Atividade Esporte News: Natação
⚽Notícias
Mostrando postagens com marcador Natação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Natação. Mostrar todas as postagens

14 novembro 2018

Com Marta e Medina, COB define finalistas do prêmio de Melhor Atleta do ano

 (Foto: COB/Divulgação)
No dia 18 de dezembro, o Brasil conhecerá os Melhores Atletas do ano, no Prêmio Brasil Olímpico 2018. Nesta quarta-feira, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou os concorrentes ao troféu. Além de Marta, na disputa do feminino, estão Ana Marcela Cunha (maratona aquática) e Ana Sátila (canoagem slalom). No masculino, por sua vez, competem Gabriel Medina (surfe), Isaquias Queiroz (canoagem velocidade) e Pedro Barros (skate).

“O Prêmio Brasil Olímpico chega à sua 20ª edição homenageando o melhor do esporte brasileiro, tanto do presente quanto do passado”, destacou Paulo Wanderley Teixeira, presidente do COB. Em 2017, os vencedores foram Marcelo Melo, do tênis, e Mayra Aguiar, do judô. Dessa vez, o evento acontece no Teatro Bradesco, no shopping Village Mall, no Rio de Janeiro.

“Será uma grande festa em homenagem aos atletas, técnicos e aos diversos agentes que fazem com que as vitórias nas principais competições internacionais e a escolha de brasileiros como melhores do mundo em suas modalidades sejam uma constante nesses últimos anos”, continuou Paulo. A entidade também anunciou o nome dos 51 melhores atletas em cada modalidade esportiva.

As escolhas foram feitas por meio de um júri formado por jornalistas, dirigentes, ex-atletas e personalidades do esporte. Já a decisão do Atleta da Torcida será feita pelo público, em votação pela Internet.

Conheça os vencedores em cada modalidade do Prêmio Brasil Olímpico 2018: 

Atletismo: Darlan Romani
Badminton: Ygor Coelho
Basquete: Yago Mateus
Basquete 3×3: Luiz Felipe Soriani
Beisebol: Felipe Burin
Boxe: Beatriz Ferreira
Canoagem Slalom: Ana Sátila
Canoagem Velocidade: Isaquias Queiroz
Ciclismo BMX (Freestyle): Leandro Neto
Ciclismo BMX (Racing): Anderson Ezequiel de Souza Filho (Andinho)
Ciclismo Estrada: Vinicius Rangel Costa
Ciclismo Mountain Bike: Henrique Avancini
Ciclismo Pista: Kacio Fonseca da Silva Freitas
Desportos na Neve: Jaqueline Mourão
Desportos no Gelo: Isadora Williams
Escalada Esportiva: Thais Makino Shiraiwa
Esgrima: Alexandre Camargo
Futebol: Marta Silva
Ginástica Artística: Arthur Zanetti
Ginástica Trampolim: Camilla Gomes
Ginástica Rítmica: Natália Gaudio
Golfe: Luiza Altmann
Handebol: Eduarda Amorim
Hipismo adestramento: João Victor Oliva
Hipismo CCE: Márcio Carvalho Jorge
Hipismo saltos: Pedro Veniss
Hóquei sobre grama: Rodrigo Faustino
Judô: Érika Miranda
Karatê: Vinicius Figueira
Levantamento de pesos: Fernando Saraiva Reis
Maratona Aquática: Ana Marcela Cunha
Nado Artístico: Maria Clara Lobo
Natação: Revezamento (Pedro Spajari/Gabriel Santos/Marcelo Chierighini/Marco Antonio Ferreira Junior)
Pentatlo moderno: Maria Iêda Guimarães
Polo Aquático: Gustavo Guimarães
Remo: Uncas Tales Batista
Rugby: Bianca dos Santos Silva
Saltos Ornamentais: Ingrid de Oliveira
Skate: Pedro Barros
Softbol: Fernanda Ayumi Missaki
Surfe: Gabriel Medina
Taekwondo: Edival Pontes (Netinho)
Tênis: Marcelo Melo
Tênis de mesa: Hugo Calderano
Tiro com arco: Marcus Vinícius D´Almeida
Tiro esportivo: Julio Almeida
Triatlo: Manoel Messias
Vela: Martine Grael e Kahena Kunze
Vôlei:  Douglas Souza
Vôlei de praia: Agatha Bednarczuk / Duda Lisboa
Wrestling: Lais Oliveira


Fonte:Gazeta Esportiva

16 setembro 2018

Ana Marcela conquista tetracampeonato mundial de maratona aquática

 (Foto: Divulgação)
Na madrugada deste domingo, Ana Marcela Cunha se consagrou como tetracampeã mundial de Maratonas Aquáticas. Na etapa de Chun’an, na China, penúltima da competição, a brasileira ficou com a medalha de bronze nos 10km, chegou aos 96 pontos e não podendo ser mais ultrapassada em Abu Dhabi assegurou matematicamente mais um título do Circuito Mundial da Fina.

Seguida de perto pela italiana Rachelle Bruni, vice líder do ranking, Ana Marcela não fica com o tetra apenas se não comparecer a etapa nos Emirados Arábes. Pelo regulamento, a brasileira só precisa largar na última etapa para sacramentar o título que já venceu em 2010, 2012 e 2014.

“Estou muito feliz. Mais uma conquista, sem dúvida, muito importante na vida e na carreira. Este bom resultado mostra que estamos no caminho certo e vamos seguir com este planejamento até os Jogos Olímpicos, em 2020”, festejou a atleta baiana.

Na etapa da China, a vencedora foi a dona da casa Xin Xin, que terminou o percurso em 2h06m22s. A segunda colocada foi a alemã Antônia Beck com o tempo de 2h06m23s4c. Ana Marcela bateu praticamente junto com a adversária, apenas com um centésimo de diferença (2h06m23s5c).

“Foi uma prova muito disputada, do começo ao fim. Nas duas primeiras voltas nadamos praticamente todas no mesmo ritmo. Intensificou mesmo na terceira volta quando formamos um pelotão das cinco primeiras colocadas e aumentamos bem o ritmo. Na última volta, foi que demos o sprint final e a prova foi decidida na batida de mão. Mais do que o pódio valeu mesmo ter saído daqui com a missão cumprida e o título garantido”, explicou Ana Marcela.

“Agora é só ir para a última etapa, em Abu Dhabi, apenas com a obrigação cair na água. Mas é lógico, que quem me conhece sabe, que vou brigar mais uma vez para estar no pódio e fechar a temporada com chave de ouro”, completou.

Confira as colocações e o calendário das etapas do Mundial de Maratona Aquática:

17/04 – Doha (Qatar) – 4º lugar
20/05 – Ilhas Seicheles – 2º lugar
09/06 – Setúbal (Portugal) – 7º lugar
16/06 – Balatonfured (Hungria) – 1º lugar)
26/07 – Lac St. Jean (Canadá) – 1º lugar)
11/08 – Lac Megantic (Canadá) – não participou
16/09 – Chun’an (China) – 3º lugar)
09/11 – Abu Dhabi (Emirados Arábes


Fonte:Gazeta Esportiva

14 setembro 2018

Felipe Lima vence 50m peito e conquista segundo ouro na Copa do Mundo

  (Foto: CBDA/Divulgação)
Nesta sexta-feira, Felipe Lima conquistou o ouro na prova dos 50 metros peito na segunda etapa da Copa do Mundo, que está sendo realizado em Doha, Catar. Esta é a segunda vez que o brasileiro sobe ao lugar mais alto do pódio, ele também levou o ouro nos 100m peito.

Felipe Lima terminou a prova em 26s84 após ter tempo de reação de 0s64. Ele terminou quase um segundo à frente do americano Michael Andrew. O terceiro colocado foi o russo Kirill Prigoda.

O atleta brasileiro ainda irá disputar, no sábado, a prova dos 200 metros peito. Lima vem de um ouro nos 50m e uma prata nos 100m peito na primeira etapa do Mundial, em Kazan, na Rússia.


Fonte:Gazeta Esportiva

27 agosto 2018

Em meio a marcas para Mundial, Cielo volta a vencer no Troféu José Finkel

(Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA)
O terceiro dia de Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação – Troféu José Finkel – Taça Correios teve uma chuva de índices e recordes. Vinicius Lanza, Luiz Altamir Lopes Melo, Felipe Lima, Guilherme Guido, Etiene Medeiros e Larissa Oliveira obtiveram marcas classificatórias para o Campeonato Mundial de Hangzhou, na China. Além disso, três recordes sul-americanos foram quebrados. Nos 100m livre, Cesar Cielo voltou a vencer e emocionar a torcida que marcou presença neste domingo (26), no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

A piscina do Pinheiros neste domingo foi tomada pelos grandes nomes da Natação do Brasil. Depois de operar o ombro no início da temporada, não participar do Troféu Brasil e, consequentemente do Pan-Pacífico, Etiene Medeiros retornou em grande estilo a uma competição nacional. Ela não só venceu a prova em que é bicampeã Mundial, como também obteve o índice para o Mundial da China (25s95).

“A gente acabou se tornando uma grande família. Ganhei irmãos neste processo de cirurgia, recuperação e volta às piscinas. Tem muita gente que participou dessa minha conquista aqui hoje. A piscina curta faz parte do processo para que, no ano que vem, eu esteja melhor, depois, em 2020, chegue ao objetivo final”, falou a campeã arrancando aplausos de quem esteve na piscina do Pinheiros.

Na versão masculina da prova, o dia já havia começado com recorde Sul-Americano. Guilherme Guido, nos 50m costas, estabeleceu a nova marca em piscina de 25m ao completar a prova com o tempo de 22s75. No período da tarde, o atleta do Pinheiros voltou a encaixar seu nado e, além de quebrar novamente o recorde continental, obteve o índice para participar do Campeonato Mundial.

“Foi um dia muito importante e muito feliz para mim. Sabia que se eu encaixasse de manhã, o recorde viria. A tarde também deu certo, consegui fazer o que eu tinha planejado e veio o índice. Estou muito feliz com isso”, disse Guido.

Na prova mais tradição para o Brasil, um dos maiores nomes da história da Natação do Brasil voltou a brilhar. Cesar Cielo Filho, campeão Mundial e Olímpico, venceu a disputa com o tempo de 46s83 e, em seguida, emocionou a todos que estavam presentes neste domingo.

“Todos já me viram chorando com a medalha olímpica e, hoje, estou chorando de novo aqui no José Finkel, para você ver a importância do que é isso para mim. Pode ser meu último Campeonato Brasileiro. Isso faz a gente pensar em tudo que passou para chegar aqui e bater na frente. É algo que mexe muito com o atleta. Particularmente, eu estou muito emocionado com o que aconteceu aqui hoje”, disse o campeão.

Entre as mulheres, Larissa Oliveira fez uma grande prova terminando com o tempo de 52s45, novo recorde Sul-Americano e índice para o Campeonato Mundial de piscina curta de Hangzhou.

“Os 100m livre é uma prova que eu me sinto muito bem, mas esse tempo que eu fiz me deixou muito contente, muito feliz. A gente não sabe ainda se vai ao Mundial, por conta do índice técnico, mas o fato de ter conquistado o índice me deixa mais perto de conseguir ir a esta competição que é tão importante para o nosso calendário”, relatou.

Nos 50m peito, Felipe Lima, assim como havia feito nos 100m, brilhou. O atleta do Minas Tênis Clube, desta vez porém, atingiu o índice necessário para ir ao Mundial (26s00). Na versão feminina da prova, Jhennifer Alves Conceição mais uma vez estabeleceu o novo recorde Sul-Americano da disputa (30s00).

“Estava buscando muito esse índice. A prova é sempre muito dura. O João (Gomes Júnior) e o Felipe (França) sempre dificultam muito essa disputa, mas graças a Deus deu tudo certo e consegui essa marca que eu tanto esperava”, explicou Felipe.

“Fico muito contente com esse recorde, é muito importante. Queria o índice, mas acredito que ainda posso ir pelo índice técnico. Mostrei que posso representar muito bem o Brasil e quero fazer isso”, completou Jhennifer.

Para completar a lista de índices deste domingo, Vinicius Lanza voltou a mostrar que vive grande fase dentro das piscinas, obteve o índice nos 200m borboleta e conquistou o ouro na prova (1m51s00). Na mesma disputa, Luiz Altamir Lopes Melo também garantiu o índice com o tempo de 1m51s54.

A competição segue nesta segunda-feira (27), na piscina do Esporte Clube Pinheiros, com as provas de 400m medley, 50m borboleta, 200m livre e 100m costas. A TV CBDA transmite todas as etapas da competição.


Fonte:Gazeta Esportiva

26 agosto 2018

Lanza e Pumputis batem recorde e conseguem marca para Mundial da China

 (Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA)
O índice para o Campeonato Mundial de piscina curta, enfim, saiu. Vinicius Lanza e Caio Pumputis bateram a marca que precisavam nos 200m medley e serão convocados para a competição. Lanza, além disso, estabeleceu o novo recorde Sul-Americano da prova neste sábado (25), segundo dia de Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação – Troféu José Finkel – Taça Correios, realizado no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

Lanza havia ficado a 33 centésimos do índice para o Mundial de Hangzhou, na China, na última sexta-feira, nos 100m borboleta. Neste sábado, o atleta do Minas Tênis Clube, em uma prova decidida nos últimos metros com Caio Pumputis, conseguiu bater a marca que precisava para ir ao Campeonato Mundial em dezembro (1m52s16). Caio também conquistou o índice para o Mundial (1m52s16).

“Foi uma prova muito boa, muito mesmo. Devo isso ao Caio também. Se não fosse ele me puxando até o final, talvez o tempo não fosse tão bom. Quem ganha com isso é a natação brasileira que vai estar sempre em alto nível”, disse Lanza.

O sábado também foi de provas de fundo no Troféu José Finkel. Nos 1500m livre, Viviane Jungblut estabeleceu o novo recorde brasileiro, que já durava cerca de oito anos. Ela conquistou o ouro com o tempo de 16m03s29. Beatriz Dizotti ficou com a prata (16m24s57) e Gabriela Ferreira com o bronze (16m30s).

“Estou em uma sequência de competições muito importantes, com o Pan-Pacífico de maratonas, também o Mundial Militar. Treinei mais para as provas longas e deu certo. Meu objetivo aqui era o recorde nessa prova e deu certo”, falou a campeã.

A competição segue no Pinheiros neste domingo com os 100m livre, os 200m borboleta, os 50m peito e os 50m costas.


Fonte:Gazeta Esportiva

19 agosto 2018

Sun Yang da China completa 'golden slam' nos Jogos Asiáticos de natação

AFP / Martin BUREAU
O gigante chinês Sun Yang arrebatou para os Jogos Asiáticos 200 milhões de nado-de-ouro no domingo para aumentar seus títulos olímpicos e mundiais - depois, seu hino nacional foi tocado duas vezes após uma falha no mastro de bandeira.

O triplo campeão olímpico produziu duas últimas voltas para marcar um minuto, 45,43 segundos e lançar com sucesso sua missão de conquistar cinco medalhas de ouro em Jacarta.

A vitória foi duas vezes mais doce para a Sun, que ficou chocada com o japonês Kosuke Hagino nos últimos Jogos Asiáticos de 2014 e também ficou com a prata atrás do rival coreano Park Tae-hwan em 2010.

A partir do momento em que Sun saiu vestindo um agasalho amarelo brilhante e enormes fones de ouvido vermelhos para rugidos de fãs chineses agitados pela bandeira, era provável que houvesse apenas um vencedor.

O favorito de 26 anos arrebentou a final, terminando mais de um segundo a mais que o japonês Katsuhiro Matsumoto, comemorando gritando em voz alta e socando o ar enquanto aplaudia os fãs.

"Eu esperei oito anos por este título", disse um sol emocional, facilmente a maior personalidade esportiva da China.

"Também me dá um grand slam dourado de títulos olímpicos, mundiais e asiáticos. É um resultado perfeito, um sonho. É inacreditável."

Estranhamente, seu momento de glória foi um pouco azedado quando as bandeiras caíram do mastro durante o hino nacional da China, o que levou Sun a resmungar para as autoridades e exigir um pouco mais.

Mas os funcionários confusos dos Jogos acabaram com o polo defeituoso e simplesmente seguraram as bandeiras.

Mais cedo, Sun mostrou um lado mais suave de sua imagem pública, elogiando o rival Hagino.

Os polêmicos chineses provocaram uma disputa diplomática nos Jogos Asiáticos de 2014, quando ele chamou o hino nacional japonês de "feio".

- Charme ofensivo -

AFP / Jewel SAMAD
Mas a Sun lançou uma ofensiva de charme desde o primeiro dia em Jacarta.

"Acho que Hagino é um cara legal", disse ele a repórteres. "Ele é uma inspiração para mim. Devemos estar trabalhando juntos para elevar o nível de natação asiática".

Wang Jianjiahe, da China, venceu o título feminino de 1.500m de estilo livre depois de bater a compatriota Li Bingjie em uma batalha de garotas de 16 anos, campeã nacional tocando em 15: 53.68, pouco mais de um décimo mais rápido que seu amigo.

Liu Yaxin venceu os 200m costas feminino em 2: 07.65, antes de o campeão mundial Xu Jiayu celebrar seu 23º aniversário conquistando o ouro nos 100m costas masculinos (52.34) para chegar a quatro em quatro na noite para a China.

"Eu comecei a chorar quando os fãs chineses cantaram 'parabéns' para mim", corou Xu depois de acertar as esperanças de japonês Ryosuke Irie em um dos Jogos Asiáticos.

"Foi um belo presente de aniversário, mas eu queria a cereja no topo - um recorde mundial. Ainda era ótimo vencer."

O Japão parou a podridão quando Satomi Suzuki venceu os 100m nado de peito feminino em um recorde de 1: 06.40, antes de Daiya Seto manter seu título de 200m em 1: 54.53.

"Fui um pouco frenético nos últimos 25 metros, mas consegui terminar o trabalho", disse Suzuki. "Isso me dá muito mais confiança no campeonato mundial do próximo ano e nas Olimpíadas de Tóquio de 2020".

O Japão emboscou a China no estilo livre 4x100m feminino, estabelecendo um novo melhor dos Jogos de 3: 36.52 depois de uma perna de âncora de Chihiro Igarashi para terminar a noite com três medalhas de ouro.

15 agosto 2018

Brasil encerra campanha no Pan-Pacífico com recorde de finais e cinco medalhas

(Foto: Divulgação/CBDA)
Considerado o principal objetivo na temporada, o Campeonato Pan-Pacífico, realizado em Tóquio, terminou com ótima participação da delegação brasileira. Encerrada na última segunda-feira com o bronze conquistado por Ana Marcela na Maratona Aquática, a campanha culminou em um recorde de finais e, ao todo, cinco medalhas. As outras quatro foram nas provas de natação.

O principal resultado do Brasil veio no revezamento 4x100m livre masculino. Depois da medalha de prata no Mundial de Budapeste, o quarteto, que contou com as entradas Marco Antonio Ferreira Júnior e Pedro Spajari, consolidou o bom rendimento com a conquista da medalha de ouro, muito comemorada também pelos dirigentes.

“Ganhamos o inédito ouro do 4×100 e ele veio com o melhor tempo do mundo em 2018. Os outros revezamentos também mostraram renovação e força, obtendo tempos melhores que nas olimpíadas do Rio 2016”, disse o presidente Miguel Cagnoni, que esteve no Japão acompanhando a equipe.

Além do ouro no revezamento, a Natação conquistou outras três medalhas: Leonardo de Deus, prata nos 200m borboleta, João Gomes Júnior, bronze nos 100m peito, e Vinicius Lanza, bronze nos 100m borboleta. Fora das piscinas, o desempenho brasileiro também foi comemorado. No mar, Ana Marcela Cunha fez história ao conquistar o bronze, que significou primeira medalha da história do Brasil em Maratonas Aquáticas em Pan-Pacíficos.

“Tivemos toda a receptividade dos japoneses e das equipes do COB que estão em Sagamihara. Conversando com os atletas e com a comissão técnica, sentimos como todos estavam felizes de estarem lá. Essa estrutura oferecida foi fundamental para que tivéssemos estas medalhas e tempos que conquistamos no Pan-Pacífico. Tudo isso é fruto de uma parceria que pode render muito ao Brasil”, explicou o dirigente.

“Foi muito importante realizar tudo isso na cidade que será sede das Olimpíadas de 2020, que é o nosso foco total neste momento. Construímos relacionamentos com o Japão, encontramos caminhos, criamos uma cultura de união. Agora é acertar detalhes e continuar evoluindo para chegarmos em 2020 prontos para atingir mais um desempenho de excelência”, finalizou.


Fonte:Gazeta Esportiva

11 agosto 2018

Brasil é campeão no revezamento e Lanza conquista bronze no Pan-Pacífico

 (Foto: Divulgação/CBDA)
O Brasil teve um dia dourado em terras japonesas. Neste sábado (11), terceiro dia de competições do Pan-Pacífico, que é realizado em Tóquio, a seleção obteve sua primeira medalha de ouro. O lugar mais alto no pódio veio com o revezamento 4x100m livre. O time brasileiro ainda conquistou uma medalha de bronze com Vinicius Lanza.

Mesmo com apenas dois integrantes do revezamento vice-campeão Mundial em Budapeste, o revezamento 4x100m livre do Brasil mostrou que é muito forte. Formado por Gabriel Santos, Marcelo Chierighini, Marco Antonio Ferreira Júnior e Pedro Spajari, a equipe brasileira terminou a prova com o tempo de 3m12s02. A seleção americana terminou à frente do Brasil, mas foi desclassificada por trocar a ordem de seus nadadores durante a prova.

“A união é determinante para que este revezamento esteja sempre brigando por medalhas. Nós somos muito unidos. Mostramos em Budapeste que estamos entre os melhores e não vamos sair. Vamos com tudo visando os Jogos Olímpicos”, disse um atleta mais experiente do revezamento, Marcelo Chierighini.

Antes disso, porém, o Brasil já havia conquistado mais uma medalha na competição. Vinicius Lanza brilhou nos 100m borboleta e, com o tempo de 51s44, obteve o bronze na disputa. O ouro ficou com Caleb Dressel, dos Estados Unidos, e a prata com John Conger, também dos EUA.

Outros brasileiros também estiveram em finais neste sábado: Fernando Scheffer ficou em sexto nos 200m livre (3m50s55) e Leonardo Santos em sétimo nos 200m medley (1m58s83). Nas finais B, Leonardo de Deus nadou os 100m borboleta para 53s19 e Brandonn Almeida nadou os 200m medley com o tempo de 2m01s34.

Ao fim do terceiro dia de competições, o Brasil soma quatro medalhas no torneio (um ouro, uma prata e dois bronzes). A competição segue neste domingo com eliminatórias a partir das 22h (de Brasília) e finais às 5h30.


Fonte:Gazeta Esportiva
 
Back To Top