou para Nino Paraíba. O lateral-direito bateu rasteiro e o próprio Ramires chegou na frente para completar e balançar a rede. O camisa 6 dançou, a torcida comemorou, mas o árbitro de vídeo voltou a agir, orientando o juiz a anular o gol. Sem consultar o vídeo, o argentino mandou o jogo seguir.

O Atlético-PR chegou assustando aos 14 minutos, quando Jonathan avançou em velocidade pela direita, cruzou com desvio e o zagueiro Jackson se atrapalhou para afastar a bola. Na cobrança de escanteio, Lucho González quase marcou um gol olímpico.

Bahia coloca Santos para trabalhar
Aos 19 minutos, o Esquadrão teve duas grandes chances de marcar. Após cruzamento na área, Zé Rafael e Jonathan dividiram e o goleiro Santos fez a defesa. Na sequência, após escanteio, o arqueiro do Furacão defendeu cabeçada de Lucas Fonseca.

Pablo abre o placar com um golaço

Pouco efetivo no ataque, o Atlético-PR soube aproveitar bem a chance que teve e chegou na liderança do placar. Aos 21 minutos, Santos chutou para a frente, Marcelo desviou de cabeça e Pablo, quase sem ângulo, chutou com força e estufou a rede do goleiro Douglas.

Abatido pelas marcações do VAR e pelo gol sofrido, o Bahia demorou a criar uma grande chance. A oportunidade só reapareceu aos 39, quando Jackson cabeceou cruzamento de escanteio e a bola desviou em Júnior Brumado. 

Ainda deu tempo do Atlético ter mais uma grande chance. Em contra-ataque, Rony recebeu de frente para Douglas, mas bateu por cima da meta.

FICHA TÉCNICA
Bahia 0 x 1 Atlético-PR
Copa Sul-Americana - Quartas de final (1º jogo)

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador
Data: 24/10/2018
Horário: 21h45
Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)
Assistentes: Diego Bonfa e Gustavo Rossi (ambos da Argentina)
Árbitro de vídeo: Gery Vargas (BOL), auxiliado por Nicolas Gallo (COL) e Hernan Maidana (ARG)
Cartões amarelos: Júnior Brumado (Bahia) / Léo Pereira, Lucho González, Pablo e Marcelo Cirino (Atlético-PR)
Cartões vermelhos:
Gols: Pablo (Atlético-PR)
 

Bahia: Douglas; Nino Paraíba, Jackson, Lucas Fonseca e Paulinho; Elton (Vinícius) e Gregore; Clayton (Marco Antônio), Ramires e Zé Rafael; Edigar Junio (Júnior Brumado). Técnico: Enderson Moreira.


Atlético-PR: Santos; Jonathan, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Lucho González (Bruno Guimarães), Wellington e Raphael Veiga (Rony); Marcelo Cirino (Thiago Heleno), Nikão e Pablo. Técnico: Tiago Nunes.


Fonte:Bahia Notícias
 
Back To Top