Atividade Esporte News: Copa Sul-Americana
⚽Notícias
Mostrando postagens com marcador Copa Sul-Americana. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Copa Sul-Americana. Mostrar todas as postagens

24 outubro 2018

Fluminense cede empate ao Nacional-URU pela Sul-Americana

 (FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C)
O Fluminense desperdiçou a chance de ter vantagem pelas quartas-de-final da Sul-Americana ao empatar por 1 a 1 com o Nacional-URU, nesta quarta-feira, no Nilton Santos. Com o resultado, os tricolores terão que vencer em Montevidéu, na próxima semana, ou empatar por mais de dois gols para avançar na competição.

Os cariocas abriram o placar no primeiro tempo com gol de Gum. A curiosidade no lance foi que a arbitragem marcou impedimento do zagueiro, mas acabou validando o gol com ajuda do VAR. O empate do Nacional veio somente aos 42 minutos do segundo tempo, com Zunino.

O jogo – O Fluminense começou a partida tendo mais posse de bola, mas com pouca objetividade no ataque. O Nacional aproveitava os espaços para avançar com qualidade e quase abriu o placar aos dez minutos. Zunino foi lançado na área tocou na saída de Júlio Cesar. No entanto, o lateral-esquerdo Ayrton Lucas apareceu para salvar os tricolores.

O Nacional assustou mais uma vez aos 14 minutos. Romero arriscou de longe, mas viu a bola passar muito perto da trave direita. No entanto, o Fluminense marcou em sua primeira chance, quatro minutos depois, com a ajuda do VAR. Após falta cobrada na área, Gum cabeceou cruzado para a rede. No primeiro momento, o árbitro marcou impedimento do zagueiro, mas ao ser informado pela árbitro de vídeo acabou por validar o gol.

O revés foi sentido pelos uruguaios, que viram o Fluminense crescer na partida. Tanto que aos 25 minutos, Luciano aproveitou erro na saída de bola do Nacional e tocou para SOrnoza na área. Só que o meia tricolor chutou pro cima do travessão.

Aos poucos, os visitantes melhoraram e conseguiram equilibrar o confronto. No entanto, o Fluminense seguia melhor em campo e voltou a levar perigo aos 33 minutos. Everaldo lançou Luciano na área, mas o atacante chutou cruzado pela linha de fundo.

O Nacional só voltou a assustar nos minutos finais. Aos 41, Oliva aproveitou cruzamento e cabeceou próximo ao gol. O Fluminense tentou esboçar uma pressão, mas teve que sair para o intervalo com a vantagem mínima no placar no Nilton Santos.

O segundo tempo começou movimentado, com o Fluminense tendo mais posse d ebola e rondando a área uruguaia. Ao contrário da etapa inicial, o Nacional não incomodava o goleiro Júlio Cesar.

Somente depois dos 15 minutos, os visitantes equilibraram o confronto e passaram e chegar próximo da área tricolor. Mesmo assim, a partida continuava sem lances de perigos de ambos os lados.

A torcida do Fluminense chegou a comemorar um gol aos 30 minutos, quando Everaldo foi lançado, passou pelo goleiro e mandou para a rede. Só que desta vez, o árbitro de vídeo anulou o lance, pois o atacante estava impedido.

Mesmo assim, o lance animou os donos da casa, que aumentaram a pressão e chegaram com perigo aos 33 minutos. Everaldo chutou do bico da área e obrigou Conde a fazer a defesa em dois tempos.

Nos minutos finais, o Nacional aproveitou escanteio cobrado para empatar o confronto, com Zunino. O Fluminense teve pouco tempo para reagir e teve que se contentar com a igualdade duelo de ida.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE-BRA 1 X 1 NACIONAL-URU

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 24 de outubro de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Patricio Lostau (Argentina)
Assistentes: Juan Belatti (Argentina) e Ezequiel Brailovsky (Argentina)

Renda: R$ 455.325,00
Público: 19.502 pagantes
Cartões amarelos: Digão (Fluminense); Oliva (Nacional)

GOLS
FLUMINENSE: Gum, aos 18min do primeiro tempo
NACIONAL: Zunino, aos 42min do segundo tempo

FLUMINENSE: Júlio César, Gum (Paulo Ricardo), Digão e Ibañez; Matheus Alessandro (Airton), Richard, Jadson, Junior Sornoza (Daniel) e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano
Técnico: Marcelo Oliveira

NACIONAL: Esteban Conde, Jorge Fucile, Rafael García, Germán Rolin e Alfonso Espino; Matías Zunino, Cristian Oliva, Santiago Romero (Leandro Barcia) e Carlos De Pena (Luis Aguiar); Gonzalo Castro (Tabare Viudez) e Gonzalo Bergessio
Técnico: Alexander Medina


Fonte:Gazeta Esportiva

23 outubro 2018

Bahia está pronto para encarar o Atlético-PR

Fotos: Cláudia Sandes
O técnico Enderson Moreira, na tarde desta terça (23), finalizou a preparação do elenco para o 1º jogo das quartas de final da Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira (24), às 21h45, na Fonte Nova.

Depois do jogo de sábado, diante do Botafogo, no Rio de Janeiro, o comandante do Esquadrão teve apenas duas atividades com bola antes deste duelo contra o Atlético Paranaense, em Salvador.

Hoje, no segundo e último dia de preparação, o grupo iniciou os trabalhos no auditório. O plantel foi apresentado ao sistema do árbitro de vídeo, que também será utilizado pela Conmebol no torneio.

Em campo, no primeiro pedaço da atividade, Enderson orientou os atletas durante um treinamento técnico, com foco nos cruzamentos e finalizações.

No segundo momento, já utilizando o campo inteiro, ele separou titulares e reservas para comandar um treino tático. Trabalhou diversas situações de jogo e fez alguns testes no time que vai iniciar o duelo.

Por último, uma parte do elenco exercitou cobranças de faltas e, na outra meta, outros atletas treinaram cobranças de pênaltis.

O zagueiro Tiago, no campo 1, intensificou o treinamento físico e técnico, enquanto os atacantes Gilberto e Élber ficaram na fisioterapia. Os dois últimos, inclusive, são dúvidas para pegar o Atlético-PR.

O lateral esquerdo Léo pegou dois jogos de suspensão pela expulsão na primeira partida contra o Botafogo, pela Sul-Americana, e não poderá enfrentar os paranaenses.

04 outubro 2018

Flu volta a vencer Deportivo Cuenca e confirma a vaga na Sul-Americana

Foto:Lucas Merçon/Fluminense F.C
O Fluminense não encontrou dificuldades para confirmar sua classificação para as quartas de final da Copa Sul-Americana, ao derrotar o Deportivo Cuenca, do Equador, por 2 a 0, em partida disputada na noite desta quinta-feira, no Maracanã. Como havia vencido o primeiro jogo, também por 2 a 0, o Fluminense acabou com uma vitória por 4 a 0 no placar agregado. Na próxima fase da competição, o Tricolor das Laranjeiras vai encarar o Nacional, do Uruguai, que eliminou o San Lorenzo, da Argentina. Os gols foram marcados por Digão, no primeiro tempo, e Richard, na etapa final.

Diante de quase 40 mil pessoas, o Fluminense não encontrou a menor dificuldade para se impor diante de uma equipe limitada e com poucas ambições ofensivas. O time dirigido por Marcelo Oliveira dominou complemente e poderia ter saído com uma placar ainda mais folgado. No primeiro tempo, a equipe carioca dominou completamente e poderia ter saído com um placar mais avantajado.O time diminuiu o ritmo na etapa final, mas não chegou a correr riscos em função da fragilidade do Deportivo Cuenca.

O jogo – Diante de uma torcida entusiasmada, o Fluminense partiu para o ataque assim que a partida foi iniciada. Aos quatro minutos, Sornoza lançou Luciano na área, mas o zagueiro Carabalí chegou primeiro e aliviou o perigo. Dois minutos depois, Sornoza cobrou falta na área, mas o árbitro marcou impedimento do ataque tricolor e interrompeu a jogada.
O Tricolor das Laranjeiras marcava a saída de bola do Deportivo Cuenca e impedia que o time visitante conseguisse se organizar. A equipe do Deportivo Cuenca cometia faltas seguidas para parar as jogadas, irritando os jogadores da equipe carioca.
Aos 14 minutos, Ayrton Lucas fez bom lançamento para Luciano na grande área, mas o atacante tricolor se atrapalhou e permitiu que a bola chegasse ao goleiro Heras.
A equipe equatoriana apenas se defendia e não conseguia acionar seus atacantes que eram obrigados a recuar muito para participar do jogo. O goleiro Júlio César participou, pela primeira vez , do jogo aos 19 minutos em cobrança de falta que não levou perigo.
O jogo seguiu intensamente disputado e com muitas faltas que truncavam o ritmo da partida. Aos 30 minutos, o técnico Marcelo Oliveira foi obrigado a fazer a primeira substituição. O lateral-direito Léo sentiu um estiramento na coxa esquerda e pediu para sair. O meia Mateus Norton entrou em seu lugar e Jadson foi deslocado para o setor direito.
Aos 33 minutos, o Fluminense marcou o primeiro gol. Após cobrança de falta, a defesa equatoriana falhou e o zagueiro Digão dominou e tocou para colocar a bola nas redes.
Logo depois, Everaldo recebeu ótimo lançamento do goleiro Júlio César e chutou cruzado para defesa de Heras. Na jogada seguinte, Everaldo arrancou pela esquerda e tocou para Jadson que colocou no canto e Heras fez grande defesa, desviando para escanteio. Na cobrança, Ibañez cabeceou e a bola tirou tinta da trave direita.

O segundo tempo começou com um susto para a torcida do Fluminense. Após lançamento para Pita, o goleiro Júlio César saiu mal do gol, se atrapalhou com o zagueiro Digão e a bola sobrou para Pita que bateu para fora, quando o gol tricolor estava vazio.
Só aos seis minutos é que a equipe carioca chegou na área equatoriana. Após boa combinação com Ayrton Lucas, Luciano toca para Mateus Norton que se livra da marcação, mas chuta fraco, nas mãos de Heras. Aos dez, depois de investida em velocidade, Sornoza faz bom passe para Luciano que bate forte. O goleiro Heras desvia para escanteio e evita o segundo gol.

Com grande vantagem, o time dirigido por Marcelo Oliveira tirou o pé do acelerador e passou a administrar o resultado, uma vez que o Deportivo Cuenca não conseguia ameaçar o gol tricolor.
Aos 28 minutos, Richard derrubou Martinez na entrada da área. De La Cruz bate no centro do gol e Júlio César defende sem dificuldades.
O Fluminense ampliou aos 30 minutos. Na sua primeira intervenção, Júnior Dutra arrancou pela esquerda e tocou para Everaldo que fez ótimo lançamento para Richard que apareceu nas costas da zaga. O volante tocou com categoria na saída de Heras para anotar o segundo gol.
Aos 44 minutos, Marcos Júnior teve a chance de marcar o terceiro gol, mas esbarrou na saída precisa do goleiro Heras que fechou o ângulo e impediu que o atacante tivesse sucesso.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 2 X 0 DEPORTIVO CUENCA-EQU

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 4 de outubro de 2018 (Quinta-feira)
Horário: 19h30(de Brasília)
Público: 36.902 pagantes
Árbitro: Andres Rojas (Colômbia)
Assistentes: Jhon Alexander Leon (Colômbia) e Eduardo Díaz (Colômbia)
Cartão Amarelo: Luciano, Jadson, Richard, Digão, Marcos Júnior(Flu); Luca Soza, Mosquera e Bedoya(Depo)
Gols:
FLUMINENSE: Digão, aos 33 minutos do primeiro tempo e Richard, aos 30 minutos do segundo tempo

FLUMINENSE: Júlio César, Gum, Digão e Ibañez ;Léo(Mateus Norton), Richard, Jadson(Marcos Júnior), Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano(Junior Dutra)
Técnico: Marcelo Oliveira

DEPORTIVO CUENCA: Heras, Carabalí, Bedoya, Luca Sosa e Cuero; Mosquera, Jhon Rodríguez(De La Cruz) e Martínez; Preciado(Quiñonez), Pita e Rojas
Técnico: Richard Páez


Fonte:Gazeta Esportiva

Bahia elimina Botafogo nos pênaltis e vai às quartas da Sul-Americana

Fotos: Felipe Oliveira / EC Bahia
O Bahia se classificou para as quartas de final da Copa Sul-Americana ao derrotar o Botafogo, na disputa de pênaltis, por 5 a 4, em partida disputada na noite desta quarta-feira, no estádio Nilton Santos. O Alvinegro de General Severiano venceu no tempo normal por 2 a 1, mesmo placar da vitória baiana no jogo de ida, o que forçou a decisão por pênaltis. Na próxima fase da competição, o Bahia vai enfrentar o Atlético-PR. Marcinho e Moisés desperdiçaram as cobranças do lado do Botafogo, enquanto Rodrigo Lindoso, Aguirre, Renatinho e Kieza converteram. Do lado do Bahia, Gilberto, Zé Rafael, Allione, Nilton e Fávio marcaram, enquanto Jackson desperdiçou a sua cobrança.

A partida foi marcada pelo equilibrio. No primeiro tempo, o Botafogo começou melhor e saiu na frente com Rodrigo Pimpão, mas o Bahia empatou com Edigar Junio. O Alvinegro passou à frente com Luiz Fernando. No segundo tempo, o a partida ficou mais equilibrada. O Bahia voltou mais organizado e controlou as ações, enquanto a equipe de General Severiano tentou pressionar na base da emoção, mas não obteve sucesso na tentativa de conseguir uma vantagem que lhe garantisse a vaga.

O jogo – Apoiado por uma torcida entusiasmada, o Botafogo iniciou o jogo no ataque.diante de um adversário que mostrava uma certa cautela. Aos quatro minutos, Kieza arrancou pela esquerda, entrou na área e cruzou para a entrada de Rodrigo Pimpão, mas Tiago desviou para escanteio. Na cobrança, Igor Rabello cabeceou e quase que Rodrigo Pimpão aproveita a sobra. A resposta do Bahia veio com investida de Gilberto pela esquerda, mas o cruzamento do atacante foi defendido por Saulo.

O Botafogo tentava imprimir velocidade ao jogo, mas o Bahia não dava liberdade aos jogadores cariocas e ainda mantinha Gilberto entre os zagueiros Joel Carli e Igor Rabello. Aos 12 minutos, Rodrigo Pimpão cruzou fechado e o goleiro Douglas se antecipou aos atacantes e afastou, de soco, o perigo da sua área. Três minutos depois, Kieza deu passe preciso para Rodrigo Pimpão que invadiu pela esquerda e bateu por cima. Na jogada seguinte, o goleiro Douglas evitou o primeiro gol ao defender um chute forte de Rodrigo Lindoso, na entrada da pequena área.

Aos 20 minutos, Gilberto desarmou Igor Rabello que recamou de falta, investiu pela direita e chutou forte, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora. O Alvinegro carioca desperdiçou uma boa chance aos 24 minutos. Após boa jogada de Luiz Fernando pela esquerda, Rodrigo Pimpão escorou para Rodrigo Lindoso que furou na hora de chutar.
Aos 26 minutos, o Botafogo marcou o primeiro gol. Rodrigo Pimpão arrancou para a área, Kieza, impedido, não participou do lance, e Pimpão entrou só para dar um toque preciso e tirar do goleiro Douglas que saiu para tentar fechar o ângulo. Logo depois, o técnico Enderson Moreira precisou queimar uma substituição quando o zagueiro Tiago sentiu um estiramento na coxa esquerda e foi forçado a deixar o campo.

O Bahia partiu para o ataque e deixou tudo igual aos 33 minutos. Após cruzamento da esquerda, Gilberto escorou de cabeça e Edigar Junio completou para as redes, sem chances para o goleiro Saulo. Depois de sofrer o gol, a equipe dirigida por Zé Ricardo demorou algum tempo para voltar a ter o controle das ações, mas não deixou de buscar o ataque. O Botafogo desempatou aos 39 minutos quando Luiz Fernando recebeu ótimo passe de Matheus Fernandes, driblou o goleiro Douglas e tocou mansamente para o fundo das redes.

Os dois times voltaram sem mudanças para o segundo tempo. E o primeiro momento do ataque foi do Bahia que buscou o gol em chute de Nino Paraíba que passou longe do gol defendido por Saulo. O Botafogo respondeu com uma cobrança de lateral de Marcinho. Kieza desviou, de cabeça, e Rodrigo Pimpão, livre na pequena área, não alcançou a bola. O Bahia voltou a ameaçar aos cinco minutos em boa investida de Gilberto que ganhou da zaga, mas perdeu o ângulo, e bateu por cima.

O jogo ficou mais aberto com as duas equipes buscando o gol para evitar a decisão por pênaltis.Aos sete minutos, Luiz Fernando fez ótima jogada pela direita e cruzou na área, mas Rodrigo Pimpão cabeceou por cima do travessão, sem levar perigo para Douglas.

O Bahia quase chegou ao empate aos 12 minutos quando Vinicius lançou Edigar Junio, mas Marcinho conseguiu evitar o chute e desviar para escanteio. Logo depois , o goleiro Saulo fez defesa difícil em chute de Vinicius.
Logo depois do susto, o técnico Zé Ricardo trocou o volante Matheus Fernandes pelo meia Renatinho, para tentar melhorar o poder ofensivo da sua equipe.O Bahia ficava mais tempo com a bola e levava perigo, com frequência, ao gol defendido por Saulo. Aos 24 minutos, o goleiro alvinegro conseguiu uma defesa difícil em cobrança de falta executada por Vinicius. Logo depois, a torcida alvinegra tomou outro susto com um chute de Zé Rafael que desviou em Marcinho e encobriu o travessão.

O Bahia  ficava mais tempo com a bola e controlava o ritmo, enquanto o Botafogo optava por lançamentos para os atacantes que eram facilmente bloqueados pela zaga do tricolor. O Botafogo só apareceu na área baiana aos 35 minutos quando Aguirre tabelou com Kieza e lançou Pimpão, mas o goleiro Douglas saiu bem e ficou com a bola.
Aos 39 minutos, o goleiro do Bahia apareceu para defender em chutes sucessivos de Rodrigo Pimpão e Rodrigo Lindoso. Nos minutos finais, o Botafogo pressionou em busca do terceiro gol que garantiria a classificação, mas o Bahia soube se defender e levar a decisão da vaga para a disputa de pênaltis.

PÊNALTIS

Na disputa de pênaltis, apenas Marcinho para o Botafogo, e Jackson para o Bahia, perderam nas cinco primeiras cobranças. Até que na primeira rodada das penalidades alternadas, o lateral-esquerdo Moisés, ex-Bahia, bateu para defesa de Douglas. Na ver Tricolor, Fávio converteu e classificou o Bahia.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO-BRA 2(4) X (5)1 BAHIA-BRA

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 3 de outubro de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 21h45(de Brasília)
Árbitro: German Delfino (Argentina)
Assistentes: Gustavo Rossi (Argentina) e Ezequiel Brailovsky (Argentina)

Cartão Amarelo: Matheus Fernandes(Bota); Vinicius, Flávio, Nino Paraíba(Ba)
Gols:
BOTAFOGO: Rodrigo Pimpão, aos 26 minutos e Luiz Fernando, aos 39 minutos do primeiro tempo
BAHIA: Edigar Junio, aos 33 minutos do primeiro tempo

BOTAFOGO: Saulo, Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Matheus Fernandes(Renatinho), Rodrigo Lindoso, Gustavo Bochecha(Marcelo Benevenuto) e Luiz Fernando(Aguirre); Rodrigo Pimpão e Kieza
Técnico: Zé Ricardo

BAHIA: Douglas, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Tiago(Jackson) e Flávio; Nilton, Vinicius(Allione) e Zé Rafael;Edigar Junio(Clayton) e Gilberto
Técnico: Enderson Moreira

Volante do Bahia ressalta emoção e luta após classificação

(Foto: Site Oficial/EC Bahia)
Após eliminar o Botafogo na disputa de pênaltis da Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira, em pleno Estádio Nilton Santos, o Bahia garantiu classificação às quartas de final na competição internacional e enfrentará o Atlético-PR na próxima fase da disputa.

Depois da partida, em entrevista a TV Globo, o volante Flávio destacou a luta do Esquadrão de Aço e ressaltou que, antes do jogo, afirmou que “daria a vida” em campo.

“Emoção, estou sem palavras. Todo mundo sabe, tivemos desfalques. Professor chegou e eu falei que iria dar minha vida, em qualquer posição, todo mundo sabe que sou volante. Em um momento desses, não poderia deixar os companheiros na mão. Muita emoção para nós”, contou.

O Bahia agora redireciona suas atenções ao Campeonato Brasileiro. Neste sábado, em Porto Alegre, os comandados de Enderson Moreira irão encarar o Grêmio, às 21h00 (horário de Brasília), visando se afastarem da zona de rebaixamento da Série A.

03 outubro 2018

Furacão bate o Caracas mais uma vez e segue na Sul-americana

(Miguel Locatelli/CAP)
O Atlético Paranaense carimbou sua classificação para a próxima fase da Copa Sul-americana ao bater o Caracas por 2 a 0, na Arena da Baixada. No jogo de ida, na Venezuela, vitória do Furacão por 2 a 0, que já dava ao time brasileiro uma boa vantagem para decidir a vaga em casa.

O Rubro-Negro aumentou sua vantagem aos 30 minutos do primeiro tempo, com Marcelo Cirino chutando da entrada da área para estufar a rede. Depois do intervalo, aos quatro minutos, Garcés deixou tudo igual. A reação durou pouco já que, aos 12 minutos, Renan Lodi fez o segundo.

O Atlético Paranaense agora aguarda seu adversário nas quartas de final da competição que sairá do confronto entre Botafogo e Bahia.

O jogo – Com ba vantagem e superior tecnicamente, o Furacão começou a partida pressionando. Aos seis minutos, Guilherme recebeu ótimo lançamento e mandou uma bomba para defesa de Flores. Na sequência, foi a vez de Marcelo Cirino entrar na área para arrematar cruzado e obrigar Flores a trabalhar. Pablo entrou pela direita, aos oito minutos, e arrematou pela linha de fundo.

Todo mundo queria tentar marcar pelo time atleticano e, aos 14 minutos, Wellington arriscou de longe, por cima da meta venezuelana. O Caracas encaixou o primeiro ataque aos 16 minutos, com Arrieta invadindo a área e sendo travado por Renan Lodi na hora do chute. De muito longe, aos 17 minutos, Fereira bateu para fora. O time visitante cresceu e, aos 22 minutos, Arrieta recebeu cruzamento e na dividida com Santos ganhou escanteio.

O Rubro-Negro, entretanto, era superior e, aos 30 minutos, Marcelo Cirino recebeu na entrada da área e bateu, com direito a desvio no caminho, para o fundo da rede. A equipe brasileira tocava a bola no campo de ataque, buscando por espaços para ampliar a contagem. Aos 40 minutos, Nikão cruzou rasteiro, Pablo ajeitou de calcanhar, mas Guilherme passou pela bola.

Para o segundo tempo, as equipes voltaram sem mudanças. Logo aos quatro minutos, em um cochilo da defesa do Atlético, Garcés recebeu na área e tocou na saída de Santos para deixar tudo igual. Caracas no ataque na Arena. Aos cinco minutos, Arrieta chutou de fora da área para defesa de Santos. Resposta atleticana, aos oito minutos, com Guilherme pegando rebote e chutando à esquerda da meta.

A tranquilidade veio aos 12 minutos, com Renan Lodi, que recebeu uma bela assistência de Pablo e bateu no cantinho para balançar a rede. Nikão abriu espaço, aos 14 minutos, e soltou a bomba para longe do gol. O gol acabou com o ânimo do Caracas, que tentava reagir. Aos 24 minutos, após cobrança de escanteio, a sobra ficou nos pés de Paulo André, que arrematou sem direção.

No contra-ataque, aso 30 minutos, Bergson avançou até a entrada da área e chutou completamente torto, para fora. Aos 35 minutos, Chacón pegou a bola na marca do pênalti e mandou direto pela linha de fundo. Sem grandes sustos, o Furacão mostrou sua superioridade em casa e segue na Sul-americana.

ATLÉTICO PARANAENSE 2 X 1 CARACAS

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 03 de outubro de 2018, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Michael Espinoza (Peru)
Auxiliares: Coty Carrera (Peru) e Michael Orue (Peru)
Cartões amarelos: Paulo André (Atlético-PR); Hernández, Martins, Quijada, Guerra e Garcés (Caracas)

Gols
ATLÉTICO-PR: Marcelo Cirino, aos 30 minutos do primeiro tempo; Renan Lodi, aos 12 minutos do segundo tempo
CARACAS: Garcés, aos 04 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-PR: Santos; Jonathan, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington (Bruno Guimarães), Lucho González e Guilherme; Nikão, Pablo (Bergson) e Marcelo Cirino (Rony).
Técnico: Tiago Nunes

CARACAS: Flores; Fereira, Guerra, Quijada e Añor; Martins, Garcés; Canelón (Saggiomo), Díaz (Chacón); Hernández; Arrieta
Técnico: Noel Sanvicente


Fonte:Gazeta Esportiva

02 outubro 2018

Santa Fe vence Millonarios nos pênaltis e vai às quartas da Sul-Americana

(Foto: GUILLERMO MUNOZ/AFP)
O Santa Fe está nas quartas de final da Copa Sul-Americana. Nesta terça-feira, o time alvirrubro visitou o MIllonarios no estádio El Campín, em Bogotá, e acabou levando a melhor nos pênaltis por 5 a 3 após o empate em 0 a 0, mesmo placar do jogo de ida.

Com o resultado, o Santa Fe terá pela frente nas quartas de final uma nova equipe colombiana. A parada da vez será contra o Deportivo Cali, que avançou ao eliminar a LDU, do Equador, também nas penalidades.  

O jogo – Jogando fora de casa, o Independiente Santa Fe não se acuou e quase abriu o placar aos nove minutos, quando Morelo subiu mais alto que a defesa e cabeceou firme, mandando por cima do gol adversário. Pouco depois, aos 14, foi a vez de o atacante experimentar com os pés e mandar a bola rente à trave de Fariñez.

Já na reta final foi a vez de os Millonarios levarem perigo ao gol defendido por Zapata. Aos 42 minutos, em boa trama pela direita, os donos da casa cruzaram na área, e Ayron por pouco não alcançou a bola para completar para o gol. Assim, as duas equipes tiveram de se contentar em ir para o intervalo com o 0 a 0 no marcador.

Já no segundo tempo o Independiente Santa Fe e o Millonarios seguiram desperdiçando suas oportunidades de gol. Primeiro, foi a vez de Ayron cabecear firme e mandar rente ao travessão, quase, enfim, abrindo o placar para os donos da casa. Logo na sequência, foi a vez do time alvirrubro responder com Arley, que surpreendeu a defesa adversária e mandou por cima do gol de Fariñez.

Antes do apito final, o Independiente Santa Fe ainda criou outras duas oportunidades claríssimas de gol. Primeiro, o goleiro Fariñez teve de voar no ângulo esquerdo para espalmar chute de longa distância de Guastavino. Depois, Urrego cabeceou certeiro, mas a defesa do Millonarios desviou e acabou assegurando a igualdade no tempo regulamentar, fato que forçou a decisão nos pênaltis.

Penalidades

Nas penalidades, melhor para o Independiente Santa Fe. O time visitante acabou vencendo a disputa na marca da cal por 5 a 3, convertendo todas as suas cobranças com Morelo, Guastavino, Salazar, Gordillo e Zapata, e vendo o Millonarios desperdiçar o seu terceiro arremate com Hauche.


Fonte:Gazeta Esportiva

Bahia está pronto para enfrentar o Botafogo pela Copa Sul-Americana

Fotos: Marcelo Malaquias / EC Bahia
Com um treinamento na manhã desta terça-feira (2), o elenco do Bahia encerrou a preparação para enfrentar o Botafogo. A partida decisiva, válida pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, acontecerá nesta quarta (3), às 21h45, no estádio Nílton Santos.

No primeiro confronto, o Tricolor venceu por 2 a 1, na Fonte Nova, e joga por um empate para avançar de fase. Em caso de derrota, a equipe precisa de pelo menos dois gols para ir às quartas de final.

Antes do trabalho no campo, os jogadores assistiram a um vídeo sobre o adversário no auditório.

Após isso, o grupo desceu para o gramado e inicialmente participou um treino recreativo.

A atividade seguinte foi um intenso treino de bolas paradas, com foco na parte defensiva e ofensiva. Foram testadas faltas laterais e escanteios. No fim, os jogadores ainda passaram por um trabalho de finalizações.

O zagueiro Everson, com dores no tornozelo, ficou no DM e depois fez uma atividade na academia.

O grupo embarca para o Rio de Janeiro na tarde desta terça (2).
 
Back To Top