Atividade Esporte News: Surfe
⚽Notícias
Mostrando postagens com marcador Surfe. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Surfe. Mostrar todas as postagens

26 novembro 2018

Stephanie Gilmore conquista sétimo título mundial de surfe

(Foto: Kelly Cestari/WSL)
Nesta segunda-feira, Stephanie Gilmore conquistou o título mundial se surge pela sétima vez. A australiana se iguala a sua compatriota Layne Beachley, que encerrou a carreira em 2006. A atleta de 30 anos foi campeã em 2007, 2008, 2009, 2010, 2012, 2014 e 2018.

A confirmação do título veio na segunda rodada da etapa de Maui, no Havaí, porque Lakey Peterson, rival direta pelo título mundial, foi eliminada e não poderia mais alcançar a pontuação de Lakey.

Stephanie Gilmore venceu três etapas ao longo da temporada (Bells Beach, Saquarema e Jeffreys Bay) e ainda terminou duas vezes como segundo lugar e uma como primeiro. Em Maui, a australiana está confirmada no terceiro round após superar Alana Blanchard e Sage Erickson na primeira rodada.


Fonte:Gazeta Esportiva

24 novembro 2018

Definição do título do Mundial de Surf feminino começa neste domingo

Em Honolua Bay, acontece a Beachwaver Maui Pro, que vai definir a próxima campeã mundial do surfe feminino. Stephanie Gilmore entra na disputa como favorita ao título

(Foto: WSL)
Na Ilha de Maui, no Havaí, será iniciada a partir deste domingo, a disputa pelo título do Mundial de surfe feminino. Brigam pela taça a australiana Stephanie Gilmore, que vem liderando o ranking com boa vantagem, e a norte-americana Lakey Peterson. A previsão indica que as baterias serão realizadas durante um período de ondas grandes, que chega ao Havaí na segunda-feira.

Mesmo com a ameaça da brasileira naturalizada havaiana Tatiana Weston-Webb, Stephanie Gilmore e Lakey Peterson foram os principais nomes na briga pelo título deste o início da temporada. Ao longo do ano, a australiana venceu três competições e foi vice em duas, enquanto sua adversária ganhou duas e ficou em segundo lugar três vezes. Apesar da disputa acirrada, a vantagem adquirida por Stephanie nas últimas três etapas foi a principal contribuinte para que a australiana chegasse à etapa de Maui com mais chances de título.

Caso chegue à semifinal em Maui, Stephanie Gilmore se torna campeã mundial. Porém, se ficar na quinta colocação ou uma mais baixa, Lakey Peterson terá a chance de vencer o evento para empatar no somatório dos pontos. Neste caso, as surfistas farão uma bateria extra para decidirem quem leva o caneco de 2018.

Terceira colocada no ranking mundial, Tatiana Weston-Webb chegou a disputar a liderança na metade da temporada, mas não alcançou a meta. Agora, ela busca a melhor colocação da carreira para tentar superar o 4º lugar de 2016. Porém, a briga será intensa contra a havaiana Carissa Moore, que já venceu duas das três finais que participou em Maui e está na cola de Tati.

Por outro lado, a brasileira Silvana Lima e a australiana Tyler Wright estão fora do evento. A primeira ainda se recupera de uma cirurgia no joelho, enquanto a segunda sofre com as consequências de uma gripe Influenza A, que pegou em julho na África do Sul. Acusando cansaço e dores no corpo, Tyler não compete desde então e já desistiu de cinco torneios no ano. Ela vai receber o wildcard reservado para lesão da WSL. Silvana ocupa a última posição da classificação para o QS ao CT e precisa que a norte-americana Sage Erickson e a australiana Keely Andrew não alcancem o Top-10.

Confira a ordem das baterias do round 1 na etapa de Maui
1- Johanne Defay (FRA), Courtney Conlogue (USA), Paige Hareb (NZL)
2- Carissa Moore (HAW), Coco Ho (HAW), Bethany Hamilton (HAW)
3- Stephanie Gilmore (AUS), Sage Erickson (USA), Alana Blanchard (HAW)
4- Lakey Peterson (USA), Malia Manuel (HAW), Zoe McDougall (HAW)
5- Tatiana Weston-Webb (BRA), Nikki Van Dijk (AUS), Summer Macedo (HAW)
6- Caroline Marks (USA), Sally Fitzgibbons (AUS), Bronte Macaulay (AUS)

Fonte:Lance

14 novembro 2018

Com Marta e Medina, COB define finalistas do prêmio de Melhor Atleta do ano

 (Foto: COB/Divulgação)
No dia 18 de dezembro, o Brasil conhecerá os Melhores Atletas do ano, no Prêmio Brasil Olímpico 2018. Nesta quarta-feira, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou os concorrentes ao troféu. Além de Marta, na disputa do feminino, estão Ana Marcela Cunha (maratona aquática) e Ana Sátila (canoagem slalom). No masculino, por sua vez, competem Gabriel Medina (surfe), Isaquias Queiroz (canoagem velocidade) e Pedro Barros (skate).

“O Prêmio Brasil Olímpico chega à sua 20ª edição homenageando o melhor do esporte brasileiro, tanto do presente quanto do passado”, destacou Paulo Wanderley Teixeira, presidente do COB. Em 2017, os vencedores foram Marcelo Melo, do tênis, e Mayra Aguiar, do judô. Dessa vez, o evento acontece no Teatro Bradesco, no shopping Village Mall, no Rio de Janeiro.

“Será uma grande festa em homenagem aos atletas, técnicos e aos diversos agentes que fazem com que as vitórias nas principais competições internacionais e a escolha de brasileiros como melhores do mundo em suas modalidades sejam uma constante nesses últimos anos”, continuou Paulo. A entidade também anunciou o nome dos 51 melhores atletas em cada modalidade esportiva.

As escolhas foram feitas por meio de um júri formado por jornalistas, dirigentes, ex-atletas e personalidades do esporte. Já a decisão do Atleta da Torcida será feita pelo público, em votação pela Internet.

Conheça os vencedores em cada modalidade do Prêmio Brasil Olímpico 2018: 

Atletismo: Darlan Romani
Badminton: Ygor Coelho
Basquete: Yago Mateus
Basquete 3×3: Luiz Felipe Soriani
Beisebol: Felipe Burin
Boxe: Beatriz Ferreira
Canoagem Slalom: Ana Sátila
Canoagem Velocidade: Isaquias Queiroz
Ciclismo BMX (Freestyle): Leandro Neto
Ciclismo BMX (Racing): Anderson Ezequiel de Souza Filho (Andinho)
Ciclismo Estrada: Vinicius Rangel Costa
Ciclismo Mountain Bike: Henrique Avancini
Ciclismo Pista: Kacio Fonseca da Silva Freitas
Desportos na Neve: Jaqueline Mourão
Desportos no Gelo: Isadora Williams
Escalada Esportiva: Thais Makino Shiraiwa
Esgrima: Alexandre Camargo
Futebol: Marta Silva
Ginástica Artística: Arthur Zanetti
Ginástica Trampolim: Camilla Gomes
Ginástica Rítmica: Natália Gaudio
Golfe: Luiza Altmann
Handebol: Eduarda Amorim
Hipismo adestramento: João Victor Oliva
Hipismo CCE: Márcio Carvalho Jorge
Hipismo saltos: Pedro Veniss
Hóquei sobre grama: Rodrigo Faustino
Judô: Érika Miranda
Karatê: Vinicius Figueira
Levantamento de pesos: Fernando Saraiva Reis
Maratona Aquática: Ana Marcela Cunha
Nado Artístico: Maria Clara Lobo
Natação: Revezamento (Pedro Spajari/Gabriel Santos/Marcelo Chierighini/Marco Antonio Ferreira Junior)
Pentatlo moderno: Maria Iêda Guimarães
Polo Aquático: Gustavo Guimarães
Remo: Uncas Tales Batista
Rugby: Bianca dos Santos Silva
Saltos Ornamentais: Ingrid de Oliveira
Skate: Pedro Barros
Softbol: Fernanda Ayumi Missaki
Surfe: Gabriel Medina
Taekwondo: Edival Pontes (Netinho)
Tênis: Marcelo Melo
Tênis de mesa: Hugo Calderano
Tiro com arco: Marcus Vinícius D´Almeida
Tiro esportivo: Julio Almeida
Triatlo: Manoel Messias
Vela: Martine Grael e Kahena Kunze
Vôlei:  Douglas Souza
Vôlei de praia: Agatha Bednarczuk / Duda Lisboa
Wrestling: Lais Oliveira


Fonte:Gazeta Esportiva

07 setembro 2018

Com onda quase perfeita, Gabriel Medina assume liderança em Surf Ranch

Foto:Kenneth Morris/WSL
Campeão mundial em 2014, Gabriel Medina foi o grande destaque do evento masculino deste sábado em Surf Ranch, a piscina de ondas de Kelly Slater na Califórnia. Com uma esquerda quase perfeita de 9.30 e uma direita de 8.40, o paulista assumiu a liderança da competição a uma rodada do fim da primeira fase. Outros dois brasileiros encerram o dia na zona de classficação à final. Foram eles: o líder do ranking Filipe Toledo (4º lugar com um somatório de 15.47) e Ítalo Ferreira (8º com 14.70). Neste sábado acontece a última rodada. Os oito primeiros avançam à final.

O segundo maior somatório do dia foi de Kanoa Igarashi, que fez 15.73 pontos (6.80 como melhor esquerda e 8.93 como melhor direita). Quem aparece em terceiro é o australiano Owen Wright, que surfou uma esquerda de 8.13 e uma direita de 7.43, terminando o dia com 15.56 de somatório. Os demais integrantes na zona de classificação são: Kolohe Andino (15.03), Julian Wilson (15.00) e Jordy Smith (14.87).

Filipe Toledo terminou o dia em quarto (Foto: Divulgação/WSL)
Além de Medina, Filipe Toledo e Ítalo Ferreira, mais nove brasileiros participam da etapa de Surf Ranch, a oitava do Circuito Mundial 2018. São eles: Ian Gouveia, Tomas Hermes, Yago Dora, Adriano de Souza, Miguel Pupo, Jessé Mendes, Wiggolly Dantas, Willian Cardoso e Michael Rodrigues.

Neste sábado, todos os surfistas terão direito a mais uma rodada com ondas de esquerda e direita. Às 12h, entram na água os atletas que estão entre o 19º e o 36º lugar. Os mais bem colocados competem a partir das 15h.

06 setembro 2018

Etapa da Califórnia com ondas artificiais estreia no Mundial de surfe

(Foto: Divulgação/WSL)
A Califórnia sedia a partir desta quinta-feira a oitava etapa do Mundial de surfe em um esquema inédito até então no circuito. Nas ondas artificiais da piscina projetada pela lenda Kelly Slater em um formato inovador de disputa, sem baterias, além da exclusividade da pontualidade, que muitas vezes não aparece nas etapas que dependem da natureza.

A estreia da etapa de Surf Ranch, localizada em Lemoore, na Califórnia acontece depois de dez anos de idealização. Com ondas perfeitas, os atletas não dependerão das condições climáticas e terão as mesmas ondas que seus adversários. Isso significa que a disputa estará nas mãos dos surfistas, que terão que desempenhar uma performance melhor que a do outro competidor em condições iguais.

O esquema de disputa será diferente da habitual, que é formada por baterias de até 40 minutos entre dois e três surfistas, eliminando as menores somatórias. Em Surf Ranch, todos os atletas terão seis ondas – três para a direita e três para a esquerda – para surfar. A melhor nota da direita será somada à melhor nota da esquerda e apenas os oito melhores irão para a fase final. No feminino, serão quatro classificadas.

Na etapa final o processo se repete, e os surfistas terão seis ondas para somar as duas melhores notas. A ordem dos 36 surfistas (22 entre as mulheres) será de acordo com o ranking de cada um, começando pelo menos bem colocado, até Filipe Toledo, primeiro lugar geral masculino e Stephanie Gilmore, no feminino. Os primeiros 18 caem na água nesta quinta, e o restante na sexta-feira.

(Foto: Divulgação/WSL)
O Brasil já estreia na quinta com sete representantes na água. Miguel Pupo será o primeiro a entrar em ação. Wiggolly Dantas, Ian Gouveia, Jessé Mendes, Tomas Hermes, Yago Dora e Adriano de Souza completam a escalação. Na sexta, as mulheres abrem a disputa, com Tatiana Weston-Webb e Silvana Limal. Na sequência, Michael Rodrigues, Willian Cardoso, Italo Ferreira, Gabriel Medina e Filipe Toledo fazem suas estreias.

A Brazilian Storm segue forte e tem bom motivo para acreditar em mais uma vitória verde e amarela no circuito. Isso porque no ano passado, no evento teste da etapa, a final masculina foi entre Medina e Filipinho, com Medina levando a melhor sobre o amigo.


Fonte:Gazeta Esportiva

05 setembro 2018

WSL anuncia premiação igual para homens e mulheres em 2019

(Foto: WSL / KELLY CESTARI)
A WSL, Liga Mundial de Surfe, anunciou grandes, significativas e justas mudanças para a temporada de 2019 nesta quarta-feira. Em entrevista coletiva, a organização prometeu pagar a mesma premiação para a categoria feminina e masculina, tornando-se a primeira liga mundial de um esporte a tomar tal iniciativa.

De acordo com a própria WSL, o sentimento dentro da organização é de “orgulho do compromisso em se alcançar a igualdade de gênero”.

“Este é um grande passo na nossa estratégia de elevar o surfe feminino e estamos animados em manter esse compromisso para a temporada de 2019”, afirmou Sophie Goldschmidt, CEO da Liga Mundial de Surfe, antes de completar.

“Esta mudança é simplesmente a coisa certa a fazer. Queremos estar na dianteira no movimento de promover a igualdade em todas as instâncias da vida, começando pelas ondas, e nos sentimos sortudos em ter mulheres na WSL que são extremamente talentosas e mais do que merecedoras do reconhecimento”, concluiu.

Seis vezes campeã mundial, Stephanie Gilmore também comemorou a iniciativa. “Isto é incrível e estou animada. A premiação é fantástica, mas a mensagem significa ainda mais. Espero que sirva de modelo para outros esportes, organizações globais e para a sociedade em geral. Minhas companheiras atletas estão honradas pela confiança depositada em nós, e estamos inspiradas em recompensar essa decisão com níveis ainda mais altos de surfe”, contou.

Kelly Slater, um dos principais nomes masculinos do esporte, também celebrou o feito. “As mulheres na WSL merecem essa mudança. Estou muito orgulhoso que o surfe está escolhendo em liderar os esportes para os caminhos da igualdade e justiça”, afirmou.


Fonte:Gazeta Esportiva

17 agosto 2018

Por condições climáticas, quartas de final da etapa em Teahupoo é adiada

Mar baixo impede pela quinta vez a realização da disputa no Taiti nesta sexta-feira

 (Foto: Divulgação/WSL)
Por mais uma vez, a realização da etapa em em Teahupoo, no Taiti, foi adiada, nesta sexta-feira. O motivo da paralisação foi por conta das poucas ondas e condições climáticas desfavoráveis. A organização aprovou a disputa da terceira e quarta fases, mesmo com o mar longe das melhores condições.

Três brasileiros seguem na disputa pelo título. Filipe Toledo já tem sua melhor campanha da carreira e busca ampliar a folga na ponta. De olho na vice-liderança, Gabriel Medina (terceiro) e Ítalo Fereira (quarto) se enfrentam em uma das baterias das quartas.

ÚLTIMOS CONFRONTOS:

Contra o australiano, Owen Wright, e o japonês, Kanoa Igarashi, Filipe Toledo superou os adversários ao somar 11,40 ao aproveitar as oportunidades dentro do mar. 

Com mais um pouco de dificuldades, Gabriel Medina somou 13,67 ao enfrentar o americano Kolohe Andino, e o outro brasileiro Yago Dora, que pontuou 9,50, menor em relação ao atleta dos EUA. 

Italo Ferreira ficou em segundo, ao pontuar 13,10, entre a disputa entre o australiano Connor O’Leary (11,34), e o francês Jeremy Flores (15,24). Após ficar em último durante praticamente toda a disputa, o potiguar conseguiu dois aéreos nos minutos finais para conseguir a classificação. 

QUARTAS DE FINAL: 

Michael February (AFS) x Filipe Toledo (BRA)
Owen Wright (AUS) x Wade Carmichael (AUS)
Gabriel Medina (BRA) x Italo Ferreira (BRA)
Jeremy Flores (FRA) x Kolohe Andino (EUA)

11 agosto 2018

WSL adia novamente início da etapa de surfe em Teahupo'o

(Foto: WSL / Kelly Cestari)
Os fãs de surfe terão de aguardar um pouco mais para acompanharem o início da etapa do Circuito Mundial em de Teahupo'o, no Haiti. Pelo segundo dia consecutivo, a World Surf League (WSL) teve que adiar a disputa, já que as águas não apresentavam condições favoráveis aos surfistas. Às 14h30 deste domingo, a organização realiza mais uma chamada para a etapa, que tem prazo final no dia 21 de agosto.

- Vento maral, mar muito pequeno. Não tem ninguém na água hoje no Taiti, então não teremos competição. Mas temos boa notícia: amanhã temos previsão de swell, com ondas de um metro e meio, dois metros. Então, temos grande chance de começar a competição aqui em Teahupoo - disse a organização.

Dentre os cinco melhores colocados, há cinco surfistas brasileiros: Filipe Toledo é líder do ranking com 35,900 pontos e dois triunfos vitórias na temporada; Gabriel Medina - que foi vice-campeão do Taiti Pro em 2017 - e Ítalo Ferreira ocupam a terceira e quarta colocações. Vale lembrar que este se lesionou durante o QS 10000 da Califórnia, mas já se recuperou completamente.

Confira todas as baterias da primeira fase em Teahupo'o:
1 - Wade Carmichael (AUS), Jeremy Flores (FRA) e Joan Duro (FRA)
2 - Jordy Smith (AFS), Ezekiel Lau (HAV) e Ian Gouveia (BRA)
3 - Ítalo Ferreira (BRA), Sebastian Zietz (HAV) e Miguel Pupo (BRA)
4 - Gabriel Medina (BRA), Tomas Hermes (BRA) e Wiggolly Dantas (BRA)
5 - Julian Wilson (AUS), Joel Parkinson (AUS) e Mateia Hiquily (TAH)
6 - Filipe Toledo (BRA), Yago Dora (BRA) e Tikanui Smith (TAH)
7 - Willian Cardoso (BRA), Frederico Morais (POR) e Michael February (AFS)
8 - Michel Bourez (TAH), Kanoa Igarashi (JAP) e Keanu Asing (HAV)
9 - Mikey Wright (AUS), Adriano de Souza (BRA) e Matt Wilkinson (AUS)
10 - Griffin Colapinto (EUA), Kolohe Andino (EUA) e Patrick Gudauskas (EUA)
11 - Owen Wright (AUS), Adrian Buchan (AUS) e Jessé Mendes (BRA)
12 - Conner Coffin (EUA), Michael Rodrigues (BRA) e Connor O´Leary (AUS)


Fonte:Lance
 
Back To Top